Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Avaliação do Ciclo de Vida (ACV)

No description
by

Lorena Silva

on 4 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Avaliação do Ciclo de Vida (ACV)

Avaliação do Ciclo de Vida (ACV)
&
Design for the Environment (DFE)



Pensamento “ciclo de vida”

Implica que todos os atores envolvidos na cadeia completa do ciclo de vida de um produto têm responsabilidade no que se trata aos efeitos externos produzidos por estes produtos.

Os impactos de todas as etapas do ciclo de vida devem ser considerados a fim de tomar decisões claras sobre os modelos de produção e consumo, assim como sobre as políticas e as estratégias de gestão.

Klaus Toepfer, Diretor executivo, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente
(PNUMA)

Por que o ciclo de vida?
Mestranda: Lorena Sena
A ACV de um produto, processo ou atividade é uma avaliação sistemática que quantifica os fluxos de energia e de materiais no ciclo de vida do produto. •


“A avaliação inclui o ciclo de vida completo do produto, processo ou atividade, ou seja, a extração e o processamento de matérias-primas, a fabricação, o transporte e a distribuição; o uso, o reemprego, a manutenção; a reciclagem, a reutilização e a disposição final".
(Society for Environmental Toxicology and Chemistry - SETAC)
“uma ferramenta para avaliar, de forma holística, um produto ou uma atividade durante todo seu ciclo de vida”
(EPA)







O ciclo nada mais é que a história do produto, desde a fase de extração das matérias primas , passando pela fase de produção, distribuição, consumo, uso e até sua transformação em lixo ou resíduo. Quando se avalia o impacto ambiental de um carro deve-se considerar não só a poluição causada pelo funcionamento do veículo, mas, também, os possíveis danos causados pelo processo de fabricação, pela energia que utiliza, pela produção de seus diversos componentes, seu destino final, etc.

O Ciclo de Vida do Produto. [Fonte: MANZINI e VEZZOLI. 2002, p. 92]
Análise do Ciclo de Vida
OS seguintes processos no Ciclo de Vida do Produto: extração, processamento da matéria-rima, produção, distribuição, uso (reuso e reciclagem) e descarte final

A ACV pode ajudar:
- na identificação de oportunidades para melhorar os aspectos ambientais dos produtos em vários pontos de seu ciclode vida;

- na tomada de decisões na indústria, organizações governamentais ou não-governamentais (por exemplo, planejamento estratégico, definição de prioridades, projeto ou reprojeto de produtos ou processos);

- na seleção de indicadores pertinentes de desempenho ambiental, incluindo técnicas de medição; e

- no marketing (por exemplo, uma declaração ambiental, um programa de rotulagem ecológica ou uma declaração ambiental de produto)

Limitações ....
- a natureza das escolhas e suposições feitas na ACV (por exemplo, estabelecimento das fronteiras do sistema, seleção das fontes de dados e categorias de impacto) pode ser subjetiva;

- os modelos usados para análise de inventário ou para avaliar impactos ambientais são limitados pelas suas suposições e podem não estar disponíveis para todos os impactos potenciais ou aplicações;

- os resultados de estudos de ACV enfocando questões globais ou regionais podem não ser apropriados para aplicações locais, isto é, as condições locais podem não ser adequadamente representadas pelas condições globais ou regionais;

- a falta de dimensões espaciais e temporais dos dados do inventário usados para avaliar o impacto introduzincerteza nos resultados dos impactos. Esta incerteza varia de acordo com as características espaciais e temporais de cada categoria de impacto.

Definição de ACV segundo a ISO 14040
"A ACV estuda os apectos ambientais e os impactos potenciais ao longo da vida de um produto( isto é, do "berço ao túmulo"), desde a aquisição da matéria-prima, passando por produção, uso e disposição. as categorias gerais de impactos ambientais que necessitam ser consideradas inclsuem uso de recuso, a sáude humana e as consequencias ecológicas)."
Primeira fase - Planejamento
1) Definir o objetivo: “Escolher o processo ou produto que possui menor efeito sobre a saúde humana e o meio ambiente”;

2) Definir que tipo de informação é necessária para agregar valor: “Estabelecer quais são as informações base dos processos considerados”;

