Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Biossegurança em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial

No description
by

Carlos Alves

on 26 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Biossegurança em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial

Vacinação
Biossegurança, o que é ?
Condição de segurança alcançada por um
conjunto de ações
destinadas a
prevenir, controlar, reduzir ou eliminar
riscos inerentes às atividades que possam
comprometer a saúde humana, animal e o meio ambiente.
Por que obedecer as normas de Biossegurança em CTBMF ?
PROCEDIMENTOS
Os Procedimentos Odontológicos
Clínicos e Cirúrgicos
são classificados segundo o risco de
contaminação em:
Fonte :MANUAL DE BIOSSEGURANÇA DO CURSO
DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE SANTO AMARO(UNISA),2009
Bibliografia
INFECTION CONTROL IN DENTISTRY;Olavo Cardoso Jorge,Antonio
MANUAL DE BIOSSEGURANÇA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE ARARAQUARA – UNESP
Avaliação da integridade das luvas cirúrgicas após a
utilização em cirurgias odontológicas; Prudêncio Serratine,Ana Claudina.
MANUAL DE BIOSSEGURANÇA DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA UNISA;UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO.
Art and Science of Operative Dentistry Sturdevant's;THEODORE M. ROBERSON, DDS;HARALD 0. HEYMANN, DDS, MEd-página 357-Quarta Edição.

Procedimentos de Proteção
Biossegurança em Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial

Turma:Biossegurança 1º Semestre 2015

Professores: Dirceu Nery
Flávio Nader
Daniel Saraiva

Alunos: Carlos Eduardo
Patrícia Queiroz
Jamila
Aline Barbosa
Lyon Henrique
Ana Carolina Nahas
Gilvana Cardoso

Fonte do texto : http://portal.anvisa.gov.br/
Anvisa " Serviços Odontológicos:Prevenção e Controle de Riscos;2006 "
Exposição a grande variedade de microrganismos veiculados pelo sangue e pela saliva dos pacientes;
Infecção cruzada;
Processos de esterilização dos materiais :Seguir rigorosamente;
Fonte do texto:PRINCÍPIOS DE BIOSSEGURANÇA EM ODONTOLOGIA, Olavo Cardoso Jorge, Antônio;Departamento de Odontologia da Universidade de Taubaté
Faculdade de Odontologia de São José dos Campos/UNESP,2009
Procedimentos Críticos
: são aqueles em que
há penetração no sistema vascular
.
Ex :
Cirurgias em tecidos moles e duros,
cirurgias periodontais,
exodontias
,
raspagens
subgengivais,ou
curetagens periodontais
, etc.Nestes procedimentos os
cuidados com a esterilização,desinfecção do instrumental
, do consultório e no preparo do paciente e equipe odontológica devem ser
máximos.

Procedimentos Semicríticos :
são aqueles que entram em
contato com as secreções
orgânicas ( saliva ), e/ou mucosa íntegra , sem invadir o sistema vascular
. O instrumental deve estar previamente esterilizado e o consultório desinfetado para evitar
infecções cruzadas
pela presença das s
ecreções orgânicas sobre os instrumentais
e pela
produção de
aerosóis
durante os procedimentos.


Procedimentos Não-Críticos :
são aqueles quando não há penetração no sistema vascular e
não entram em contato com as secreções orgânicas ou as mucosas
Fonte do texto:PRINCÍPIOS DE BIOSSEGURANÇA EM ODONTOLOGIA, Olavo Cardoso Jorge, Antônio;Departamento de Odontologia da Universidade de Taubaté
Faculdade de Odontologia de São José dos Campos/UNESP,2009
Proteção do Profissional da Odontologia;
Hepatite B - (3 doses)
Influenza (gripe)
- É administrada em dose única anualmente
Tríplice viral
( Caxumba, sarampo e rubéola) - Dose única
Vacina dupla tipo adulto
(Tétano e Difteria) - Administrada em 3 doses
Vacina contra Tuberculose (BCG)
- Administrada durante a infância
Vacina contra febre amarela
- Indicada para profissionais em área susceptível a doença
Vacina pneumocócica
(Meningite, pneumonia) - Única dose durante a infância
Hepatite A
Fonte do texto:http://www.jornaldosite.com.br/materias/artigos&cronicas/anteriores/LusianeBorges/artlusiane%20borges183.htm
Fonte da Imagem:MANUAL DE BIOSSEGURANÇA DO CURSO
DE ODONTOLOGIA ;UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO – UNISA
Lavagem de Mãos
Proteção do Paciente



PREPARO DO PACIENTE
O preparo do paciente compreende a colocação dos equipamentos para a proteção do mesmo
,anti-sepsia da pele e da boca com solução de digluconato de clorexidina 0,12 %
, profilaxia e uso de isolamento absoluto, se indicado.

ANTI-SEPSIA DO PACIENTE
A anti-sepsia do paciente consiste, basicamente , no preparo da boca para redução da sua carga microbiana.



Em Procedimentos Cirúrgicos ,é obrigatório


“ KIT “ CIRÚRGICO ESTÉRIL

AVENTAL CIRÚRGICO

LUVAS CIRÚRGICAS ESTÉREIS

O procedimento de calçar um par de luvas estéril, requer técnica correta, para evitar a
contaminação da luva.
RECOMENDAÇÕES:
1) é proibido reutilizar essas luvas;
2) descarte-as, após o uso, no lixo contaminado;
3) em procedimentos de longa duração ( acima de 2 horas ) recomenda-se a troca das luvas
durante o procedimento;
4) lavar as mãos antes e após a retirada das luvas.


COMO RETIRAR O AVENTAL
Descartar as luvas cirúrgicas no lixo contaminado, lavar as mãos e retirar a máscara e óculos de
proteção. Em seguida, soltar as alças ( tiras ) do pescoço e da cintura, tendo-se o cuidado de não
tocar a face externa do avental. O avental deve deslizar pelo corpo sendo seguro pela parte
interna. Depositá-lo no lixo contaminado juntamente com os campos, protetores de cadeira,de
mangueiras e outros.
Infecção Cruzada
Implementação de um integrador químido dentro da Caixa cirúrgica no processo de esterilização
Utilizar PVPI. (IODO-1 % de Iodo ativo);Provitec,Laborine degermante.)-demanda tempo para atuação.
Full transcript