Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Moderno, Pós-moderno, Contemporâneo

No description
by

Leilane Rigatto

on 23 April 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Moderno, Pós-moderno, Contemporâneo

OLIVIER THEYSKENS, designer de Bruxelas, já vestiu a Madonna. Hoje é diretor artístico para as coleções femininas de Rochas. VÉRONIQUE LEROY tem uma coleção de mesmo nome enquanto dirige a criação da casa Léonard Paris. AF VANDEVORST, duo da Antuérpia composto de Filip Arickx e An Vandevorst, é reconhecido por sua elegância e por ser uma das grifes preferidas de várias atrizes famosas nos EUA. LAETITIA CRAHAY é responsável pelas jóias e acessórios da Chanel. A designer americana DIANE VON FURSTENBERG é na verdade originária de Bruxelas. VÉRONIQUE BRANQUINHO recebeu o VH1 Fashion Award, mostrando seu sucesso americano. “O BOMBARDEIO DE IMAGENS A QUE AS PESSOAS ESTÃO EXPOSTAS, PRINCIPALMENTE NAS CIDADES, TEM POR CONSEQUÊNCIA A PARALISAÇÃO DA IMAGINAÇÃO COMO FACULDADE PRODUTORA DE IMAGENS. ESSA FALTA DE EMISSÃO DE IMAGENS TEM POR CONSEQUÊNCIA A ACEITAÇÃO PASSIVA DAS IMAGENS QUE FORMAM O AMBIENTE EFÊMERO, MAS REAL, DA EXISTÊNCIA. ISSO SIGNIFICA...ALIENAÇÃO.”

ESSA ALIENAÇÃO, POR SUA VEZ, SOMADA À FALTA DE INTEGRAÇÃO AO AMBIENTE E À PARALISAÇÃO DA IMAGINAÇÃO LEVAM À PATOLOGIA URBANA MANIFESTADA PELA VIOLÊNCIA, PELO VANDALISMO, PELO USO/TRÁFICO DE DROGAS E PELA NEUROSE COLETIVA.

HISTÓRIA DA ARTE COMO HISTÓRIA DA CIDADE
ARGAN, 2005: 265 O design e seus arquétipos

“Os cadernos moleskine, com suas capas duras características, seus cantos arredondados, suas proporções delgadas e sua tira de elástico, são para esta década o que os Filofax foram para os anos 80.”

“Na cinta que circunda o moleskine embaixo da embalagem transparente de polietileno, eles também se descrevem como o “lendário caderno de Van Gogh e Matisse, Hemingway e Chatwin”, e assim parecem sugerir talento por associação.”

(SUDJIC, 2010: 76)

Arquétipo – conteúdo imagístico e simbólico do inconsciente coletivo, compartilhado por toda a humanidade. Perfeição, sublime, modelo, simulacro. AS FOUR “6 da Antuérpia”

Dries Van Noten,
Ann Demeulemeester,
Dirk Bikkembergs,
Martin Margiela,
Walter Von Beirendonck,
Dirk Van Saene

E A COMPLEXIDADE REENCONTRANDO SONHOS, 2005– BETH MOYSES SEM TÍTULO, 1991– FELIX GONZALES-TORRES ESPREMEDOR DE LARANJAS – JUICY SALIF, 1990 – PHILIP STARCK –
FOI DIRETOR DE ARTE DE PIERRE CARDIN EM 1969 SACA ROLHAS ANNA G. PARA A ALESSI– ALESSANDRO MENDINI – 1994 GUGGENHEIM BILBAO-ESPANHA, 1997 – FRANK GEHRY AZEDINE ALAÏA – DÉCADA DE 80 FINAL SIMBÓLICO DO MODERNISMO NA ARQUITETURA

15/07/1972

15h e 32 min

Demolição do conjunto habitacional “Pruitt-Igoe” em Saint Louis, Missouri, EUA;

Esse edíficio era uma habitação popular obra de Minoru Yamasaki (WTC), arquiteto americano que seguia o Estilo Internacional;

A obra era considerada uma máquina para a vida moderna descrita por Le Corbusier. SEM TÍTULO, s.d. – CARL ANDRE SEM TÍTULO, 1960 – DONALD JUDD APARELHO DE BARBEAR DA BRAUN, 1960 – DIETER RAMS MODERNISMO NO BRASIL, “O ABAPORU”, 1928 – TARSILA DO AMARAL VILLE SAVOYE-FRANÇA, 1929 – LE CORBUSIER JEAN-PIERRE JEUNET -1991 MODERNO

PÓS-MODERNO

QUEDA DO MURO DE BERLIM

CONTEMPORÂNEO

MICROPOLÍTICAS DRIES VAN NOTEN MEMÓRIA DO AFETO, 2005– BETH MOYSES
SEVILHA, ESPANHA MOLESKINE, JANEIRO de 2012 – LEGO CONTEMPORÂNEO
90 DANCE HALL, PRAGA, REPÚBLICA TCHECA, 1996 – FRANK GEHRY JEAN PAUL GAULTIER – 1990 – BLONDE AMBITION - MADONNA JEAN PAUL GAULTIER – 1990 – BLONDE AMBITION - MADONNA JEAN PAUL GAULTIER – 1990 – BLONDE AMBITION - MADONNA MEU PRIMEIRO GRADIENTE – MICHEL PIMENTEL – DÉC. 80 PÓS-MODERNIDADE
60/70 TRANSIÇÃO DO MODERNO PARA O PÓS-MODERNO
60/70 POEMAS NEOCONCRETOS / BRASIL

