Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Copy of Copy of A Fenomenologia de Edmund Husserl

No description
by

Marcio Januario Fabri

on 14 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Copy of Copy of A Fenomenologia de Edmund Husserl

A fenomenologia de Edmund Husserl
O que é a consciência?
Método: redução fenomenológica
1: a busca do sentido dos fenômenos:
REDUÇÃO EIDÉTICA (essência)

2: como é o sujeito que busca o sentido:
REDUÇÃO TRANSCENDENTAL

Exemplo:
Investigando sobre:
campos da consciência
1º MOMENTO
Para a Fenomenologia a percepção é o primeiro nível de consciência.
Isto indica: uma porta, uma forma de ingresso , uma passagem para entrar no indivíduo, uma porta para compreender como é feito o ser humano.
2º Momento:
do ato perceptivo aos ato reflexivo
Para a Husserl: o ato reflexivo é um segundo nível de consciência. É a capacidade que somente os seres humanos têm. Uma vivência humana na qual se dá conta de perceber e registrar o que está fazendo a si e, na relação.
Esperamos ter apresentado uma análise fenomenológica dos campos da consciência:

Análise da atenção em
diferentes
níveis:

percepção - recordação - imaginação - fantasia

atenção como ato involuntário
(diferente de ato psíquico)

Análise atenção como ato voluntário
(diferente de ato espiritual)

atenção como ato motivacional
(intersubjetivo)
3º Momento:
dos atos reflexivos a condição intersubjetiva (motivação = poder de escolha)
Intencionalidade
EU + FELIZ
É tudo meu:
Como posso ser mais feliz?
Eu + muitos eus
Pergunta:
O cérebro é base ou fonte à consciência?

Próxima aula:
Renê Descartes (1596-1650)

DO: COGITO ERGO SUN

Edmund Husserl (1859-1938)

PARA: COGITO COGITATUM
o que Husserl considera os três níveis da consciência no ser humano.
Consciência como ato involuntário
Realidade corpórea = percepção física sensória.
Consciência como ato voluntário
Capacidade psicológica. Dirigido pelo sujeito, e não dependente de fatores externos.
Consciência como mediação intersubjetiva
Capacidade espiritual: intenção e avaliação.
(objetivo - subjetivo)
Objetivo desenvolver atenção para:
Exemplo desenvolver a atenção para os três níveis da consciência:
Andar de bicicleta:
1º ato perceptivo: físico, involuntário.
Escolha para andar de bicicleta:
2º ato psíquico - ato voluntário.
Ter todas as condições para andar de bicicleta.
Motivação para andar de bicicleta:
3º ato espiritual: não é ou é conveniente neste momento andar de bicicleta.
Indica Husserl, que é necessário uma nova maneira de orientar-se e que esta deve portar-se diferente da maneira da orientação natural, que surge na experiência e no pensar. Para ele esta nova experiência pode ser vivida através da Filosofia Fenômenologica que tem como caminho a meta de investigar a essência de tudo aquilo que é aparente. Para tanto sugere começar pelos "campos da consciência".
Unversalidades
(o que nos aproxima)
...cabelos, miolos, cabeça, boca, mãos, dedos, figado, sangue, sexo...
Particularidades
(o que nos diferencia)
...problemas como você, dores de cabeça, meu sorriso, minha vida, eu tenho liberdade...
REDUÇão fenomenológica:
Não tenho: casa, roupas, sapato, dinheiro;
pai, mãe, filho, amigos...
país, estados, ou cidade... igreja, Deus...
vinho, cigarros ou comida...
classe social...escola...
terra, comida ou mesmo água...

O que nos torna semelhantes e diferentes
ao mesmo tempo
Full transcript