Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O uso das TIC em aula de Língua Estrangeira no 3º ciclo do Ensino Básico: Potencialidades para o ensino e aprendizagem.

Apresentação do relatório de estágio - FLUP
by

Nelso Almeida

on 24 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O uso das TIC em aula de Língua Estrangeira no 3º ciclo do Ensino Básico: Potencialidades para o ensino e aprendizagem.

Faculdade de Letras da Universidade do Porto
O USO DAS TIC EM AULA DE LÍNGUA ESTRANGEIRA NO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO:
Potencialidades para o ensino e aprendizagem.

Índice
Porto, 29 de outubro de 2012
Nelson Almeida
Relatório de estágio apresentado à Faculdade de Letras da Universidade do Porto para obtenção do grau de Mestre em Ensino do Inglês e do Francês no 3º ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário realizado sob a orientação científica da Professora Doutora Rosa Bizarro, Professora Auxiliar do Departamento de Estudos Portugueses e Estudos Românicos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e coorientado pelo Mestre Nicolas Hurst, Leitor do Departamento de Estudos Anglo-Americanos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Capítulo I – Fundamentação Teórica
1. Ensino e Tecnologia
2.TIC em aula de Língua Estrangeira - Francês/Inglês
2.1.Quadro Interativo (QI)

Capítulo II – Metodologia
3. A Investigação- ação como metodologia
4. A Investigação – ação aplicada a contextos educativos
5 . Ensino e aprendizagem com o recurso às TIC
5.1. Contextualização
5.2. Problema de Investigação
5.3. Conhecimento da realidade
5.3.1. Recursos disponíveis
5.3.2. Turmas envolvidas
5.4. Ciclos da Investigação-ação
5.5. Preparação e análise das aulas lecionadas
5.6. Técnicas de recolha e tratamento da informação
5.6.1 Questionário
5.6.2. Observação direta
5.7. Análise de dados
5.7.1 Análise de dados referentes ao uso das TIC pelos professores de Francês/Inglês 3º ciclo EB
5.7.2 Análise dos dados recolhidos através da observação
5.7.2.1 - 1º Ciclo de Investigação ação
5.7.2.2 - 2º Ciclo de Investigação ação
Fundamentação Teórica
As tecnologias de informação e comunicação não são mais uma ferramenta didática ao serviço dos professores e alunos… elas são e estão no mundo onde crescem os jovens que ensinamos (ADELL,1997)
...os sistemas educativos devem dar resposta aos múltiplos desafios da sociedade da informação, na perspetiva de um enriquecimento contínuo dos saberes e de uma cidadania adaptada às exigências do nosso tempo.
Unesco, 1996:59
The use of ICT in education and training has been a priority in most European countries during the last decade, but progress has been uneven. There are considerable differences of ‘e-maturity’ (when organizations make strategic and effective use ICT to improve educational outcomes) within and between countries, and between schools within countries.

Balanskat et al., 2006:2
PLANO TECNOLÓGICO DA EDUCAÇÃO 2007 (Conselho de Ministros nº137/2007 18 setembro)
Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas com os mais recentes meios tecnológicos, e melhorar as práticas de ensino, investindo na formação dos professores e dos estudantes.

(Barros, 2008:30)
- MINERVA (Meios Informáticos No Ensino – Racionalização, Valorização, Atualização) 1985 -1994
- NÓNIO SÉCULO XXI 1996-2002
- INTERNET NA ESCOLA 1997-2002
- APRENDER A INOVAR COM TIC 2010-2013
ICT generally has a positive impact on learning but the expectations that ICT could, in some ways revolutionise processes at schools, have not (yet) been realised… The preconditions for using ICT for knowledge-sharing, communication and home-school co-operation are almost in place, though the positive impact as yet is only moderate.
Punie et al., 2006:12
QUADRO INTERATIVO
Based on my research and experience as a director of schools I have argued elsewhere that within less than a decade use of this technology has had a profound impact across the developed world on teachers’ preparedness to move from the traditional paper-based teaching materials to those that are predominantly digital, and to normalise the use of the digital in their everyday teaching.
Lee, 2010:133
Permite a integração das TIC nas suas aulas de um modo que envolvam todos os alunos (SMITH, 2001).
Permite aos professores salvar e imprimir o que está no quadro, incluindo as notas feitas durante a aula facilitando as revisões e o esforço de repetição (WALKER, 2002).
Permite aos professores partilhar e reutilizar os materiais diminuindo o trabalho de preparação de aulas (GLOVER e MILER, 2001).
Mais fácil de usar comparado com o uso de computador na sala de aula (SMITH, 2001).
Inspira professores a mudar a sua pedagogia usando mais as TIC, encorajando o seu desenvolvimento profissional (SMITH, 1999).
Permite o uso dos quadros aos alunos de modo a potenciar a interatividade (KENNWELL, 2001).
Os professores devem investir tempo de modo a ganharem confiança e construírem uma gama de recursos para usar no seu ensino (GLOVER e MILER, 2001).
Versatilidade, com aplicações para todos os anos de escolaridade (SMITH, 1999).
Aumenta o tempo de aprendizagem ao permitir aos professores apresentar recursos da web e outros mais eficientemente (WALKER, 2003).
Mais oportunidades para interagir e discutir na sala de aula (GERARD et al, 1999).
Meireles, 2006:62
“1. O professor identifica ou é confrontado com um problema, e escolhe um colega de trabalho para o ajudar a encontrar uma solução.
2. O professor trabalha em conjunto com o colega, tanto dentro como fora da sala de aula, com o objetivo de elaborar uma abordagem que irá melhorar a qualidade da educação ministrada.
3. A aula é realizada, e as informações que vão sendo recolhidas durante a sessão permitirão determinar se a abordagem é ou não um sucesso.
4. Terminada a aula, a sessão é avaliada pelos dois professores.
5. Com base na experiência adquirida com esta investigação, a próxima etapa requer uma nova abordagem para melhorar o tópico a ser locionado, melhorar a conceção dos materiais a serem utilizados, etc.”
Whitehead, cit por Coutinho et al., (2009:372)
METODOLOGIA
Um ciclo de Ação-Reflexão (adaptado de McNiff) (Coutinho et al., 2009)
Investigação-Ação
DIFICULDADES
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Encontros exploratórios com os professores responsáveis pelos equipamentos informáticos existentes na escola;

