Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TRABALHO INFANTIL

No description
by

Elaine Silva

on 17 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TRABALHO INFANTIL

Faculdade Unilagos
Curso:

Pedagogia - 3ºPeríodo - Turma A - Manhã
Aluna:

Elaine da Silva -

Profº:

Valdiney Abreu
TRABALHO INFANTIL

Bibliografia
Website:

http://www.mundoeducacao.com/geografia/trabalho-infantil-no-mundo.htm

http://www.onu.org.br/150-milhoes-de-criancas-de-5-a-14-anos-sofrem-com-trabalho-infantil-em-todo-mundo-alerta-unicef/
TRABALHO INFANTIL
Trabalho infantil é todo esforço físico e mental desempenhado por pessoas que não possuem idade adequada, como crianças e adolescentes. Grande parte dos países possui leis trabalhistas que condenam o trabalho infantil. Essa prática é ilegal e reconhecida como crime.
De acordo com OIT (Organização Internacional do Trabalho), os trabalhadores infantis vivem em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento. Esse problema atinge majoritariamente países subdesenvolvidos, porém nações desenvolvidas também enfrentam esse tipo de questão. Segundo OIT, existem no mundo aproximadamente 250 milhões de crianças (idades entre 5 e 14 anos) realizando tarefas de trabalho. Desse total, pelo menos 120 milhões trabalham o dia todo, não frequentam a escola e nem brincam.
Do número total de crianças trabalhadoras no mundo, cerca de 200 milhões delas não usufruem de descanso semanal. Outro dado importante é a incidência de casos de trabalho infantil na zona rural dos países. Pelo menos dois terços dos acidentes de trabalho que acontecem em alguns países são provenientes de trabalhadores infantis.
Segundo a agência da ONU, milhões de crianças trabalham para sustentar suas famílias, mas o trabalho infantil torna-se inaceitável quando é realizado por crianças que são jovens demais e que deveriam estar na escola.
Além disso, há muitas crianças que estão fazendo um trabalho inadequado para menores de 18 anos. Nas piores formas de trabalho infantil, as crianças são expostas a riscos para a saúde e para o perigo físico, o seu desenvolvimento é ameaçado, e elas são submetidas à exploração.
Mesmo sendo repudiado pela sociedade, o trabalho infantil acontece em diferentes partes do mundo. De acordo com a UNICEF, os principais causadores desse fenômeno são basicamente a pobreza e o desemprego. Diante dessa realidade, muitas crianças e adolescentes que vivem nas cidades executam tarefas diárias de trabalho, como vender balas, engraxar sapatos, além de entregar panfletos. No campo esses jovens desempenham tarefas mais pesadas como colher algodão, cortar cana-de-açúcar, quebrar pedras, trabalhar em carvoarias, entre muitas outras ocupações árduas.
O trabalho infantil tornou-se um problema global, isso em virtude da ocorrência do mesmo tanto em países pobres como em países ricos. Abaixo a distribuição das crianças e adolescentes trabalhadores no mundo (números aproximados).
- Portugal:

cerca de 200 mil.

- Espanha:

500 mil.

- Alemanha:

600 mil.

- América Latina:

17 milhões.

- Ásia:

152 milhões.

- Nova Zelândia:

500 mil.

- África:

80 milhões.

Ações inovadoras já estão em andamento



Em alguns países, o trabalho inovador na erradicação do trabalho infantil já está valendo a pena.

Em Gujarat, na Índia, por exemplo, o UNICEF, em parceria com a Fundação IKEA, criou as Redes de Meninas Adolescentes (AGNs), que capacitam jovens sobre questões relacionadas a violações dos direitos das crianças, incluindo trabalho infantil e casamento infantil.

As AGNs foram formadas em todas as 3.450 aldeias de Gujarat, com cerca de 35 mil membros que defendem os direitos das crianças envolvidas em trabalho infantil. Eles identificam outras crianças que trabalham – em campos de algodão, por exemplo – e, então, persuadem seus pais a enviá-las de volta para a escola.

As AGNs identificaram 61.827 crianças fora da escola. Cerca de 20 mil crianças voltaram agora a frequentar as aulas.
Full transcript