Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A Psicanálise como um Sistema de Personalidade

No description
by

Isabela Fernandes

on 21 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Psicanálise como um Sistema de Personalidade

A Psicanálise como um Sistema de Personalidade
O sistema de Freud abordava: as forças motivadoras do inconsciente, os conflitos entre as forças e os efeitos desses conflitos no comportamento.
Instintos
São elementos básicos da personalidade.
No sistema de Freud, os instintos são representações mentais dos estimulos internos (como a fome) que motivam a personalidade e o comportamento.
A mente transforma essa energia corporal em desejo, e sua meta é diminuir a tensão corporal.
Tipos de instintos
O caso Anna O.
- Exposto a teoria de Darwin, interessou-se pela visão científica do conhecimento, decidindo estudar medicina.
- Iniciou os estudos em 1873 na Universidade de Viena.
- Durante esses anos na universidade Freud realizou experiências com cocaína.
- Recebeu o título de doutor em medicina em 1881 e começou a clinicar como neurologista.


Visão topográfica
PSICANÁLISE
Instintos de vida
Sobrevivência do indivíduo e da espécie tentando satisfazer a necessidade de comida, água, ar e sexo.
A energia psíquica manifestada pelo instinto de vida é a
libido
.
Instintos de morte
Impulso inconsciente na direção da degeneralização, destruição e agressão
A visão topográfica inclui a divisão superficial da vida mental em
inconsciente
,
pré-consciente
e
consciente
.
Os níveis da personalidade
ID
Fonte de toda a energia impulsiva;
Detentor dos instintos sexuais e agressivos, de vida e de morte;
Opera a partir do
princípio do prazer
.
EGO
Mediação entre satisfazer os desejos do Id de acordo com a realidade e as exigências do Superego;
O Ego é lógico e racional;
Opera mediante o princípio da realidade.
SUPEREGO
Controla o comportamento de acordo com as regras da sociedade;
Opera na busca da perfeição.
Ansiedade: uma ameaça ao Ego
Funciona como um alerta das ameaças contra o Ego.
É fundamental para o desenvolvimento do comportamento
neurótico
e
psicótico
.
Freud descreveu três tipos de ansiedade
Frente a realidade:
Tem a finalidade positiva para orientar nosso comportamento nos protegendo do perigo
Ansiedade neurótica:
É gerada pelo medo da punição ao expressar os desejos do Id.
Ansiedade moral:
Gera vergonha e culpa por ter quebrado uma regra moral.

O individuo progride através de estágios ligados a seu processo biológico;

Os primeiros acontecimentos são mais importantes em relação aos posteriores
Desenvolvimento Psicossexual
Estágios Psicossexuais
ORAL
( 0 - 1 ano)
Zona erogena é a boca;

O prazer é obtido pela sucção;

O Id predomina
ANAL
(1 - 3 anos)

Zona erógena é a mucosa excretória (ânus);

Descoberta de controle pelo próprio corpo e sobre o meio;

Gratificação ao reter e ao defecar.
FÁLICA
(4 - 5 anos)
Interesse pela diferença entre os sexos;

Complexo de Édipo;

Desenvolvimento do superego.
Período de Latência
(5 - puberdade)
Sublimação do instinto sexual;
Período que consolida a formação do caráter;
Atividades intelectuais e artísticas.
GENITAL
(Adolescência - Idade adulta)
Desenvolvimento da identidade do papel sexual

- Nasceu em 6 de maio de 1856, onde hoje é Pribor, República Tcheca.
- Quando tinha 4 anos se mudou para Viena.
- Falava alemão e hebraico em casa, estudava grego, francês, latim e inglês na escola e estudava sozinho italiano e espanhol.

Sigmund Freud:
-O médico Josef Breuer e Freud muitas vezes discutiam sobre os pacientes de Breuer inclusive a paciente Anna O., cujo caso se tornou fundamental para o desenvolvimento da psicanálise.
- Anna O. apresentava sintomas profundos de histeria.
- Anna O. exibia o que se tornou conhecido como transferência positiva para Breuer.
- Breuer acabou sentindo-se ameaçado com a situação e disse a Anna que não podia mais tratar dela.
- Depois que ele deixou de vê-la, ela foi internada, teve alucinações e convulsões.
- Anna O. superou os problemas emocionais e acabou se tornando assistente social e feminista.
- O relato de Anna O. foi importante para o desenvolvimento da psicanálise por ter apresentado a Freud o método catártico, a chamada cura por meio da conversa.


Fatores Sexuais da Neurose:
-Em 1885, Freud recebeu uma pequena bolsa de pós-graduação que lhe permitiu passar vários meses em Paris estudando com Charcot.
- Charcot chamou a atenção de Freud para o papel do sexo no comportamento histérico.
- Freud adotou os métodos hipnóticos e catárticos de Breuer para tratar dos seus pacientes, mas não estava satisfeito com a hipnose e logo acabou abandonando-a. Continuou a usar o método catártico como tratamento e elaborou a partir da catarse a técnica de livre associação.

