Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Indústria Petroquímica

No description
by

on 13 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Indústria Petroquímica

Sumário
1. Introdução
2. Refino do Petróleo
3. Destilação
4. Craqueamento
5. Inovações no refino do petróleo
6. Considerações Finais

Introdução
O refino do petróleo
A logística do refino
Tipos de refino
As maiores empresas: Refinaria de Jamnagar, Paraguana Refining Complex (CRP), SK GROUP, ExxonMobil, Saudi Aramco.
A realidade no Brasil
Indústria de Refino do Petróleo
Componentes
Camila de Bona Rodrigues Silva
João Pedro Tavares Magalhães
Laís Coelho Lopes
Lucas Sousa Cavalcante
Sérgio Pereira de Oliveira Júnior

Processo de Separação
Promover transfomações físicas no petróleo.
Desmenbramento do petróleo em frações.
Separação do petróleo pela diferença do ponto de ebulição, principalmente.
Gasto para montagem dos equipamentos é alto e o tempo de retorno do capital investido é longo.
Processos de Conversão
Promovem transformações químicas nas moléculas.
Podem ocorrer reações de agrupamento, quebra ou reestruturação molecular.
Podem ocorrer pela ação da pressão e da temperatura, existindo a possibilidade de acréscimo de catalisador.
Alto valor de montagem, entretanto o tempo de retorno é curto.
Processos de Tratamento
Retiram as impurezas ainda presentes nas frações do petróleo.
Quanto mais pesada a fração, mais impura esta era e, por consequência, há um aumento da complexidade no processo de tratamento.
Processos Auxiliares
Processos responsáveis pelos rejeitos dos processos anteriores e pelo abastecimento da refinaria com as utilidades básicas para o funcionamento, como energia elétrica e hidrogênio.
Refino do Petróleo
Processos de Separação;
Processos de Conversão;
Processos de Tratamento;
Processos Auxiliares.
Destilação
Conceito
Equilíbrio líquido-vapor
Tipos de destilação
Tipos de torre de destilação
Problemas que podem ocorrer em bandejas de coluna de destilação
Unidades de destilação

Equilíbrio líquido-vapor
Pressão de vapor
Volatilidade relativa
Misturas líquidas
Tipos de Torre de Destilação
Problemas que podem ocorrem em bandejas de coluna de destilação
Problemas de arraste
Problemas de pulsação
Problemas de vazamento de líquido
Problema de imundação
Unidades de destilação
Principais seções:

Tipos de destilação

Destilação Simples
Destilação por Expansão Branda
Destilação Fracionada
Destilação Simples
Destilação por Expansão Brusca
Destilação Fracionada
Figura 01 - Diagrama (T,x,y) de uma mistura binária de componentes 1 e 2 a pressão constante.
Fonte: Laboratório virtual de processos químicos.
Figura 03 - Esquema de destilação flash.
Fonte: Laboratório virtual de processos químicos.

Figura 04 - Esquema de uma coluna de destilação fracionada.
Fonte: Laboratório virtual de processos químicos.

Colunas com pratos (Perfurado – de campânulas)
Colunas com Recheio

Figura 05: Pratos e enchimentos para colunas de destilação.
Fonte: Laboratório virtual de processos químicos.
Pré-aquecimento de dessalinização;
Destulação atmosférica;
Destilação à vácuo.
Figura 06 – Fluxograma de uma unidade de destilação a 3 estágios.
Fonte: Desconhecida.
Processos de conversão
Craqueamento térmico
Visco-redução
Craqueamento catalítico
Craqueamento térmico
Aplicações
Condições
Produtos
Desvantagens
Viscorredução
Aplicações
Condições
Produtos
Desvantagens
Craqueamento Catalítico
Processo de quebra das moléculas das frações do petróleo.
Presença de um catalisador, propiciando um novo caminho para a reação.
Produz gás combustível, gás liquefeito, gasóleo leve, gasóleo pesado de craqueamento e gasolina.
É possível a produção de gasolina de alta octanagem a partir do gasóleo a vácuo.
Na etapa da regeneração do catalisador, o coque é queimado, sendo formado um gás de combustão com alto valor energético.
Figura 07: Fluxograma do processo de craqueamento térmico.
Fonte: Apostila de Operações Unitárias, Petrobras, 2002.
Figura 08: Fluxograma do processo de viscorredução
Fonte: Apostila de operações unitárias, Petrobras, 2002.
Craqueamento catalítico
Seções do craqueamento catalítico:
Seção de reação ou conversão;
Seção de recuperação de gases;
Seção de fracionamento;
Seção de tratamento.
Craqueamento Catalítico
Figura 09 - Fluxograma do processo de craqueamento catalítico.
Fonte: Apostila de refino de petróleo e petroquímica, UFRN.
Unidade de destilação
Inovações no Refino do Petróleo
Figura 02 - Esquema de um processo de destilação simples.
Fonte: Apostila de Operações Unitárias, Petrobras, 2002.
Parceria da Petrobras com universidades e centros de pesquisa.
Desenvolvimento de softwares para controlar e otimizar os processos das unidades de refino.
Desafio: petróleo predominantemente pesado.
Método de avaliação: tecnologia nacional tão eficiente quanto às estrangeiras, ou até superior.
Aumento da rentabilidade, fomento da atividade de pesquisa local, obtenção de um percentual maior de produtos nobres e diminuição da dependência de importação.
Considerações Finais
Boa eficácia da coluna de fracionamento.
Uso de "demister".
"Defasagem do craqueamento térmico.
Vantagens e danos do craqueamento catlítico.
Formação do coque.
Fortaleza
2013

Importânia do Refino
Tipos de processos que ocorrem no refino:
Full transcript