Reuniões de debate/reflexão semanais com o núcleo de estágio e Orientadores para definição de estratégias colaborativas de integração efetiva das TIC em sala de aula;

Questionário aplicado aos professores de 3ºciclo Língua Estrangeira (Francês/Inglês) no sentido de diagnosticar a sua perceção e uso das TIC em contexto educativo;

Observação dos alunos e professores relativamente ao uso/não uso das TIC em sala de aula;

Grelhas de registo de observação de alunos e professores, durante um número de aulas definidos.


Avaliação dos alunos em dois momentos: perante o uso das TIC e perante o uso de outros materiais em contexto de sala de aula


Observação das interações aluno-aluno e professor - alunos no desenvolvimento das aulas.

Avaliação e comparação entre os resultados baseados numa abordagem com recurso às TIC e resultados baseados em aula com recurso a outros materiais.
Analisar o uso das TIC em aula de língua estrangeira - francês/inglês.
INÍCIO DA INVESTIGAÇÃO
DURANTE O PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO
FINAL DO PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO
OBSERVAÇÃO DE:
entusiasmo ao entrar em sala de aula;
adaptação ao uso do Quadro Interativo;
comentários e reações à apresentação
e exploração de recursos;
facilidade na exploração dos recursos;
frequência de solicitações ao professor;
participação voluntária/solicitada.
CONCLUSÕES
1º CICLO:
Aumento da participação e envolvimento nas atividades de sala de aula.

Maior motivação.

Perda de interesse na atividade por parte de alguns alunos.

Possibilidade de ocorrência de problemas técnicos
2º CICLO:
Aumento da oportunidade de participação dos alunos

Aumento da interatividade

Melhor adaptabilidade do Quadro Interativo à aula

Maior retenção de informação (ex. novo vocabulário)

Aumento da participação voluntária e organizada
Conhecer as vantagens e limitações do uso do Quadro Interativo em aula de língua estrangeira.
Apresentar as potencialidades para o ensino e a aprendizagem.
OBJETIVOS
VANTAGENS DO USO DO QUADRO INTERATIVO
Existência de condições técnicas

Investimento em equipamentos
Análise de resultados
Uso das TIC: 20% a 40% das aulas.
MOTIVOS PARA O USO DAS TIC EM SALA DE AULA
Necessidade de motivar os alunos

Apoio na apresentação de conteúdos programáticos

Fornecimento de informação adicional aos alunos.
PRNCIPAIS BENEFÍCIOS:

Maior interação em sala de aula

Maior motivação dos alunos
OBSTÁCULOS AO USO DAS TIC:
a falta de formação.


Pesquisa de recursos
Observação e análise de exemplos disponíveis online
Melhor escolha e produção de recursos
Páginas de Internet de empresas distribuidoras de recursos para QI

Páginas de Internet com exercícios interativos e vídeos temáticos
CONCLUSÕES FINAIS
Condições Técnicas e investimento
Pouco aproveitamento e/ou desvalorização
Quadro Interativo
Melhor desempenho dos alunos a longo prazo
Forte impacto
Curto prazo
Aumento da motivação, atenção e participação, especialmente da participação voluntária
Facilita o controlo e gestão da turma
Maior retenção de informação
Novas formas de organizar o trabalho em sala de aula
Novas metodologias
"Ce n'est jamais le média ou l'outil utilisé qui induit quoi que ce soit, mais bien l'usage que en fait par l'enseignant, en fonction des conditions de réception des apprenants."
Langouet (2000:64)
...os sistemas educativos devem dar resposta aos múltiplos desafios da sociedade da informação, na perspetiva de um enriquecimento contínuo dos saberes e de uma cidadania adaptada às exigências do nosso tempo.
Unesco, 1996:59
The use of ICT in education and training has been a priority in most European countries during the last decade, but progress has been uneven. There are considerable differences of ‘e-maturity’ (when organizations make strategic and effective use ICT to improve educational outcomes) within and between countries, and between schools within countries.

Balanskat et al., 2006:2
PLANO TECNOLÓGICO DA EDUCAÇÃO 2007 (Conselho de Ministros nº137/2007 18 setembro)
Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas com os mais recentes meios tecnológicos, e melhorar as práticas de ensino, investindo na formação dos professores e dos estudantes.

(Barros, 2008:30)
- MINERVA (Meios Informáticos No Ensino – Racionalização, Valorização, Atualização) 1985 -1994
- NÓNIO SÉCULO XXI 1996-2002
- INTERNET NA ESCOLA 1997-2002
- APRENDER A INOVAR COM TIC 2010-2013
ICT generally has a positive impact on learning but the expectations that ICT could, in some ways revolutionise processes at schools, have not (yet) been realised… The preconditions for using ICT for knowledge-sharing, communication and home-school co-operation are almost in place, though the positive impact as yet is only moderate.
Punie et al., 2006:12
Full transcript