Os Estudos sobre Histeria:
- Em 1895, Freud e Breuer publicaram um livro que foi considerado o marco formal da psicanálise, embora Freud só viesse a adotar a palavra “psicanálise” um ano depois.
- Breuer relutara em publicar o livro, pois concordava que os fatores sexuais seriam importantes, mas não estava totalmente certo de ser sexo a única explicação.
- Freud acreditava estar correto e não via necessidade de coletar mais informações para sustentar seu ponto de vista.

Controvérsia sobre a sedução infantil:
- Observou que a maioria dos pacientes relatava experiências sexuais traumáticas vividas na infância.
- Em um trabalho, Freud relatou que os pacientes revelaram ter sido seduzidos na infância.
- O trabalho de Freud não foi bem recebido.
- Cerca de um ano depois, Freud mudou de idéia e passou a afirmar que, na maioria dos caos, as experiências de sedução infantil descritas pelos pacientes eram irreais.


Críticas à Psicanálise:
A vida sexual de Freud
- Os métodos de Freud para coleta de dados foram alvos de muitas críticas.

- Alguns neofreudianos contestaram a negação de Freud do livre-arbítrio e seu enfoque no comportamento passado..

- Alguns criticaram Freud por desenvolver uma teoria da personalidade baseada em pessoas neuróticas, ignorando traços emocionais dos indivíduos saudáveis.

Contribuições da psicanálise:

- O sistema psicanalítico teve um impacto fenomenal na teoria e na prática da psicologia e psiquiatria.

-Contribuiu para o desenvolvimento do interesse dos psicólogos norte-americanos no estudo da personalidade.

- A psicologia contemporânea absorveu muitos conceitos freudianos, incluindo o papel de inconsciente.


• É um paradoxo que Freud, que destacava a importância do sexo na vida emocional, tenha vivido conflitos sexuais.
• Aos 41 anos de idade abandonou a própria vida sexual, culpando sua esposa Martha por esse término.
• “Ele ficou ressentido porque ela engravidava com facilidade, ficava muito indisposta durante a gravidez e recusava-se a manter qualquer tipo de atividade sexual além dos atos de procriação” (Elms, 1994 apud Schultz & Schultz, 2011)
• Freud tornou-se um exemplo de referência da própria teoria. Autodiagnosticou-se com neurose de ansiedade e neurastenia.
• “Sua vida pessoal estava profundamente envolvida na própria teoria, já que baseava-se nela para tentar interpretar e resolver seus problemas(...) A teoria de Freud consiste, assim, em uma teoria dos próprios sintomas neuróticos” (Krull,1986 apud Schultz & Schuktz,2011)


O auge do sucesso
• 1900: Publicou Interpretation of dreams
• 1901: Publicou The psychopathology of everyday life
• A partir de 1902 se reunia com um grupo de discípulos que queriam aprender sobre seu novo sistema
• Em 1909 recebeu o reconhecimento formal da comunidade de psicologia norte-americana.
• Em 1911 foi fundada a sociedade americana de psicanálise
• Em 1923 Freud foi diagnosticado com câncer de boca
• Em 1939 faleceu por uma aplicação de superdosagem de morfina
A psicanálise como método de tratamento
• O terapeuta deve interpretar ou traduzir o material reprimido para o paciente
• Elaborou dois métodos de avaliação: Livre associação e análise dos sonhos
• Livre associação. > Se deve bastante a Josef Breuer
• Utilizou a hipnose por certo tempo
• Para Freud o material revelado pelos pacientes não era aleatório, sendo impostos a esses pela natureza de seu conflito.
• A descoberta de Freud acerca da resistência dos pacientes levou-o a formular o princípio fundamental da repressão

• A eficácia do tratamento dependia do desenvolvimento de uma relação pessoal e íntima entre terapeuta e paciente.
• Análise dos sonhos > Dividiu os fatos dos sonhos em 2 níveis: O conteúdo manifesto e o conteúdo latente.
• Com o decorrer dos anos encontrou símbolos consistentes nos sonhos de seus pacientes, de modo que significavam a mesma coisa para praticamente todo mundo.
• Dos mais de 40 sonhos que Freud descreveu em seu livro somente alguns tinham conteúdo sexual
• Freud não acreditava muito no tratamento experimental formal, sendo descrito como um terapeuta impessoal e até indiferente.

