Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O PENSAMENTO COMO ATO MORAL

Slide elaborado a partir do 2º capítulo do livro "Nova Luz sobre a Antropologia" de Clifford Geertz.
by

Germano Neto

on 13 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O PENSAMENTO COMO ATO MORAL

O PENSAMENTO COMO ATO MORAL

Contextualização
O Pensamento com Ato Moral
Desequilíbrio entre a Capacidade de Revelar Problemas e o Poder de resolvê-los
Dimensões Éticas do Trabalho de Campo
O que a obra aborda?
Reflexões Antropológicas sobre Tópicos Filosóficos.
Qual a contribuição da obra para o mundo acadêmico?
Fortalecer a ligação entre antropologia e filosofia, que é fonte de inspiração para os chamados "estudos culturais" no mundo anglo-saxão e tem contribuído para popularizar a antropologia.
Qualidade Moral das Experiências dos
Cientistas Sociais
Humanistas x Ciências Sociais

"O impacto das ciências sociais sobre o caráter de nossa vida acabará sendo determinado, no entanto, mais pelo tipo de experiência moral que elas vierem a encarnar do que meramente por seus efeitos técnicos ou por quanto dinheiro possam gastar." p.31

Análise da pesquisa social científica como uma forma de experiência moral.
A própria experiência como tema de análise
"Os métodos e teorias da ciência social não estão sendo produzidos por computadores, mas por homens e mulheres, e sobretudo por homens e mulheres que trabalham não em laboratórios, mas no mesmo meio social a que se aplicam os métodos e se transformam as teorias." p.31

Os contatos com a pluralidade de diversidades e a afetação deles na sensibilidade do pesquisador.

Experiências nas dimensões éticas pessoais que podem ser maiores que as pesquisas ou que o próprio pesquisador.
Pensando o Problema Geral da modernização das Sociedades Tradicionais
É muito mais fácil expor os problemas do que encontrar soluções.

"O conhecimento (...) nem sempre resulta em grande coisa em matéria de poder." p.31

Tensões acerca da reforma agrária, progresso tecnológico e aumento do bem-estar social.
O caso de Java (Indonésia)
Mais de 1.500 hab./km²

Exploração agrária de uso intensivo de mão de obra (praticamente todo o trabalho é braçal)

Industrialização X Deslocamento da mão-de-obra rural

Subsistência X Exportação
O caso do Marrocos
Latifundiários fazendeiros com fazendas modernas X Lavradores com pequenas propriedades tradicionais.

Domínio continuado das terras e dos meios de produção pelos fazendeiros X Queda da produção agrícola, quebra de divisas e crise financeira.
Based on Jim Harvey's speech structures
Dimensões éticas do trabalho de campo antropológico nos países novos
Natal, 14 de outubro de 2013
Epistemologia das Ciências Sociais
Docente: Orivaldo Pimentel Lopes Junior
Discentes: Amanda Pinheiro de Araújo Silva

José Germano Neto
Clifford James Geertz (São Francisco, 23 de agosto de 1926 — Filadélfia, 30 de outubro de 2006)
Foi um antropólogo estadunidense, professor emérito da Universidade de Princeton, em New Jersey, nos Estados Unidos.
Seu trabalho se destacou pela análise da prática simbólica no fato antropológico.
O autor
A Observação
Filósofo e Pedagogo norte-americano. Desenvolveu estudos sobre psicologia e filosofia.
Contribuições do pensamento de John Dewey
"O pensar é sério por ser um ato social, e de que, portanto, somos tão responsáveis por ele quanto por qualquer outro ato social. Talvez mais ainda, pois o pensamento é o ato social de maiores conseqüências a longo prazo." p.30

O pensamento é colocado âmbito público, a partir disso, o juízo ético pode atribuir-lhe valores.

Pode-se encarar o pensamento como abstenção do agir quando a teorização se torna uma alternativa para que o cientista se isente de responsabilidades interventoras.
 Tensão Moral entre Pesquisador e Objeto
Ironia Antropológica
Tensões inerentes à relação antropólogo/informante.

Realidade que zomba das visões meramente humanas do real e as levam ao ridículo.

"Ficção - ficção, não falsidade - que está no coração da pesquisa antropológica de campo bem-sucedida." p.43
Trabalho de Campo e Informantes
Como obter/manter informantes?

"O antropólogo é um mostruário de bens" p.38

Oferta de bugigangas.

Antropólogo e Informante
"Acreditamos na comunhão intercultural (chamamos a isso de "empatia") como nossos objetos de pesquisa acreditam no amanhã" *

"O antropólogo apóia-se no valor científico dos dados coletados(...)"*

" Quanto ao informante, seu interesse é mantido por toda uma série de ganhos secundários(...)" *

*Todas citações da p.40
Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Ciências Sociais como Conduta
O Exercício do Distanciamento
"O pouco desprendimento que se consegue atingir não vem da inexistência de emoções, de seu descobrimento nos outros, tampouco do ensimesmamento num vácuo moral. Provém de uma submissão pessoal a uma ética vocacional." p.44

Capacidade de ter um olhar frio e ao mesmo tempo interessado.
Humanidade e Racionalidade nas Ciências Sociais
"A fuga para o cientificismo ou, por outro lado, para o subjetivismo não passa de um sinal de que a tensão não pode mais ser suportada, de que os nervos não agüentam e de que se fez a opção de suprimir a própria humanidade ou a propria racionalidade. Estas são as patologias da ciência, não a sua norma."
p.46
Ciências Sociais como parte da Cultura
"O choque na educação entre a necessidade de manter "padrões" e a de ampliar oportunidades." p.36
"Reconhecer a tensão moral e a ambiguidade ética implícitas no encontro antropólogo/informante, e ainda assim ser capaz de dissipá-la através das próprias ações e atitudes, é o que tal encontro exige de ambas as partes para ser autêntico e efetivamente ocorrer. E descobrir isso é descobrir também algo muito complicado e não inteiramente claro sobre a natureza da sinceridade e da insinceridade, da autenticidade e da hipocrisia, da honestidade e da autoilusão. O trabalho de campo é uma experiência educativa completa. O difícil é decidir o que foi aprendido." p.43
"O fato é que as ciências socias nao são um a taque sinistro à nossa cultura nem um meio de resgatá-la em definitivo - são meramente parte dessa cultura"*

"O necessário é colocar as ciências sociais não no banco dos réus, que é onde deve estar a cultura, mas no das testemunhas."*

*Todas citações da p.44
"O compromisso profissional de encarar os assuntos humanos de forma analítica não se opõe ao compromisso pessoal de encará-los sob uma perspectiva moral específica." p.46
"A vocação para aplicar "o método científico" à investigação dos assuntos humanos é uma vocação para confrontar diretamente o divórcio entre a razão e o sentimento, diagnosticada com acerto como a doença do nosso tempo."
p.46
Full transcript