Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Diabetes

No description
by

Hannah Karina

on 15 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Diabetes

Prof.ª Hannah Karina
hannahkarina@hotmail.com
981176117
DIABETES
Considerações Iniciais
Fisiopatologia
Tipos de Diabetes Melito
Manifestações Clínicas
Avaliação e achados diagnósticos
Complicações do diabetes
Manejo clínico
Manejo de enfermagem
Insípido/Insipidus
: distúrbio mais comum da neuro-hipófise e caracteriza-se por deficiência de hormônio antidiurético

Melito/Mellitus
: grupo de doenças metabólicas, caracterizadas por níveis elevados de glicose no sangue
Insulina
Comprometimento da tolerância à glicose (CTG)
Comprometimento da glicose em jejum (CGJ)
Cetoacidose diabética
Síndrome hiperosmolar hiperglicêmica
Diabetes Insípido
Diabetes Melito
A pituitária é responsável por liberar ADH para os rins e eles, dessa forma, aumentem a reabsorção de água da urina. Quando os fatores impedem a produção de ADH, os rins não conseguem reabsorver a água, eliminando-a na urina em excesso, diminuindo seu volume no organismo causando necessidade de reposição.

Alterações na insulina

Insulina > células beta do pâncreas > músculos, fígado e células adiposas
No meio celular realiza várias funções
transporte e o metabolismo da glicose
armazenamento de glicose no fígado > glicogênio
Períodos de jejum, pâncreas liberar insulina (peq. quantidade)
Com o glucagon estimula o fígado a liberar a glicose armazenada
Alterações no metabolismo celular aumentam a quantidade
Tipo 1 (insulinodependente)
Caracteriza-se pela destruição das células beta do pâncreas, devido a fatores genéticos, imunológicos e, possivelmente, ambientais (p. ex., virais). São necessárias injeções de insulina para controlar os níveis de glicemia

Tipo 2 (não insulinodependente)
Resulta da diminuição da sensibilidade à insulina (resistência à insulina) ou da diminuição na quantidade de insulina secretada

Gestacional
Caracteriza-se por qualquer grau de intolerância à glicose, com início durante a gravidez (segundo ou terceiro trimestre)
Poliúria
Polidipsia
Polifagia
Dormência/Formigamento em pés e mãos
Alterações na visão
Fadiga / Fraqueza
Feridas / Cicatrização lenta
• Exame físico e história completa (fatores de risco relevantes; sintomas do diabetes)

• Níveis elevados de glicemia
Glicose em jejum de 126 mg/dℓ ou mais
Glicose aleatórios ou 2 h após uma ingestão de glicose de mais de 200 mg/dℓ

• Perfil dos lipídios em jejum, creatinina sérica

• Exame de urina, incluindo microalbuminúria

• Hemoglobina glicosilada (avaliação continuada para clientes com diabetes diagnosticado)

• Eletrocardiograma

• Avaliação das complicações
Agudas
:
• Hipoglicemia
• CAD
• SHH

Crônicas
:
• Doença macrovascular
• Doença microvascular
• Doença neuropática
Insipidus
Mellitus
Desmopressina (DDAVP)
1 a 2x/dia
Via nasal

Clorpropamida e diuréticos tiazídicos
Forma leve
Potencializam DDAVP
Tipo 1
: insulina + exercício físico

Tipo 2
: nutrição, exercício físico, monitoramento dos níveis de glicose e das cetonas, tratamento farmacológico (ex. Metformina)
Manejo do controle da glicose no ambiente hospitalar
Glicemia: de 140 a 180 mg/dℓ
Hiperglicemia: Insulina (SC ou IV) ao invés de agentes antidiabéticos orais
Protocolo / Momento apropriado

Orientação do cliente
Elaboração de um plano de orientação para o cliente diabético (informações básicas e habilidades)
Avaliação da disposição para aprender
Orientação de clientes experientes
Determinação dos métodos de orientação
Orientação do cliente sobre a autoadministração de insulina
Armazenagem da insulina
Extremos de temperatura devem ser evitados; turvas; validade
Escolha das seringas
De acordo com a concentração de insulina; melhor mensuração
Mistura das insulinas
Insulina pré-misturada, ter seringas pré-carregadas ou tomar duas injeções
Aspiração da insulina
Injetem ar dentro do frasco de insulina equivalente ao número de unidades de insulina a serem retiradas
Seleção e revezamento do local de injeção
Abdome (absorção mais rápida), os braços (face posterior), as coxas (face anterior) e os quadris (absorção mais lenta)
Preparo da pele
Não se recomenda o uso de álcool para limpar a pele
Inserção da agulha
Subcutâneo; ângulo de inserção de 90°; profundidade afeta absorção
Descarte das seringas e das agulhas
Devem ser colocados em um recipiente resistente à punção
Full transcript