O desenvolvimento da psicanálise
Freud sugeria três grandes mudanças ocorridas no ego humano coletivo em todo o registro histórico:
- Nicolau Copérnico
- Charles Darwin
- Sigmund Freud
A psicanálise se sobrepõe às demais escolas de pensamento da psicologia.
Em 1895, quando Freud publicou o primeiro livro, marcando o inicio formal do novo movimento, Titchener estava começando a desenvolver a psicologia estrutural. O espírito do funcionalismo começava a florescer nos EUA. Nem o behaviorismo nem a psicologia da gestalt haviam sido propostos.
A psicanálise não era um produto das universidades nem uma ciência pura.
Possui como objeto de estudo a psicopatologia. Adota como principal método a observação clinica, e ainda trata do inconsciente.

As Influências Anteriores sobre a Psicanálise

As teorias da mente inconsciente
No século XVIII, o filósofo e matemático alemão Gottfried Wilhelm Leibnitz desenvolveu uma ideia que chamou de monadologia.
As mônadas eram comparadas à percepção. Leibnitz acreditava que os fatos mentais (a atividades das mônadas) possuíam graus diferentes de consciência, variando do completamente inconsciente para o claramente consciente.
Um século depois, o filósofo e educador alemão Johann Friedrich Herbart aprimorou a noção de Leibnitz acerca do inconsciente, transformando-se no conceito de limiar de consciência.
Fechener também estudava o inconsciente e, embora aceitasse a noção de limiar, foi a sua analogia entre a mente e o iceberg que provocou maior impacto em Freud.

As influências de Charles Darwin

As teorias de Darwin também influenciaram as idéias de Freud a respeito do desenvolvimento infantil.
Darwin discutiu diversas idéias usadas posteriormente por Freud como temas centrais da psicanálise, inclusive os conflitos e processos mentais inconscientes, o significado dos sonhos, o simbolismo oculto de alguns comportamentos e a importância do impulso sexual.
O interesse pelo sexo estava evidente na vida cotidiana na Viena do final do século XIX, bem como na literatura cientifica.
Muitas das idéias de Freud a respeito da simbologia dos sonhos já foram antecipadas na filosofia e na fisiologia no século XVII. Charcot afirmava que o trauma psicológico relacionado com a histeria era revelado nos sonhos do paciente. Janet dizia que as causas da histeria era revelado nos sonhos e usava a sua análise como ferramenta terapêutica. Krafft-Ebing alegava que os desejos sexuais inconscientes podiam ser encontrados nos sonhos.
Outras influências

Os Neofreudianos e a Psicologia do Ego
Os neufreudianos foram analistas que discordavam de parte das visões básicas de Freud, trabalhavam baseados no estudo de Freud a fim de aperfeiçoá-lo. Entre esses analistas estão sua filha Anna e os teóricos do objeto Melanie Klein e Heinz Kohut.
A principal mudança introduzida por eles foi a expansão do conceito do ego, o qual, para eles, era dotado de um papel mais abrangente do que apenas servir ao id.
Outra alteração introduzida pelos neufreudianos foi a redução da ênfase na influência das forças biológicas sobre a personalidade.
Anna Freud
Foi a líder da psicologia do ego neofreudiana.
Desenvolveu uma abordagem para a aplicação da terapia psicanalítica em crianças, levando em conta a relativa imaturidade e o nível da capacidade verbal infantil.
Ampliou o papel do ego, argumentando que este opera independente do id.
Melanie Klein

concentrava-se na ligação emocional intensa entre mãe e filho, principalmente durante os seis primeiros meses de vida do bebê
Descreveu a ligação entre o bebê e a mãe em termos sociais e cognitivos, e não em termos sexuais.
Heinz Kohut

A ênfase de Kohut é na formação do self nuclear, que ele descreve como base para a pessoa se tornar independente, capaz de tomar iniciativas e integrar ambições e ideais. O self nuclear desenvolve-se a partir das relações formadas entre a criança e os supostos objetos do self no ambiente. Estes objetos do self são as pessoas que desempenham um papel tão importante na nossa vida que, quando crianças, acreditamos que elas sejam parte do nosso self.

Kohut enfatizou que seu trabalho era uma continuidade do trabalho de Freud. Não considerava a sua psicologia do eu como uma variação da psicanálise freudiana, mas sim, uma expansão ou extensão dela.
As teorias das relações entre os objetos

Freud usava a palavra “objeto” para se referir a qualquer pessoa, objeto ou atividade com capacidade para satisfazer ao instinto.
As teorias dos objetos concentram-se nas relações interpessoais entre esses objetos, enquanto a de Freud enfocava mais os impulsos instintivos propriamente ditos.
Os adeptos da teoria dos objetos afirmam que as questões mais cruciais no desenvolvimento da personalidade envolveram o aumento da capacidade e da necessidade da criança, com o passar do tempo, de libertar-se do objeto primário (a mãe) a fim de estabelecer uma firme noção de si mesma e desenvolver relações como outros objetos (pessoas).

Equipe:
Isabela Fernandes
Larissa Lorena
Lizandra Ciraulo
Vitória Felix
OBRIGADA!
Full transcript