Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Processo de Tomada de Decisão

Aula 20/Agosto - UNITAU - 4° Sem. RH
by

Osvaldo Campos

on 24 August 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Processo de Tomada de Decisão

Conceito de Decisão
Tomar decisões;

Problema ;

Oportunidade.
Ambientes que podem ser aplicados o processo decisório
Ambiente de Certeza;

Ambiente de Risco;

Ambiente de Incerteza.
Localização de problemas na organização
Referências
Chiavenato, Idalberto. Administração nos novos tempos. São Paulo: Makron Books, 1999.
Decisões programadas e não-programadas
Processo de Tomada de Decisão
O Processo Decisorial
1º Identificar a situação;

2º Obter Informações;

3º Gerar soluções alternativas;

4º Avaliar e escolher a melhor alternativa;

5º Transformar solução em ação;

6ºAvaliar os resultados.
Limitações do Processo Decisório
Aplicação de técnicas para soluções de problemas
Programadas
Não-programadas
Rotineiras;

Repetitivos;

Certeza;

Menos importantes;

Repostas Padronizadas.
Decisões novas;

Incertezas;

Não rotineiros;

Mais importantes;

Emergenciais.
Existem quatro situações que alertam o administrador para a existência de possíveis problemas

* Desvio da experiência passada;

* Um desvio de um conjunto de planos:;

* Problemas trazidos por outras pessoas;

* Desempenho dos concorrentes;
Método Cartesiano
• Princípio da dúvida: Não aceitar nada como verdadeiro enquanto não for conhecido como tal por nossa razão. A evidência está acima de tudo.

• Princípio da análise: Dividir todos os problemas em elementos, os mais simples, para resolvê-los um a um.

• Princípio da síntese: Ordenar o pensamento iniciando pelos elementos mais simples, fáceis de compreender, e subindo gradativamente aos mais complexos, reunindo-os em um todo.

• Princípio da enumeração: Fazer anotações completas e gerais de todos os elementos tratados, não omitindo nenhuma das partes ou componentes.

Brainstorming
Técnica utilizada para gerar ideias criativas que possam resolver problemas nas organizações. Envolve não mais que 15 participantes que se reúnem ao redor de uma mesa para gerar idéias ou sugestões.
• Maior o número de ideias, maior a probabilidade de boas ideias;
• Quanto menos convencional a ideia melhor;
• Quanto maior a quantidade de pessoas, maiores são a qualidade e a probabilidade de acerto;
• Quanto menor o senso crítico, mais inovadoras e criativas são as ideias;

Em 1637, o filósofo René Descartes publicou um livro, O discurso do método, apresentando uma metodologia sistemática para a solução de problemas. O método cartesiano se assente em quatro princípios:
Modo Estruturado
Modo não-estruturado
Um participante de cada vez em sequência.
O modo estruturado permite a obtenção da participação de todos. As idéias são anotadas em um quadro negro ou um flip chart, sem nenhuma preocupação de interpretar o que o participante quis dizer.
Nesse modo, as idéias são discutidas e reorganizadas para verificar quais são as que têm possibilidade de ser aplicada e de gerar soluções para o problema em foco.
Cada um fala sua idéia quando quiser e sem nenhuma sequência
Técnica de Análise do Campo de Força
Kurt Lewin definiu o conceito de que em toda situação há um campo dinâmico de forças e é afetada por dois grandes conjuntos de forças:de um lado, as forças positivas que tendem a impulsionar para a mudança e, de outro lado, as forças negativas que tendem a manter a permanência da situação atual. Se as forças positivas de mudança predominam, o problema tende a ser resolvido e eliminado. E se prevalecem as forças negativas, o problema será mantido e fortalecido.
Principio de Pareto
Vilfredo Pareto, um economista italiano, definiu o princípio de que os valores marjoritário (80% do seu valor) de um determinado grupo são decorrentes de uma parcela relativamente pequena de alguns de seus componentes (20% do seu número). Na prática, o seu princípio recebeu o nome de regra de 80 por 20.

O princípio de Pareto parte de uma representação gráfica feita através de um diagrama de barras verticais para chamar a atenção sobre os problemas mais importantes e prioritários que estão localizados nas barras mais altas, deixando as barras mais baixas para constatação posterior.
Gráfico de Ishikawa
Também conhecido como diagrama de espinha de peixe ou diagrama de causa e efeito, o gráfico de Kaoru Ishikawa procura, a partir dos efeitos (sintomas dos problemas), identificar todas as possibilidades de causas que estão provocando esses efeitos.
Formação pessoal;

Experiência;

Valores economicos;

Estado Emocional.
A utilidade do diagrama de espinha de peixe é identificar as causas que geram os efeitos e , sobretudo, as causas das causas.
Robbins, S. Decenzo,David. Fundamentos de Admianistração: conceitos essenciais e aplicações. 4ed. SP: Pearson 2004.
O Princípio de Pareto afirma que existe um forte desequilíbrio entre causas e efeitos, entre esforços e resultados e entre ações e objetivos alcançados. Afirma também que, de uma maneira genérica 80% dos resultados que obtemos estão relacionados com 20% dos nossos esforços. Ou seja, uma minoria de ações leva a maior parte dos resultados, em contrapartida, a maior parte das ações leva a menor parte dos resultados. A seguir alguns fatos que ilustram o Princípio de Pareto:
• 80% do total de vendas estão relacionados com 20% dos produtos;
• 80% dos lucros estão relacionados com 20% dos clientes;
• 80% dos acidentes de trânsito são causados por 20% dos motoristas;
• 80% dos usuários de computador usam apenas 20% dos recursos disponíveis;
• 80% do tempo usamos 20% de nossas roupas;
• 80% das pessoas preferem 20% dos sabores ou cores disponíveis;
• 80% dos resultados são obtidos por 20% dos funcionários.
A maioria das pessoas está lidando com algum tipo de problema: um barulho no carro, uma conta em atraso, um relatório incompleto, uma informação faltando, um fornecedor desorganizado.

Nestes momentos, a mente desenvolve três funções principais:
ANALISAR
SINTETIZAR E IMAGINAR
AVALIAR
Em acontecimentos imprevistos, recorremos ao que sabemos e aplicamos esses conhecimentos, tomando decisões que vão levar à solução do problema.

Os problemas estão por toda parte, assim como as soluções. A habilidade de pensar criativamente vem ganhando cada vez mais importância para os profissionais. Hoje já não é possível conceber o sucesso dissociado da criatividade, da habilidade de inovar e enxergar novas possibilidades.
Full transcript