3) Definir a especificidade requerida: “Estabelecer qual o grau de precisão dos resultados”;

4) Determinar como os dados devem ser organizados e como os resultados devem ser interpretados: “Definir quais etapas serão consideradas, qual metodologia será utilizada para avaliar o impacto e através de quais categorias”;

5) Definir o escopo: “Definir a unidade funcional, a função e os limites do sistema”;

6) Determinar as regras básicas: “Relatar todas as decisões tomadas durante o estudo, e qual o procedimento será tomado para garantir a qualidade dos dados (revisão de especialista na área, ou das partes interessadas pelo estudo)”.


Colher de Polistireno
_Objetivo e Escopo_
Fronteiras
segunda fase - Inventário
O Inventário do Ciclo de Vida de um produto refere -se à coleta de dados e aos procedimentos de cálculos.

Em tese, o inventário é semelhante a um balanço contábil-fínanceiro, só que medido em termos energéticos ou de massa. O total do que entra no sistema em estudo deve ser igual ao que sai. De uma forma geral deve-se organizar a fase de análise do inventário de acordo com as seguintes atividades:

1. preparação para a coleta de dados, coleta de dados,
2. refinamento dos limites do sistema,
3. determinação dos procedimentos de cálculo e
4. procedimentos de alocação.

Terceira Fase - Avaliações
Uma vez que as emissões para o ambiente foram identificadas e apresentadas na tabela de resultados do inventário, os impactos de cada emissão devem ser caracterizados e avaliados.

A avaliação procura determinar a severidade dos impactos. são definidas três etapas: classificação, caracterização e valoração
EXEMPLO
Contrução do Fluxograma
pontos de produção e destinação de resíduos
as quantidades de material que circulam e que deixam o sistema
a poluição associada a uma unidade do sistema
pontos críticos de desperdício de matéria prima ou de produção de resíduos

Indentifica-se
Se faz o balanço de massa onde todos os fluxos de entrada devem corresponder a um fluxo de saída quantificada em produto, residuo ou emissão

Cada estágio da manufatura/processo pode ser inspecioada para o mais importante para redução de residuos.
SIMPLIFICADA
COMPLETO
A ACV simplificada não permite avaliar o impacto ambiental da “existência” do produto, mas pode ser usada para:
•Avaliar o impacto ambiental das atividades de fabricação
•Avaliar a eficiência do processo
•Determinar pontos críticos para melhorias

Os resultados da fase de inventário são apresentados em tabelas para realização da próxima fase, a avaliação do impacto
STREAMLIENED LCA
ETAPAS
Classificação
Classificam-se os impactos de acordo com o meio receptor ou com os efeitos ambientais.
O meio receptor (meio físico) é aquele em que o resíduo é descartado (água, ar, solo).

As categorias gerais são o esgotamento de recursos, a saúde humana e os impactos ecológicos.

Os efeitos ambientais considerados são as conseqüências do descarte:
- esgotamento de matérias primas,
- potencial de aquecimento global,
- potencial de redução da camada de ozônio,
- potencial de acidificação.

Caracterização
Valoração
A terceira etapa da destina-se a interpretar os valores obtidos na etapa anterior. Esta etapa é utilizada no desenvolvimento, melhoria e comparação entre produtos e processos
os itens do inventário com emissões acima das permitidas pela legislação local são selecionados e modelos de conversão são utilizados para quantificar os danos ao ambiente.

Cada emissão individual de um componente químico específico, kg/ano, é multiplicada por um “fator peso” que a relaciona com a categoria de impacto

Uma substância pode estar associada a mais de uma categoria de impacto, com diferentes efeitos sobre cada categoria.

O “fator peso” reflete o impacto ambiental de 1 kg deste componente químico em relação ao impacto de 1kg da substância de referência de cada categoria.




Se uma substância A é 20 vezes mais persistente e 5 vezes mais tóxica que a substância B em relação ao GWP. Considera-se que o descarte de 1 kg da substância A causará o mesmo dano ao ambiente que o descarte de 100 kg da substância B.


