Loading presentation...
Prezi is an interactive zooming presentation

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TANATOLOGIA

No description
by

Lívia Barros

on 20 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TANATOLOGIA

introdução
Vivemos de perder e abandonar, e de desistir. E mais cedo ou mais tarde, como maior ou menor sofrimento, todos nós compreendemos que a perda é, sem dúvida, uma condição permanente da vida humana. (Viorst,1988).
A Tanatologia é o estudo dos fenômenos que acontece com o corpo após a morte. Estudos realizados nas últimas décadas deixam clara a possibilidade de estender esta definição inicial. Para a enfermagem, ela está diretamente ligada com o preparo do corpo após ser detectado o óbito. É de suma importância para o profissional de enfermagem o conhecimento e de todas as outras ações que incluem essa técnica.
DISCENTES
TANATOLOGIA

Alessandra Tenório
Anderson Melo
Jefferson Tenório
Jamilly Joyce
José Ailton
Lívia Juliana
Louise Karoline
Rhayllanne Holanda
Bioética
A morte e seu diagnóstico
Ocorre quando os órgãos vitais do organismo não são mais capazes de cumprir suas funções com o objetivo de manter nossas necessidades de oxigenação, nutrição, hidratação, manutenção de temperatura corporal e excreção.

É definida por critérios estabelecidos que a considera como sendo a parada total e irreversível das atividades encefálicas.




5 estágios do morrer
Existem 5 etapas que as pessoas ultrapassam quando se deparam com a morte:

Negação/Isolamento
Raiva
Barganha
Depressão
Aceitação
objetivos
Conhecer os princípios da técnica;
Mostrar o conceito e a aplicabilidade da tanatologia na rotina de trabalho do enfermeiro.
DIFERENÇA ENTRE morte e morrer
Morte
é o fato em si, que todo ser humano inevitavelmente vai ter que passar.

Morrer
é o processo que a pessoa passa até chegar a morte.
Direitos do paciente perante a Legislação Brasileira:

32. O paciente tem direito à morte digna e serena, podendo optar ele próprio (desde que lúcido), a família ou responsável, por local ou acompanhamento e ainda se quer ou não o uso de tratamentos dolorosos e extraordinários para prolongar a vida.

33. O paciente tem direito à dignidade e respeito, mesmo após a morte. Os familiares ou responsáveis devem ser avisados imediatamente após o óbito.

34. O paciente tem o direito de não ter nenhum órgão retirado de seu corpo sem sua prévia aprovação.
É o que se denomina morte encefálica:
Comprometimento de forma irreversível da relação e da coordenação da vida vegetativa.

Morte Encefálica
cONCEITO DE TANATOLOGIA
cronotanatognose
Tanathos
= Deus da morte;
Logia
=Estudo, ciência

Esta ciência foi re-descoberta por Elizabeth Kübler Ross.

Na prática, a tanatologia consiste no estudo dos fenômenos cadavéricos, ou seja, da morte e seus fatores associados (fenômenos).
Demonstra o que acontece com o corpo humano após a morte, fornecendo o tempo que ocorreu o falecimento, qual o seu motivo dentre outras coisas.

Para a enfermagem, a
Tanatologia
será associada ao preparo do corpo após o óbito.
MODALIDADES DE MORTE
Morte Aparente;
Morte Relativa;
Morte Cerebral;
Morte Real ou Absoluta
Morte Aparente
Provocada por estados psicológicos que simulam a morte. No caso da Catalepsia e letárgico, por exemplo.
MORTE CLÍNICA
Momento em que ocorre a parada cardiorrespiratória.
morte cerebral
Morte irreversível das funções cerebrais. Neste estágio, não há como reverter as funções cognitivas e funcionais.
morte real
Parada da atividade biológica de todas as células que ocorre em média, oito horas após a parada cardiorrespiratória (não havendo a possibilidade de reanimação da pessoa).
É o diagnostico do tempo da morte ( também chamado de realidade da morte) pela observação das evidências ou dos sinais abióticos ou não vitais positivos:

Sinais Imediatos;
Sinais Mediatos ou Consumativos;
Fenômenos Cadavéricos Transformativos


Mediatos ou consumativos –
ocorrem em minutos a horas, após a morte.

