Loading presentation...
Prezi is an interactive zooming presentation

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

“ O Bandarra “ de Mensagem

No description
by

Rodrigo Teixeira

on 4 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of “ O Bandarra “ de Mensagem

de Mensagem "O Bandarra" Bandarra foi um poeta popular
percursor do Sebastianismo e do 5º Império.

Fernado Pessoa apresenta Bandarra como o grande
profeta do povo. Análise do Poema Origem histórica de “ O Bandarra” O sujeito poético descreve-nos a figura de Bandarra, de como ele era e de como era o seu espírito ("sonhava, anónimo e disperso").

Este profeta do povo imaginava "o Império por Deus visto", ou seja, enquanto ele sonhava Deus via.

O seu sonho é como ele, "confuso como o Universo". É como se o Universo, embora confuso tivesse o seu próprio sentido.

Ele era "plebeu como Jesus Cristo". Humilde como Aquele que anunciou a Boa Nova Simbologia Numérica Análise Estílistica do Poema O poema é constituído por duas quadras, sendo os
seus versos octassilábicos, que possuem rima rica, cruzada de ritmo irregular.

As figuras de estilo presentes são:

-> Comparação;
-> Anáfora;
-> Sinédoque;
-> Perífrase. Na verdade Bandarra não é conhecido pelos seus feitos,
nem pela sua santidade, nem pela sua coragem, "não foi santo nem herói. Mas foi sagrado, escolhido por Deus como um "sinal", como um profeta.

Dedicou-se à escritura mesmo em tempos de Inquisição, era uma dedicação fervorosa em prol do futuro de Portugal. As suas palavras eram, como o seu coração, Portugal. Análise formal do poema: Sonhava, anónimo e disperso,
O Império por Deus mesmo visto,
Confuso como o Universo
E plebeu como Jesus Cristo.

Não foi nem santo nem herói,
Mas Deus sagrou com Seu sinal
Este, cujo coração foi
Não português, mas Portugal. O número três (número de profetas) surge numa espécie de confirmação da mensagem profética.

Existem números comuns a estes profetas:

O número dois tanto pode ter o significado de conflito, como de reflexão;

O número quatro simboliza a totalidade do criado e do revelado, ligando-se a Deus, por ser possível
relacionar-se com a cruz. Análise do Poema
Full transcript