Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Ética Empresarial

Especialização da Escola de Negócios
by

fred trevisan

on 9 October 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ética Empresarial

Empresarial
Ética
Fred Trevisan
A diferença entre ética e moral
Muitas vezes os termos ética e moral são usadas como sinônimos, mas é possível fazer uma distinção entre eles.
Diferença entre norma moral e norma jurídica
Ambas, as normas morais e as normas jurídicas são estabelecidas pelos membros da comunidade, ou sociedade, e ambas se destinam a regulamentar as relações nesse grupo de pessoas.
Ética profissional
A ética profissional pode ser definida como um conjunto de normas de conduta que deverão ser postas em prática no exercício de qualquer profissão. É uma ação "reguladora" da ética agindo no desempenho das profissões, fazendo com que o profissional respeite seu semelhante quando no exercício da sua profissão.
As virtudes profissionais
Na revista EXAME, sob o tema: A santíssima trindade que leva ao sucesso: Responsabilidade, lealdade e iniciativa, o consultor dinamarquês Clauss MOLLER (1996, p.103-104) faz uma associação entre as virtudes lealdade, responsabilidade e iniciativa como fundamentais para a formação de recursos humanos. Segundo Clauss Moller o futuro de uma carreira depende dessas três virtudes.
Mas, o que é virtude?
A palavra moral vem do latim mos mor, “costumes”, e refere-se ao conjunto de normas que orientam o comportamento humano tendo sempre como base os valores próprios a uma dada comunidade ou cultura.
No campo da moral podemos formular questões como:
O que devo fazer para ser justo?
Que tipo de atitudes devo praticar como pessoa e como cidadão?
A palavra ética, por sua vez, deriva do grego ethikos, “modo de ser”, “comportamento” , e se aplica a disciplina filosófica que busca analisar os diversos sistemas morais, na tentativa de compreender a fundamentação das normas e proibições próprias a cada um e explicar seus pressupostos, ou seja, as concepções sobre o ser humano e a existência humana que os sustentam.
Dessa forma, podemos afirmar que a ética é uma disciplina teórica sobre uma prática humana que, na verdade, é o comportamento moral.
Se, como vimos, a moral é o conjunto de normas de conduta de uma sociedade, então, qual a diferença entre normas morais e normas jurídicas?
O Direito  estabelece o regramento de uma sociedade delimitada pelas fronteiras do Estado. As leis tem uma base territorial, elas valem para aquela área geográfica específica, onde uma determinada população ou seus delegados vivem. 
A esfera da moral é mais ampla, atingindo diversos aspectos da vida humana, enquanto a esfera do direito se restringe a questões específicas nascidas da interferência de condutas sociais.
Das condutas sociais surgem os dilemas éticos.
E a Ética profissional?
A ética profissional estuda e regular o relacionamento do profissional, visando a dignidade humana e a construção do bem-estar em seu contexto sócio-cultural onde exerce sua profissão.
RESPONSABILIDADE
O senso de responsabilidade é o elemento fundamental da empregabilidade. Sem responsabilidade a pessoa não pode demonstrar lealdade nem espírito de iniciativa. Dificilmente alguém vai se engajar e esforçar-se ao máximo, a não ser que se sinta responsável.
Uma pessoa que se sinta responsável pelos resultados da equipe terá maior probabilidade de agir da maneira mais favorável aos interesses da equipe e de seus clientes, dentro e fora da organização. Ela tende a demonstrar lealdade para com as pessoas e metas da equipe e contribuir para a manutenção de um espírito de equipe, tomando a iniciativa para fazer com que as coisas funcionem no trabalho cotidiano e para melhorar e desenvolver a equipe.
Muitos empresários e executivos sonham em criar uma organização em que todos os funcionários vivam felizes e se esforcem ao máximo. Na maioria dos casos, esse sonho não se concretiza. Existe, em muitas empresas, uma falta de engajamento que dificulta a concretização desse sonho. Essa ausência cria uma diferença muito grande entre o nível de desempenho realmente obtido pelos funcionários e o nível de desempenho que eles poderiam alcançar caso se esforçassem ao máximo. Para que o sonho de bem-estar e bom desempenho dos funcionários possa vir a tornar-se realidade, é preciso eliminar essa falta de engajamento.
LEALDADE
A lealdade é o segundo dos três principais elementos que compõem a empregabilidade. Um funcionário leal se alegra quando sua organização ou seu departamento é bem-sucedido, defende a organização, tomando medidas concretas quando ela é ameaçada, tem orgulho de fazer parte da organização, fala positivamente sobre ela e a defende contra críticas. Lealdade não quer dizer necessariamente fazer o que a pessoa ou organização à qual você quer ser fiel quer que você faça. Lealdade não é sinônimo de obediência cega. Lealdade significa fazer críticas construtivas, mas as manter dentro do âmbito da organização. Significa agir com a convicção de que seu comportamento vai promover os legítimos interesses da organização.
Lealdade não significa aceitar trabalho e tarefas de todos na organização. Lealdade é aprender a dizer um não inequívoco, especialmente nos casos em que dizer sim implicaria comprometer uma parte grande demais de seu tempo e seus recursos. Ser leal sem precisar ser obediente é empregabilidade. Lembre:
Empregabilidade não significa ser simpático e dizer sim toda vez que outras pessoas lhe pedem para fazer alguma coisa. Empregabilidade significa dizer não quando você sabe que não poderá desempenhar a tarefa com o nível desejado de qualidade.
INICIATIVA
Tomar a iniciativa de fazer algo no interesse da organização significa, ao mesmo tempo, demonstrar lealdade pela organização. Em um contexto de empregabilidade, tomar iniciativas não quer dizer apenas iniciar um projeto no interesse da organização ou da equipe, mas também assumir responsabilidade por sua complementação e implementação.
Para que possamos usar todo nosso espírito de iniciativa, precisamos de um certo grau de liberdade. A direção da organização pode ajudar a criar uma estrutura em que os funcionários têm liberdade de agir com base em suas próprias iniciativas, e são incentivados a fazê-lo. A cultura empresarial deve ser uma cultura que acolhe o espírito de iniciativa de braços abertos, e não o vê como ingerência excessiva. Normalmente, é preciso que existam os seguintes requisitos prévios para que as iniciativas de todos dêem em bons resultados:
As metas da organização são conhecidas e aceitas por aqueles que usam seu espírito de iniciativa.
Virtude é uma qualidade moral particular e vem do grego e latim. Virtude é a disposição de um indivíduo de praticar o bem; e não é apenas uma caracterísitca, característica, trata-se de uma verdadeira inclinação, virtudes são todos os hábitos constantes que levam o homem para o caminho do bem. Há diferentes usos do termo relacionado à força, a coragem, o poder de agir, a eficácia de um ou a integridade da mente.
Full transcript