Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Rádio

Rádio
by

Mariana de Paiva Araújo

on 26 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Rádio

Nas ondas do
- No início dos anos 20, o rádio havia se
disseminado nos Estados Unidos, com centenas de emissoras
espalhadas por todo território norte-americano.
O país foi o berço da primeira estação radiofônica do mundo, a KDKA de Pittsburgh, fundada em 1920.
- No Brasil, as primeiras demonstrações públicas do
veículo de comunicação aconteceram em 1922, nas
comemorações do Centenário da Independência, no Rio de
Janeiro. Uma estação transmissora foi montada no alto do
Corcovado e, por meio de receptores alto-falantes espalhados
pelo recinto da exposição, os presentes puderam ouvir o
pronunciamento do então presidente da República Epitácio
Pessoa.
Rádio
Apanhado histórico
O primeiro texto legal sobre a radiodifusão
brasileira é de 1931. O decreto 20.047 estabelecia que a radiodifusão deveria ser de caráter nacional e de
finalidade educativa.
E já a partir da década de 30, o rádio tomou novos rumos. Por meio do decreto 21.111, de 1932, o governo federal autorizou às emissoras, a veiculação de anúncios em 10% da sua transmissão.
Porém, antes do governo liberar o uso da propaganda, já se ouvia o primeiro jingle do rádio.
Naquele ano (1932), o compositor e cartunista Antonio Nassara improvisou um fado para vender os
serviços de qualidade de uma padaria, em Botafogo, no Rio de Janeiro. O texto dizia o seguinte: “seu padeiro, não se esqueça, tenha sempre na lembrança:
o melhor pão é o da Padaria Bragança”
(MOREIRA, S. 1991: p.22-23).
AUDIÊNCIA:
Um dos fatores que desencadearam o crescimento da audiência foi a redução do
preço dos receptores.

PROGRAMAÇÃO:
A programação variava entre o clássico e o popular.
Surgiram os primeiros ídolos, vindos, em sua maioria, da indústria de discos: Francisco Alves,
Carmem Miranda, entre outros.
O cenário nacional já contava com várias emissoras, com destaque para:
a Rádio São Paulo, a Cruzeiro do Sul e a Record, em São Paulo,
a Philips, a 13 Transmissora, a Rádio Clube do Brasil e a Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro.
EXPLOSÃO:
Entre as décadas de 40 e 50 o rádio foi considerado a “oitava arte”, nadou em recursos econômicos e desenvolveu como nunca as suas potencialidades, como centrodas atenções de artistas e intelectuais. (MEDITSCH,E. 2001: p.35).

Obs.: Nesta época, como mídia de massa, o rádio concorria apenas com os meios impressos.
Foi a primeira mídia eletrônica de massa.
REPÓRTER ESSO:
Um dos maiores sucessos do rádio brasileiro: 27 anos no ar, criando uma linguagem própria para o segmento.
CARACTERÍSTICAS:
- O rádio forma imagens
- O rádio fala para milhões
- O rádio fala para o indivíduo
- A velocidade do rádio
- O rádio não tem fronteiras
- A simplicidade do rádio
- O rádio é barato
- A natureza efêmera do rádio (vida curta para o ouvinte)
- O rádio como pano de fundo (acompanha tarefas diversas do ouvinte)
- Falta de espaço (tempo x pauta da programação - seleção)
- A personalidade do rádio (emoções da voz)
- O rádio pode sofrer interferências (interferências nas transmissões)
- O rádio para a sociedade (função social - informação e entretenimento)
TIPOS DE EMISSORA:
A classificação é feita a partir do método de financiamento, que influencia diretamente sobre a programação.

Obs.: Leitura da pg. 22 - Livro "Produção de rádio"
ESTÚDIO:
Estúdio de operação automática:
uma única sala que contem todo o equipamento - sala de controles + microfones.
Sala de controle + "estúdio":
Duas ou mais salas são usadas em conjunto para transmissão.
Obs.: Ver esquema de estúdio tradicional na pg. 26.
Estúdio digital (figura pg. 30)
Com o uso de COMPUTADORES é possível gravar, armazenar, manipular e executar o material de áudio na forma digital - os computadores oferecem uma grande qualidade sonora, bem como facilitam a edição e o acesso imediato a qualquer parte do programa.
O Computador pode ser usado de duas maneiras:

1. Como um terminal "stand-alone" capaz de editar, armazenar ou transmitir material, mas que não está conectado a nenhum outro computador.

2. Como parte de um sistema de rede integrado em que toda armazenagem do material é centralizada e este pode ser acessado ou manipulado por qualquer um dos terminais existentes.
COMERCIAIS
Normas para veiculação no rádio - "Cód. de Padrões e Prática de Propaganda e Patrocínio de Programas" do Conselho de Radiodifusão. São proibidas:
- propaganda que possa ser confundida com a programação;
- seja em nome de qualquer órgão político;
- demonstre parcialidade em questões de política atual ou controvérsia trabalhista;
- ataque ou deprecie injustamente outros produtos;
- inclua sons que possam criar risco de segurança para o motorista;

- faça uso da colocação do produto em programas;
- explore a supertição ou tire proveito do medo das pessoas;
- seja em nome de qualquer organização que pratique ou defenda atos ilegais;
- faça afirmações que provoquem uma impressão enganosa.
Recursos da propaganda no rádio:

- Texto (o rádio cria imagens)
- Pano de fundo : trilha e efeitos sonoros
- Público-alvo x emissora

Contar uma história tendo como recurso tangível o som e intangível, a imaginação do ouvinte.
Full transcript