Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

"Futebol e a Vida"

No description
by

Diogo T'dj

on 2 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of "Futebol e a Vida"

Introdução
Euro 2004
Euro 2004
Conclusão
Mundial 2006
Mundial 2006
O livro de Manuel Alegre “O Futebol e a Vida” é um livro dividido em duas partes:
1ª Euro 2004 e a 2ª Mundial 2006.
O autor jogou futebol mas nunca evoluiu muito como jogador mas sempre gostou muito de futebol, e quando foi convidado a escrever crónicas sobre o Euro 2004 era como pudesse fazer um pouco parte da Seleção Nacional, embora não como jogador mas como escritor.
Depois em 2006 voltou a ser convidado a escrever sobre o Mundial de Futebol e mais uma vez apesar de não jogar esteve na escrita ao lado da Seleção.

No final o autor relembra que devemos sempre acreditar na vida e em Portugal da mesma forma como os nossos jogadores acreditaram, lutaram e defenderam as cores da Seleção.
No Euro 2004 verificou-se que a Politica serve-se do futebol para chegar às pessoas como o futebol se serve da política. No entanto, o futebol continua a ser uma festa para todos os portugueses.
Apesar da crise que se vivia puseram-se bandeiras nas varandas e foram projetadas esperanças e sonhos na Seleção, fazendo as pessoas felizes.

Nesta época jogavam Figo, Deco, Rui Costa, Ricardo e Cristiano Ronaldo entre outros, e o autor assistiu aos jogos com a mesma emoção que todos os portugueses.
Portugal venceu à Rússia e à Espanha, venceu à Inglaterra jogo onde Ricardo defende um penalti sem luvas e acaba por marcar um penalti também. As vitórias de Portugal foram festejadas nas ruas e mais que isso em todos os países de língua Portuguesa.
Portugal não ganhou a final do Euro contra a Grécia mas foi um tempo onde os Portugueses estavam felizes e unidos pela Seleção e no fim do jogo 30.000 pessoas apesar de termos perdido gritavam Portugal! Portugal!

Portugal passou a primeira fase o que já não acontecia há quarenta anos.
O selecionador Scolari era apoiado por muitos mas também muitas vezes criticado, no entanto nunca tinha conseguido unir os Portugueses à Seleção Nacional como ele o fez.
Portugal voltou a vencer agora à Holanda e os Portugueses esqueceram mais uma vez o desemprego e o défice e vieram para as ruas festejar.
No jogo seguinte pela segunda vez Portugal vence à Inglaterra nos penaltis e Ricardo foi uma vez mais a estrela, tal como Scolari que quarenta anos depois nos leva de nova às meias finais.
Portugal não ganhou à França mas muito se ficou a dever à arbitragem porque o futebol não se ganha só no campo.

No Mundial de 2006 Portugal não estava no grupo dos países mais fortes mas tinha pela frente Angola e o Irão.
Scolari no Mundial apostou em Cristiano Ronaldo que era sem dúvida um jogador de exceção, mas também continuaram a jogar Luís Figo e Deco que pensam e organizam muito bem o jogo de Portugal.
No livro o autor relembra a história entre Portugal e Angola (facto de Angola ser uma ex-colónia Portuguesa). Neste jogo Portugal foi o vencedor.
O povo Português continuava com a alegria de ver a seleção e segundo o autor o povo precisava de inspiração no futebol como inspiração na vida.

Manuel Alegre
"O Futebol e a Vida"
Full transcript