Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

 VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Organização didática da aul

No description
by

luisa meneghetti

on 17 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of  VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Organização didática da aul

Aula
Textos: "
A aula no contexto histórico
" e "
Organização didática da aula: um projeto colaborativo de ação imediata
"

Sala de aula
Idade Média
Sem estrutura física específica
Aula no Brasil
Início: 1549
Jesuítas
Catequizar para dominar
Aculturação
Influências religiosas
Ordem e disciplinas rigorosas
Alunas: Luisa Meneghetti
Isabella Gasparini
Larissa Costa

Casas Particulares
Instituições eclesiásticas
Século XV
Internatos
Objetivos: Evitar tentações
Final do século XVIII
Iniciou-se o conceito de sala de aula: Local de aula Universitária
Antigamente não era vista como um espaço para a infância.
Calvinistas
Influênciaram na Adoção dos termos:
Currículo
Aula
Método
Criaram Escolas, Colégios e Seminários.
Conversão pelo convencimento
Ratio Studiorum
Método de Ensino: Indicava como e o que os mestres deveriam ensinar.
Formação voltada em padrões católicos europeus
Caráter individualista
Procedimento do docente: interrogatório
Três cursos:
Letras ou humanidades
Filosofia
Ciências e teologia ou ciências sagradas

Avaliação da aprendizagem
Exames escritos realizados diariamente e com a correção descrita no plano

Expulsão dos Jesuítas em 1759
Aula espaço e tempo
Organização da Aula
Sistema complexo de significados

Organização do processo didático pelo professor.
Colaboração dos
Professores e Alunos
Projeto Colaborativo
Reflexão
Componentes e elementos
Projeto de Ação Imediata
Concepção da Aula:

Relação professor-aluno
Contextualização da aula
Coerência do projeto com as orientações
Diversidade e valores
Flexibilidade
Qualidade
Objetivo:
Organizar o que pode ser feito para que eles o façam quando desejam.

Aspectos de organização da aula:
- Relação professor aluno
- Dimensão socializadora da aula
- Condições a serem enfrentadas.
Organização da Aula
Para que?
Finalidade e objetivo.
Projeto de ação imediata com o professor, essa organização vai antecipar o que será feito em sala de aula
O que?
- O conteúdo Cultural, fazer a seleção do conhecimento.
Como?
- Especificar os objetivos e os conteúdos
São as técnicas e os métodos.
Com o que?

São os recursos didáticos:
Organização Espacial
Organização Temporal
O que e como?
- Avaliação formativa alternativa.
- Desenvolvimentos das teorias da aprendizagem.
Onde:
- Organização da Sala
- Ocupaçnao do aluno e
do espaco pedagógico.

Quando:
Tempo da organização da aula:
- Tempo cronológico - Tempo pedagógico.
Quem e para quem?
Os agentes da aula: o professor e o aluno.
Reforma Pombalina
1759 - Expulsão dos Jesuítas
"Extinção" da organização escolar jesuíta
Influência Iluminista
Servir aos Interesses do Estado
Ensino Laico e Público
Ratio studiorum
permaneceu
Abertura do Ensino às ciêncas experimentais.
Prático e utilitário.
Aulas Régias
Destruição do ensino da elite.
Sem abrangência e qualidade necessárias.
Ensino Superior:
Academia real da marinha
Academia real militar
Espaços de aula inapropriados
Tentativas na reformulação da organização de turmas: Individual x Grupal.
Organização do espaço escolar primário: Entre as escolas de primeiras letras e os grupos escolares.
Secunda década do século XIX
Necessidade de renovar os métodos e modalidades de ensino
Questionamento sobre a necessidade de escolarização de camadas inferiores
Obrigatória a frequência à escola
Escola de primeiras letras
Generalização dos rudimentos do saber (Ler, escrever e contar)
Governabilidade
País independente
Instrução elementar
Civilização
DF e SP
Primeiros grupos escolares
Escolas Seriadas
Ensino Individual, mútuo e simultâneo: diferentes modalidades de instrução pública, diferentes formas de organização da aula.
Garantir ensino em maior número de alunos em maior tempo.
Novas modalidades de ensino não representam adoção de novas metodologias
Ensino Individualizado
Muito tempo e moroso
Relações intersubjateivas
Ensino Mútuo
Método Lancasteriano
Alunos com diferentes idades
Próprios alunos monitores
Grande número de pessoas ao mesmo tempo e espaço.
Necessidade de espaços e materiais específicos.
Formação de professores necessária.
Ensino Simultâneo
Ação de professor e atenção simultânea aos alunos.
organização de classes
nível de conhecimento e idade.
Lições de coisas: O método intuitivo no Brasil.
Marco fundamental: novas reflexões promovidas em defesa do método intuitivo.
Símbolo de renovação do ensino no Brasil rupública
Adotado como reação ao ensino tradicional
Intuição é a base do método
Observação
Método de ensino popular
Professor cria condições para os alunos analisarem
Debates educacionais
Amenizar ensino excessivamente teórico
Importância à imagem
Aula escolanovista: Ênfase nos métodos e nas técnicas de ensino
Full transcript