Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

BIOMAS BRASILEIROS

No description
by

Willian de Abreu 322

on 13 July 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of BIOMAS BRASILEIROS

OS GRANDES BIOMAS DA SUPERFICÍE DA TERRA
DESERTOS
Para Vesentini e Vlach (2013), os desertos constituem um bioma com características bastante conhecidas e bem definidas: clima árido ou desértico ( com chuvas esparsas e irregulares), solos arenosos ou pedrogosos, vegetação rara, com plantas xerófitas ( isto é, adaptadas à escassez de água) e uma fauna específica (camelos, lagartos, cobras, ratos e outros).Os desertos cobrem mais de 30 milhões de km² da superfície terrestre.
O livro de VESENTINI E VLACH (2013) conceitua BIOMA segundo o IBGE como um conjunto de vida (vegetal e animal) constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e identificáveis em escala regional, com condições geoclimáticas similares, oque resulta em uma diversidade biológica própria.
Veremos agora os principais biomas que se encontram sobre a superfície terrestre apontados nos dois livros em análise:
TUNDRA
Os maiores do mundo são: o deserto do Saara ( norte e centro da África), o deserto do Kalahari (sul da África), o deserto de Gobi ( oeste da China) e o grande deserto australiano ( boa parte da Austrália). Porém, existem vários outros desertos de menor dimensão.
FLORESTAS TEMPERADAS
Para Vesentini e Vlach (2013), são florestas típicas de áreas de clima temperado em ambos os hemisférios, sendo decíduas, ou seja, perdem as folhas durante o outono e o inverno.
As árvores mais comuns são o carvalho, a faia e a nogueira. A fauna caracteristícas dessas florestas é composta de esquilos, lobos, raposas, répteis e diversas aves.
Para Paula e Rama (2012), as florestas temperadas cobriam a maior parte da Europa, o nordeste dos Estados Unidos e parte do Japão, localizando-se em regiões de climas temperados, com invernos não prolongados e estações bem definidas. Também pode ser chamada de floresta decídua porque no inverno, quando as temperaturas chegam abaixo de zero, geralmente as folhas caem reduzindo a perda de água. Essa formação vegetal está praticamente extinta, devido às ações humanas, restringindo-se, atualmente, à parques e reservas que preservam a fauna em que se destacam ursos, esquilos, raposas e veados.
TAIGA
Para Vesentini e Vlach (2013) a Taiga é uma floresta que aparece em algumas regiões do hemisfério norte, no Canadá e na porção norte da Europa e da Ásia. Também conhecida como floresta boreal (boreal significa que pertence ao norte), é uma formação florestal tipíca de clima frio, embora não seja tão intenso quanto o frio polar da Tundra. Nas áreas de Taiga ocorre um verão mais prolongado e um degelo maior da neve ou das geleiras, É uma floresta de coníferas, ou seja, de árvores em forma de cone, como pinheiros ou abeto. Não é uma floresta rica ou heterogênea, e sim homegênea, isto é, com pouca variedade de plantas.

