Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Estado Novo

No description
by

Cristina Marques

on 15 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Estado Novo

O contexto europeu António Manuel de Oliveira Salazar Nomeado Presidente do Conselho de Ministros Voto por sufrágio direto;
Separação de poderes entre o Presidente da República, a Assembleia Nacional (Parlamento), o Governo (Conselho de Ministros) e os Tribunais. À semelhança de D. Afonso Henriques, Salazar é representado como o “Salvador da Pátria” Fidelidade a Salazar Propaganda Portugal: a ditadura salazarista O Estado Novo A primeira metade do século XX ficou marcada pela ascensão de regimes ditatoriais em alguns países da Europa. “ausência duma inteligente e premeditada política do espírito dirigida às gerações novas, que as traga à superfície, que lhes dê um papel nesta hora de insofismável renovação…” Primeira Guerra Mundial Morte Destruição Marcha sobre Roma liderada por Mussolini em 1922 Marcha sobre Lisboa liderada por Gomes da Costa em 1926 1932 Salazar, o “escudeiro-mor”. Caricatura alusiva à atuação de Salazar enquanto ministro das Finanças Comunismo Partidos de extrema-direita Trabalho realizado por: Cristina Marques
Nykoleta Shotropa
Pedro Aguiar 9ºC FIM Poder executivo: 1º poder da nação
Eleições para Presidente da República e para a Assembleia Nacional
Presidente do Conselho nomeado pelo Presidente da República A assembleia remetia-se apenas para discutir propostas do governo Constituição de 1933 Constituição de 1933 Regime: Antiliberalista
Unipartidarista
Anticomunista "...E, volvidos oito séculos, a proteção de Deus continua a picar sobre Portugal, dando aos portugueses Carmona e Salazar. Tudo por Portugal! Nada contra Portugal!" Lição de Salazar com o princípio do regime "Deus, Pátria e Família" Aproxima-se da Igreja

Defende a nação, a história e o património Conservador Nacionalismo económico Autarcia - iniciada em 1928 Austeridade financeira Grande aumento dos impostos Estado das finanças desde 1925 a 1931 com o superavit a sobrepor-se ao défice a partir de 1929 e o orçamento de Estado de 1928-1929 com um saldo positivo de 275 milhares de contos. Estrada da Marginal, em Lisboa (1930) Inauguração da ponte Santa Clara em Coimbra (1952) Libertação de Portugal da dependência externa Política de obras públicas Aproveitar a maior produção
Absorver o desemprego
Ligar o país ao exterior Objetivo comercial: Produzir, consumir e vender o excedente nacional Colonialismo Fontes de matéria-prima e mão-de-obra

Mercado de escoamento Cartaz de propaganda ao vasto Portugal Corporativismo Permitia a gestão das reivindicações sem haver levantamentos populares. Uma casa do povo da altura do Estado Novo atualmente. Cartaz de propaganda sobre as corporações: “Só o bom entendimento entre operários e patrões conduz ao equilíbrio social.”
PIDE em conjunto Censura “ safanões a tempo” Autoritarismo Repressão PVDE perseguia Opositores Políticos agentes fardados
infiltrados
populares informadores encarcerados em estabelecimentos prisionais Prisão do Aljube, Lisboa; Prisão de Caxias; Prisão de Peniche; Prisão da PIDE no Porto Foto aérea do campo de concentração do Tarrafal em Cabo Verde Censura Fazia-se seguir de uma fiscalização regular da emissão de: Jornais Revistas Emissões Radiofónicas Peças de Teatro Surgia uma suspeita Torturas =D Sono Fome Espancamento Etc. Rúbrica sobre a "liberdade de imprensa" totalmente cortada pela censura Definiu regras e métodos para o ensino
Criou órgãos de arregimentação da população
Fez-se difundir através da propaganda Controlo de ameaças ao regime Sala de aula do ensino masculino primário durante o Estado Novo em que se podem ver as “Lições de Salazar” afixadas nas paredes da sala Página de um manual escolar do Estado Novo Ensino primário obrigatório Mocidade Portuguesa Dos 7 aos 14 anos

Dos 14 aos 25 anos Caráter militarista Defender a nação do comunismo obrigatório facultativo Desfile da Mocidade Portuguesa no Rossio gritando: "Portugueses, quem vive? Portugal, Portugal, Portugal! Portugueses, quem manda? Salazar, Salazar, Salazar!" António de Oliveira Salazar, um homem sóbrio, comedido e discreto Salazar nunca escondeu ser “pobre, filho de pobres” Entrevista de António Ferro a Salazar, finais de 1932 1933 - Secretariado de Propaganda Nacional (SPN), dirigido por António Ferro Difusão dos ideários e dos feitos do regime Festas, romarias populares, a Exposição do Mundo Português em 1940 e as “Lições de Salazar” Uma das sete “Lições de Salazar”. Esta foca as obras públicas do Estado Novo Guia de visita à Exposição do Mundo Português Cultivar o nacionalismo e manter a tradição portuguesa

Ocupar os tempos livres da população "Politicamente só existe o que se sabe que existe, politicamente o que parece é." Política do Espírito Concluindo, o Estado Novo foi um regime político ditatorial liderado por António de Oliveira Salazar que se identificou especialmente com o regime fascista italiano de Mussolini. Tinha um caráter antiliberal, anticomunista, unipartidário, nacionalista e coletivista que só através da repressão e do controlo social fazia exercer o seu autoritarismo. Contudo, tal como o especial culto do chefe praticado em Portugal, o Estado Novo foi uma ditadura que serviu ao país em que se instaurou. Conclusão “Portugal teve uma ditadura à sua medida.” O Fim do Estado Novo Revolução de 25 de Abril de 1974 Movimento das Forças Armadas (MFA) 1973 Junta de Salvação Nacional presidida por António de Spínola
Full transcript