Hipóstases (manchas de sangue)
Resfriamento cadavérico
Rigidez cadavérica (4 a 5 horas após a morte)
ASPECTOS JURÍDICOS DA MORTE
Hipóstase
Rigidez Cadavérica
Imediatos
– aparecem imediatamente após a parada cardio-respiratória

Imobilidade
Ausência de sinais de respiração e circulação
Flacidez
Insensibilidade
Arreflexia
Fenômenos tardios, destrutivos ou destruidores

Fases da Putrefação:

Cromática
– Mudança de coloração
Mancha verde escuro na região abdominal

Gasosa
–Produção de gás sulfídrico
Aumento de volume do cadáver-Desarticulação

Coliquativa
– Tecidos liquefeitos

Esqueletização
- Transformação em esqueleto
Morte natural:
patológica e etária;

Morte violenta:
suicídio, homicídio ou acidente;

Morte suspeita:
sem evidências ou imprevista ou simuladamente acontecida

Morte agônica( previsível e esperada):
culmina da evolução de uma doença ou de um grave estado pós- traumático, sempre dentro do prognóstico médico;

Morte súbita (inesperada ou imprevista):
a pessoa falecida apresentava boa saúde, mas , na maioria dos casos, já era portadora de qualquer doença potencialmente fatal e inesperadamente falece.

material básico
conclusão
material complementar
preparo do corpo após a morte
Sinal de Homer-somer
midríase
Conceito:
Procedimento no qual o corpo do paciente que acaba de morrer é preparado para ser entregue aos cuidados dos serviços funerários e / ou familiares.

Indicações:
Para pacientes onde já houver morte confirmada pelo médico.

Competência:
Compete à equipe de enfermagem.

Benefícios:
A técnica propicia aos familiares a possibilidade de receber o ente querido pronto a ser entregue aos serviços funerários,além de promover o conforto à família que está emocionalmente abalada.

Bandeja contendo:

Algodão;
Esparadrapo;
01 pinça longa
03 rolos médios de atadura de crepom;
01 par de luvas de procedimentos;
02 etiquetas de identificação
01 lençol;
Maca;
01 kit de óbito.

Pacote de curativo;
01 seringa de 20 ml;
Material para banho no leito;
Éter;
Mascara
Saco impermeavel;
Gases;
Saco plástico.

referências
processo de luto
o enfermeiro e a morte
luto
Sintomas físicos, que são decorrências fisiológicas normais do enlutamento:

Solidão e isolamento;
A forte intensidade do luto às vezes acompanhado por sentimentos de pânico ou idéias suicidas;
Medo do colapso nervoso, muitas vezes referido após a experiência de presenciar a perda.
Falta de um espaço para a expressão de culpa ou raiva, uma vez que a família está enlutada e, muitas vezes, não oferece espaço para essas manifestações.
 

O que fazer...

Escute- Seja “rápido no ouvir”, uma das coisas mais prestimosas que podemos fazer é partilhar a dor da pessoa enlutada por escutar.
Inspire confiança - Assegure-lhes que fizeram tudo o que era possível (ou aquilo que sabe ser verdadeiro e positivo).
 

O que não fazer...
 
Não evite o contato com eles por não saber o que dizer ou fazer;
Não se precipite em aconselhá-los a desfazer-se dos objetos pessoais do falecido antes de estarem dispostos a fazer;
Não os pressione para deixarem de sentir pesar;
Não se precipite em dizer: “Assim foi melhor”.

Os profissionais da equipe de enfermagem mostram diferentes reações ao assistir o paciente durante o processo de morrer, e também o sofrimento dos seus familiares.
É gente que cuida de gente, e como todo ser humano tem suas tristezas, irritações, receios, dentre outros sentimentos. Quando pensamos sobre esta problemática, supomos ser esta a primeira implicação para o profissional de enfermagem com relação ao lidar com seu paciente: o afastar de seus sentimentos e receios, de forma que ao os isolar, minimize suas tensões para assegurar que as suas respostas individuais não prejudiquem o paciente que está sendo atendido.
-MURRAY, M.E.; ATKINSON, L.D. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

-SCHULL, P. D. Enfermagem básica – teoria e prática. São Paulo: Rideel, 2000.

Ao analisar a tanatologia em diferentes formas de perceber e atribuir significados a morte e ao morrer pela humanidade ao longo da evolução, ficou claro a necessidade de um maior aprofundamento do tema considerando que mesmo a morte sendo algo natural na vida do ser humano, é vista como um momento difícil e de grande sofrimento.
Trabalhando o medo da morte a pessoa se prepara para lidar com as pequenas perdas diárias que as acomete rotineiramente. É através do estudo da tanatologia que cria-se um meio para resgatar o sentido da morte por meio da superação dos medos culturalmente instituídos e propõe-se a uma reflexão sobre o sentido da vida e o morrer dignamente.


biodireito
Ortotonásia;
Eutanásia;
Distanásia.
vídeo da técnica
Full transcript