Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TROMBOSE DA VEIA CAVA CAUDAL EM BOVINOS

No description
by

JULIANA BERNARDO

on 10 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TROMBOSE DA VEIA CAVA CAUDAL EM BOVINOS

TROMBOSE DA VEIA CAVA CAUDAL EM BOVINOS
M.V. Juliana de Oliveira Bernardo
Mestranda do Depto. Cirurgia de Grandes Animais
Orientador: Prof. Adj. Carlos Alberto Hussni
Disciplina: Problemas Respiratórios em Grandes Animais
Prof. Adj. Roberto Calderon Gonçalves
TROMBOSE
É a formação intravascular de coágulo obstrutivo ao fluxo sanguíneo.
(MONTENEGRO & FRANCO, 1999)
Trombose da veia cava caudal
Síndrome associada à presença de êmbolos na corrente sanguínea, originados de trombos sépticos da veia cava caudal.
(SMITH, 1993)
trombos da veia cava caudal
VETMedical, 2013.
boiapasto.com.br, 2012
flebite jugular
mastite
reticulite traumática
onfaloflebite
podridão dos cascos
Fernandes et al., 2011
Hildo, 2009.
ABSCESSO HEPÁTICO
secundário a rumenite
(GUDMUNDSON, 1980; SMITH, 1993).
SEQUELAS DE CONDIÇÕES SÉPTICAS
A patogenia da doença inicia-se na maioria das vezes, em decorrência de processos inflamatórios que acometem os pré-estômagos ou o abomaso, especialmente
rumenites e lesões ulcerativas
, que favorecem as bactérias à alcançarem o sistema porta, desencadeando, com isso, a formação de abscessos no fígado .
A trombose da veia cava caudal pode apresentar-se clinicamente de duas formas. A mais importante e
comum é um síndrome respiratório seguido de tromboembolismo da artéria pulmonar e a formação e ruptura
de aneurismas arteriais pulmonares. Menos frequentemente, são encontrados casos em que o principal sinal
clínico apresentado é uma acentuada distensão abdominal devido à hepatomegalia e ascite

desidratação
hipovolemia
acidose
atonia do rúmen
distensão do rúmen por líquido
toxemia
ACIDOSE LÁCTICA
PATOGENIA DA TROMBOSE DA VEIA CAVA CAUDAL
patogenia acidose láctica
TROMBOSE DA VEIA CAVA CAUDAL
pneumonia metastática ou embólica
síndrome da veia cava
tromboembolismo pulmonar
aneurisma pulmonar embólico

ACIDOSE LÁCTICA
É uma síndrome bem definida associada a abscessos multifocais pulmonares causados por tromboembolismo do sistema arterial pulmonar.

Os êmbolos sépticos originam-se de trombos sépticos da veia cava caudal que são sequelas de abscessos hepáticos secundários a rumenite.

Trombose da veia cava caudal
DEFINIÇÃO
agentes etiológicos
Fusobacterium necrophorum
Arcanobacterium pyogenes
Stafilococcus sp
Streptococcus sp
Escherichia coli

TVCC
É mais comumente observada:
bovinos confinados
independente idade, raça e sexo
bovinos corte e leite
é incomum em bovinos com menos de um
ano de idade.
(BARROS, 2006)
nelorems.com.br, 2007
sinais clínicos da TVCC
taquicardia
taquipnéia (FR > 30 mpm)
dispnéia expiratória com gemidos
hiperpnéia
tosse
sopros cardíacos
membranas mucosas pálidas (por anemia)
sibilos generalizados
hemoptise
sinais menos comuns
sinais inespecíficos
depressão
anorexia
estase ruminal
fezes escassas
decréscimo na produção de leite
casos crônicos
com sinais de insuficiência cardíaca ventricular direita como distensão da jugular ou edema de peito
cor pulmonale
sinais patognomônicos
LÚCIO, 2011
ASCITE
febre
dor torácica à palpação profunda (esterno e EIC)
hepatomegalia
enfisema subcutâneo
ascite

HEPATOMEGALIA
LÚCIO, 2011
A TVCC ocorreu em 1,3% dos diagnósticos em uma grande pesquisa realizada bovinos de corte
em confinamento com um espectro entre 1,6 e 7,3 casos por 100.000 cabeças do gado confinado.

Os casos ocorrem durante todo o ano e durante todos os estágios da engorda, embora 68% dos casos tenham ocorrido durante os primeiros 90 dias da alimentação em confinamento.

(BARROS, 2007)
O índice de mortalidade de casos é geralmente 100%.
(BARROS, 2007)
TVCC
TRATAMENTO
sinonímia:
PREVENÇÃO
PREVENIR A ACIDOSE RUMENAL
formular dietas balanceadas
Bicarbonato de Sódio e Monensina Sódica
processamento da forragem
manejo alimentar
crescimento bactéria Gram +
CONSIDERAÇÕES FINAIS
TVCC é uma enfermidade de alta mortalidade em rebanhos bovinos
grandes perdas econômicas
prevenir acidose rumenal

OBRIGADA
(GONÇALVES, 2008)
(GONÇALVES, 2008)
(Campbell, 2012)
PROGNÓSTICO RESERVADO
TRATAMENTO NÃO É INDICADO
antibióticos e terapia de suporte????
www.prezi.com
TROMBOSE DA VEIA CAVA CAUDAL EM BOVINOS
TRATAMENTO EM HUMANOS
CLÍNICO
anticoagulantes
diuréticos
heparina e antivitamina K
forma empírica
QUIMIOTERÁPICO
casos secundários a neoplasia
ENDOVASCULAR
trombectomia
stents (próteses)
tratamento é viável?!
hemoptise severa
GONÇALVES, 2008
DISTÚRBIO RESPIRATÓRIO E CIRCULATÓRIO
MORTE
JORGE, 2003
RISTOW et al., 2002


DURAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS
distúrbio respiratório agudo
perda de peso crônica
tosse (semanas ou meses)
lookfordiagnosis.com, 2013
próteses metálicas para impedir a constrição do fluxo sanguíneo
FIGHERA et al., 2003
Full transcript