Ecodesign
“Integração dos aspectos ambientais na concepção e desenvolvimento de produtos, com o objetivo de reduzir os impactos ambientais adversos ao longo do ciclo de vida do produto, da extração de matéria-prima até o fim de vida”. ISO 14006

EUA: Design for Environment (DfE)
Europa: Ecodesign
Alguns sinônimos
Green Design
Environmentally conscious Design
Clean Design
Environmentally Oriented Product Design
Life Cycle Design

Ecodesign
DFx
DfX (Design for X), onde X que deve ser maximizada

O Projeto para o Ambiente (Design for the Environment - DfE) deve
examinar todo o ciclo de vida do produto e propor alterações no projeto
de forma a minimizar o impacto ambiental do produto desde sua
fabricação até seu descarte
DFe
considerar ambientalmente todo o ciclo de vida do produto
escolher os materiais mais adequados, naturais ou não,
considerar o consumo de energia, maximizando o uso de fontes renováveis de energia
aumentar a vida do produto
usar o mínimo de material e evitar a utilização de materiais escassos
usar produtos recicláveis ou reutilizáveis, reduzindo ou eliminando o uso de materiais virgens
reduzir ou eliminar o uso de materiais tóxicos, inflamáveis e explosivos reduzir ou eliminar o armazenamento e emissão de materiais perigosos
alcançar ou exceder as metas da regulamentação
reduzir ou eliminar o uso de materiais ligados à degradação da camada de ozônio e às mudanças climáticas
melhorar a logística de distribuição minimizando a necessidade de transporte


Com base na ACV, pode-se iniciar o projeto de um produto com conhecimento do fluxo total dos materiais
Grandes empresas têm utilizado programas de DfE para projetar
produtos e processos que facilitem e retorno do produto para a empresa, sua desmontagem para posterior remanufatura e reciclagem

Os componentes devem ser facilmente acessíveis, rapidamente retirados para substituição, evitando-se a utilização de componente fixados com cola ou solda, que dificultam sua reparação (Apple).

o conceito do DFE começou a ganhar força a partir da década de
1990. A idéia de incluir questões ambientais durante o projeto de produtos teria surgido
através de esforços das indústrias de eletrônicos dos EUA, que buscavam uma forma de
produção que causasse o mínimo de impacto adverso ao meio ambiente

A partir da metade do século XX a abordagem reparatória das ações e pesquisas realizadas passam a mudar seu foco para uma visão prevencionista, procurando direcionar as investigações ao campo das inovações, resultando em produtos que tenham como características; o baixo impacto ambiental, a capacidade de reciclagem, propriedades biodegradáveis e serem obtidos a partir de fontes renováveis e que não contaminem o ambiente durante seu ciclo de vida
Surge da necessidade de equilíbrio entre as atividades de desenvolver produtos/serviços e a exploração dos recursos naturais, propondo formas sustentáveis de conciliar a competitividade mercadológica de um produto com a qualidade ambiental
Exemplos e Iniciativas
Já imaginou que seria possivel subtistuir o isopor por um material feito a base de cogumelos? .....




Cradle to Cradle é um conceito que inspira a inovação para criar um sistema produtivo circular “do berço ao berço” onde não existe o conceito de lixo, tudo é nutriente para um novo ciclo e resíduos são de fato nutrientes que circulam em ciclos contínuos
Conceito “do berço ao berço”:
Papel supera o plástico?


Exercicios:
1)Entrega na próxima aula do exercicio impresso sobre inventário de ACV,

2) Usem seus atuais grupos do trabalho do produto que estão projetando para a disciplina, e com base no DFE apontando de forma qualitativa como ele impcataria mais positivamente em cada fase do ciclo de vida ( extração, processamento da matéria prima, produção, distribuição, uso -reuso e reciclagem- e descarte final).

Aqueles que estão trabalhando com aplicativos podem fazer para o produto celular.

Cada grupo apresenterá e venderá sua idéia em 3 minutos para a sala e no final o melhor será escolhido por votação.
http://www.ted.com/talks/eben_bayer_are_mushrooms_the_new_plastic#t-54974
http://www.ted.com/talks/leyla_acaroglu_paper_beats_plastic_how_to_rethink_environmental_folklore
Full transcript