Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of PRIMEIRO LIVRO, OS SEIS LIVROS DA REPÚBLICA. JEAN BODIN

TRABALHO DO PROF RONALDO, UNI-RN
by

Davi Soares de Oliveira

on 6 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of PRIMEIRO LIVRO, OS SEIS LIVROS DA REPÚBLICA. JEAN BODIN

COMPONENTES:

FERNANDO BEZERRIL

LIENE GUEDES

MARYLAND DANTAS

CYRO FERNANDES

MARJÓRIA SANTOS

YURI WANDERLEY MUITO OBRIGADO! SEMINÁRIO DE INTRODUÇÃO À CIÊNCIA POLÍTICA E À TEORIA DO ESTADO PROF: RONALDO ALENCAR PRIMEIRO LIVRO JEAN BODIN CAPÍTULO III
DO PODER MARITAL E DE SE É CONVENIENTE RENOVAR A LEI DO REPÚDIO CAPÍTULO I QUAL O FIM PRINCIPAL DA REPÚBLICA BEM ORDENADA DEFINIÇÃO REPÚBLICA É UM RETO GOVERNO DE VÁRIOS LARES E DO QUE LHES É COMUM, COM PODER SOBERANO ARISTÓTELES "EIS PORQUE OS ANTIGOS CHAMAVAM DE REPÚBLICA UMA SOCIEDADE DE HOMENS REUNIDOS PARA BEM E FELIZMENTE VIVER" PRINCIPAIS PONTOS A FAMÍLIA
A SOBERANIA
AQUILO QUE É COMUM A UMA REPÚBLICA O TERRITÓRIO ENQUANTO ELEMENTO DA REPÚBLICA A República deve dispor, em primeiro plano, de:
Território suficiente e um lugar adequado para seus habitantes.
Solos abundantemente férteis e gado suficientes para o alimento e vestimenta de seus súditos.
Condições climáticas favoráveis.
Materiais próprios para construção de casas, praças-fortes, para proteção. O apetite A busca pelo que não é útil, mas prazeroso.
Despreocupação quanto à
virtudes morais,
as belas ciências
contemplação das coisas naturais e divinas.
O vicioso detentor de uma prudência medíocre. O homem sem vícios.
“Desejo perpétuo de encontrar a ‘causa primeira’ e aquele que foi o autor de tão bela obra prima”.
Transcendência metafísica, por meio da contemplação.
Existência de um único Deus eterno e infinito. CAPÍTULO II DO LAR E DA DIFERENÇA ENTRE A REPÚBLICA E A FAMÍLIA - LAR É UM RETO GOVERNO DE VÁRIOS SÚDITOS, sob a obediência de um chefe de família, e de tudo aquilo que lhe é próprio.

- ADMINISTRAÇÃO DO LAR É UM RETO GOVERNO DA FAMÍLIA, o poder que o chefe da família tem sobre os seus e a obediência que lhe é devida. - A base da sociedade é a FAMÍLIA, cujo patriarca concentra o poder no âmbito do privado.
Se for bem conduzida ela representa a República, correspondendo o poder doméstico ao poder soberano.
Assim, um bom governo doméstico serve de espelho para o governo da República. COMPOSIÇÃO DA REPÚBLICA
- REPÚBLICA É O RETO GOVERNO DE “VÁRIOS” LARES (3 lares perfeitos = 15 pessoas (povo)).

LEI – COLÉGIO – COMPOSTO DE PELO MENOS 3 PESSOAS CÉLULA DA SOCIEDADE: FAMÍLIA (LAR PERFEITO)

COMPOSIÇÃO (pelo menos 5 pessoas): CHEFE DE FAMÍLIA

MÃE

FILHOS

SERVOS

ESCRAVOS Conclusão: A República é a união de um povo sob uma senhoria soberana, ainda que haja apenas 03 (três) lares. - Um Estado não se constituirá numa comunidade civil se não estiver sob o domínio de um soberano assim como uma unidade doméstica não comporá uma família se os membros não estiverem sujeitos a um chefe de família. Assim, a República pode abarcar várias comunidades civis e províncias cujos costumes sejam diferentes mas que se sujeitem a um único soberano. - Para haver República é preciso que haja algo em comum e público:
Domínio Púbico
Tesouro Público
Templos
Praças
Leis O poder soberano é o verdadeiro fundamento e eixo em torno do qual gira o estado de uma citandade;
Além de soberania é preciso que haja algo de comum e de público;
Não existe coisa pública se não houver alguma coisa de próprio;
"Como a República é um reto governo de várias famílias e do que lhes é comum com poder soberano, assim também a família é um reto governo de vários súditos sob a obediência e do que lhe é próprio: nisso reside a verdadeira diferença entre a República e a família."
As famílias podem ter seus estatutos particulares; Poder de comandar outrem
Público: Lei
Particular: Chefe das famílias Comando dos Lares:
Marido para com a mulher
Pai para com as crianças
Senhor para com os escravos
mestre para com os servidores Primeiro e mais antigo comando que existe: Razão sobre o apetite bestial.

Poder do marido sobre a mulher: fonte e origem de toda a sociedade humana.

Lei de Rômulo: adultério, presumido uma criança, possuir chaves falsas, ter bebido vinho. Lei Oppia:
As mulheres não poderiam usar roupas coloridas.
Eram proibidas portar mais que uma onça de ouro. Lei Júlia:
Só o pai teria o poder de matar a filha, bem como o adúltero. Conclusão:
Todos esses são argumentos indubitáveis para mostrar autoridade, o poder e o comando que o marido detém sobre a mulher, de direito tanto divino quanto humano, e para sujeição, referência e obediência que a mulher deve ao marido em toda honra e coisa lícita.
Full transcript