FERREIRA GULLAR,1959

“Diante da folha de papel em branco, compreendi que, para alcançar aquele resultado — obrigar o leitor a ler o poema palavra por palavra —, a única maneira seria fazer com que as palavras surgissem uma a uma diante de seus olhos e, para isso, teria que escrevê-las no verso do papel (...) A próxima palavra viria com o passar da página, no verso da folha seguinte.  Ferreira Gullar
OUTRAS REFERÊNCIAS

PAUL POIRET
COCO CHANEL
JACQUES FATH
JEAN PATOU

ART DÉCO E O MINIMALISMO ROUPA DE TRABALHO MASCULINA, 1922, ALEKSANDR RÓDTCHENKO MADEMOISELLE CHANEL, DÉCADA DE 20, CHANEL AS FOUR ADI, GABI E ANGE (KAI). AS FOUR EVENTUALMENTE TRABALHA PARA DIRK BIKKEMBERGS MARINA YEE DIRK VAN SAENE WALTER VAN BEIRENDONCK MARTIN MARGIELA 2ND HAND MARTIN MARGIELA 2ND HAND DIRK BIKKEMBERGS ANN DEMEULEMEESTER BASTIDORES, 1997– ROSANA PAULINO LOVE MAGAZINE, FEVEREIRO DE 2009
– BETH DITTO DAZED & CONFUSED, MAIO de 2009 – BETH DITTO YUPPIE FALANDO AO CELULAR, DÉCADA DE 80 YUPPIE = young urban professional ou Young Upwards Persons (em português: Pessoas Jovens em Ascensão)
OUTRAS REFERÊNCIAS

JEAN PAUL GAULTIER
AZEDINE ALAÏA
VIVIENNE WESTWOOD
CHRISTIAN LACROIX E O MAXIMALISMO VESTIDO TELA EM TELA DE QUADRO, 1982 – ROBERT COMBAS PARA JEANS-CHARLES CASTELBAJAC ESTANTE GRUPO MENPHIS – DÉC. 80 – ETTORE SOTTSASS PÓS-MODERNIDADE
60/70 HEUREKA, s.d. – JOHN TINGUELY / HOMAGE TO NY, s.d. – JOHN TINGUELY CALCULADORA iPHONE, 2007 – JONATHAN IVE CALCULADORA BRAUN, 1960 – DIETER RAMS JEAN-PIERRE JEUNET -1991 MARJAN PEJOSKI BILLIE HOLIDAY – 1915-1959 STRANGE FRUIT
DAVID MARGOLICK Trajetória da famosa canção de protesto contra o racismo, cuja letra – bastante corajosa para a época, 1939 – falava abertamente nos negros enforcados balançando nas árvores (daí o "fruto estranho"). O linchamento de afrodescendentes era prática comum e os culpados frequentemente saíam impunes. Ainda que não fosse muito politizada, Billie Holiday encarou o desafio de cantar "Strange Fruit" pela primeira vez em público, no mítico Café Society, em Nova York. A repercussão foi enorme, o que deu força inaudita ao movimento dos direitos civis. É através dessa história fascinante que o jornalista David Margolick revela as entranhas dos Estados Unidos nos anos 30 e 40, um país dividido entre negros e brancos, progressistas e retrógrados.  YUPPIE = young urban professional ou Young Upwards Persons
(em português: Pessoas Jovens em Ascensão) MOLESKINE, FINAL DO SÉCULO XIX (1880 APROX.) –
O CADERNO COM “AURA” POR SER USADO POR GRANDES ARTISTAS. FILOFAX, 1921 – FABRICADO NOS EUA
FOI FEBRE TAMBÉM NA INGLATERRA
NA DÉCADA DE 80 SOB A ÉGIDE DA CULTURA YUPPIE. GEL WET LOOK DA L’ÓREAL, DÉCADA DE 80 Neoplasticismo / Modernismo
A prova de que o Pós-moderno rompe com os ditames modernos sem no entanto negá-lo é a influência do design moderno sobre objetos de design do perído pós-moderno COMPOSIÇÃO EM VERMELHO, AMARELO E AZUL,
1921 – PIET MONDRIAN CRIME, POBREZA E SEGREGAÇÃO “PRUITT-IGOE, 1954-56 – MINORU YAMASAKI JEAN-PIERRE JEUNET - 2001 ABRAVANATION REVOLUÇÃO NEUTRALIZADA, 2012 - BJARI CONTEMPORÂNEO
60/70 VOGUE, OUTUBRO de 2011 – ADELE VOGUE, MARÇO de 2012 – ADELE QUEDA DO MURO DE BERLIM, 1989 JEAN-PIERRE JEUNET -1991 MARTIN MARGIELA 2ND HAND
Full transcript