Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Frei Luis de Sousa

No description
by

Ana Machado

on 7 July 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Frei Luis de Sousa

Frei Luis de Sousa
Cenas III e IV

Maria evidencia a sua cultura e gosto pela leitura. Pede a Telmo o livro dos Lusiadas.

Mostra-se uma crente no sebastianismo.

Madalena tenta levar a filha a não acreditar nem em fantasmas nem em fantasias do povo.

Esboça-se um pequeno conflito de Maria com o pai e com a mãe, pois ambos não aceitam ouvir falar do regresso de D. Sebastião. Tal causa estranheza em Maria.

Sinais que indiciam o desenlace
Sebastianismo de Maria

Tuberculose de Maria.
Maria não consegue entender nem compreender a perturbação e preocupação dos pais com ela.

D. Madalena não pode relevar a causa das suas preocupações…

Sem querer, Maria martiriza a mãe, afirmando que lê nos olhos, nas estrelas e sabe muitas coisas, mostrando-se portadora de uma forte imaginação.

Madalena não responde às questões da filha e tenta desviar de Maria, pedindo-lhe que fale do seu jardim.
As flores simbolizam a brevidade da vida.
As flores de Maria murcharam. Não será um presságio da sua morte?
Sinais que indiciam o desenlace
Maria é dotada de uma prodigiosa imaginação (tem a "doença de sonhar");

As flores que Maria traz murcham.
Compreender Página 93
1. Qual a posiçao de Maria em relação ao desaparecimento de D. Sebastião em Alcácer Quibir?

2. Como reagem a mãe e o pai a estas “crenças” de Maria? Porquê?

3. Que informação nos dá o aparte final de Telmo?
Manuel de Sousa Coutinho
, conhecido pelo nome eclesiástico de Frei Luís de Sousa foi um sacerdote católico e escritor português.




Nascimento: 1555, Santarém
Falecimento: 5 de maio de 1632
Sebastianismo

O Sebastianismo foi um movimento místico-secular que ocorreu em Portugal na segunda metade do século XVI como consequência da morte do rei D. Sebastião na Batalha de Alcácer-Quibir, em 1578.








O povo nunca aceitou a morte do rei, divulgando a lenda de que ele ainda se encontrava vivo, apenas esperando o momento certo para voltar ao trono e afastar o domínio estrangeiro.







Cena III
Cena IV
Compreender Página 94
1. Tuberculose de Maria favorece a sua extraordinária imaginação
1.1 Que respostas procura Maria quando passa “noites inteiras em claro”(l.10)?

2. Prova através de excertos do texto, que, para além da preocupação com a doença física da filha, Madalena vive aterrorizada com os seus “desvarios”.

3. Porque razão(ões) se apresenta Madalena “mortificada” no final desta cena?
Maria de Noronha
Madalena de Vilhena
Telmo Pais
“É a mulher-anjo dos românticos”
Fisicamente é fraca e frágil, mas psicologicamente é muito forte
Inteligência precoce, muito culta e perspicaz.
Muito curiosa, quer saber tudo...
Crente em agoiros
É a vitima inocente de toda a situação e acaba por morrer fisicamente, tocada pela vergonha de se sentir filha ilegítima.
É uma heroína romântica, vive marcada por conflitos interiores e pelo passado.
Sentimentos e a sensibilidade sobrepõe-se à razão e é uma mulher em constante sofrimento.
Crê em agoiros, superstições e dias fatais.
É uma sofredora, tem um amor intenso e uma preocupação constante com a filha Maria, contudo coloca a cima de tudo a sua felicidade e amor ao lado de Manuel  de Sousa, mesmo o seu amor à pátria é menor do que o que sente por Manuel. No final da obra, aceita o convento como solução.

É o velho aio, não é nobre, contudo a sua convivência com as famílias nobres, “deu-lhe” todas as características de um nobre (postura, fala, educação, cultura...).
É o confidente de Madalena e de Maria. 
Fiel, dedicado, é o elo e ligação entre as duas famílias (os dois maridos de Madalena),
É o passado que alimenta os terrores de Madalena.
É muito critico, cria juízos de valor e está num profundo conflito interior pois sente-se dividido entre D, João e Maria, não sabendo o que fazer.
É um sebastianistas e sofre muito pela sua lealdade.
Personagens
Realizado por: Ana Machado
Diogo Castro
Full transcript