Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Para Raíos

No description
by

Manel Frazao

on 9 March 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Para Raíos

Para-Raios
O para-raios foi inventado por Benjamin Franklin em 1752, quando fez uma perigosa experiencia utilizando um fio de metal para empinar uma pipa de papel e observou que a carga elétrica dos raios descia pelo dispositivo. Provou também que hastes de metal, quando em contato com a superfície terrestre poderiam servir como condutores elétricos, inventando assim, o para-raios.

Um para-raios é uma haste de metal pontiaguda que é conectada a cabos de cobre ou de alumínio de pequena resistividade que vão até o solo.





Zona de Proteção
Exenplos de para-raios em São Tomé e Príncipie
Raio é uma descarga elétrica de grande intensidade que ocorre na atmosfera, entre regiões eletricamente carregadas, e pode dar-se tanto no interior de uma nuvem, como entre nuvens ou entre uma nuvem e a terra. trovão (som estrondoso),
Relampago é uma intensa emissão de radiação eletromagnética também visível.
Relâmpago
Trovão
Trovão é o som gerado pela onda de choque provocada pelo aquecimento e subsequente expansão supersónica do ar atravessado por uma descarga eléctrica.
As pontas do para-raios servem para atrair os raios, assim que o raio é atraído ele é desviado até o solo pelos cabos e dissipado no solo. O fato de falar que os para-raios atraem os raios é uma maneira para compreendermos melhor, mas na verdade os para-raios não atraem os raios, apenas oferecem um caminho para chegar ao solo com pouca resistividade.


Durante as tempestades violentas as nuvens carregam-se intensamente de eletricidade. Soltam então faíscas gigantescas dessas nuvens para a Terra. Essa descarga elétrica arranca eletrões das moléculas dos constituintes do ar. Quando se dá a ionização, que é muito violenta, produz-se luz.

Formação de um raio
Torre de controlo do aeroporto
Antena do instituto de meteorología
Torre do quartel militar
Full transcript