PRADARIAS
Para Vesentini e Vlach (2013), pradarias são também chamadas de campus, no Brasil, e de estepes, na Ásia, as pradarias são um exemplo de vegetação herbácea típica de climas temperados ou subtropicais e de relevos onde predominam as planícies. Há exemplos de pradarias principalmente nos Estados Unidos, mas podemos encontrá-las no sul do Brasil (nos pampas gaúchos) e algumas regiões da Ásia.
Todos esses campos são cobertos por gramíneas e outras plantas adaptadas as chuvas iregulares, embora relativamente abundantes. Os solos dessas áreas em geral são férteis, ricos em húmus (matéria orgânica), por causa da grande quantidade de matéria orgânica que recebem das plantas de vida curta que prevalecem nas pradarias. Por isso, essas áreas concentram boa parte dos maiores cultivos de trigo do mundo. A fauna original das pradarias é comosta e inúmeras aves( dentre elas gaviões e corujas), búfalos, antílopes,toupeiras, coiotes, e vários outros animais.
LIVROS
No livro de PAULA e RAMA não é possível encontrar uma definição do conceito de bioma.
Vesentini e Vlach (2013) conceituam Tundra como uma vegetação rateira encontrada nas áreas polares.Ela aparece no curto verão das duas regiões polares, em especial na região ártica. Nessa época, a temperatura é um pouco mais alta descongelando parcilamente o solo, permitindo o desenvolvimento de uma vegetação composta de musgos, liquens, capim e outras plantas herbáceas (ervas).
Paula e Rama (2012) conceituam Tundra como uma vegetação que ocorre em climas polares, de baixíssimas temperaturas. As espécies vegetais são rasteiras, compostas predominantemente de liquens, algas e musgos. Os solos permanencem congelados durante grande parte do ano, e avegetação cresce somente no curto verão quando ocorre o degelo. Na fauna destacam-se a rena e o urso polar.
Para Paula e Rama (2012), os desertos ocupam mais de um terço das terras emersas e caracterizam-se pela escassez de água em estado líquido, predominando a seca. Porém com a localização no planeta os desertos classificam-se em quentes ou frios, em ambos observam-se pouquíssimas espécies vegetais. A maior variedade de animais é encontrada nos desertos quentes, que são animais de hábitos subterrâneos e noturnos (aranhas, escorpiões e serpentes).
Para Paula e Rama (2012), a Taiga ocorre nas latitudes acima de 50º, onde predominam os climas frios, destacando-se nas paisagens de países como Canadá, Noruega, Suécia, Finlândia e Rússia. Também conhecida por Floresta Boreal, a Taiga é uma formação homogêa, constituída principalmente por coníferas (pinheiros) que possuem folhas estreitas em forma de agulha (acicufoliadas). Ess tipo de folhagem proporciona menor transpiração da planta, regulando o metabolismo e a perda de água. Essa formação vegetal está adaptada à neve e aos solos que ficam gelados no rigoroso inverno.
Para Paula e Rama (2012), nas pradarias predominam espécies herbáceas, formando campus e extensas áreas de pastagens naturais. Essas formações vegetais ocorrem em regiões de clima marcados por uma estação bem prolongada. São as pradarias norte- americanas, os pampas-sul americanos, as estepes européias e russas. Em todo mundo, as áreas de pradarias foram amplamente utilizadas para a pecuária, o que causou uma grande desvatação da vegetação e dos solos. Quanto à fauna, podemos destacar (antílopes, gangurus e esquilos)
SAVANAS
Para Vesentini e Vlach (2013), savanas são vegetações herbáceas e arbóreas(árvores de maior porte), típicas de climas tropicais semiúmidos. Geralmente esse tipo de vegetação ocorre entre áreas de florestas tropicais e desertos ou climas semiáridos, na América dos sul, na Ásia e, princilpalmente, na África. No Brasil corresponde ao nosso
CERRADO,
bioma que apresenta muitas gramíneas (gramas) e árvores baixas, retorcidas e espaçadas. Nas savanas africanas, a fauna é formada por leões, rinocerontes, zebras, girafas, antílopes, entre outros animais. Na América do sul, as espécies animais são bem diferentes: lobos-guarás, tamanduás e antas.
Para Paula e Rama (2012), as savanas ocorrem na América do Sul, África e Austrália, em áreas de clima quente, com uma estação seca e outra chuvosa, bem definidas. No Brasil, são chamadas de cerrados. Nas savanas encontram-se fomações vegetais compostas básicamente de arbustos e gramíneas, com espécies de pouca autura. Os solos das savanas são ácidos e de baixa fertilidade para a agricultura. Nas savanas africanas a fauna é muito diversificada e abriga animais de grande porte, como elefantes, girafas, rinocerontes, leões, e muitos de menor porte como répteis, formigas e cupins.
FLORESTAS TROPICAIS
Para Vesentini e Vlach (2013), as florestas tropicais constituem a vegetação mais rica e diversificada do mundo, especialmente aquelas que se situam na zona equatorial. São matas fechadas, que se desenvolvem em climas quentes e úmidos (equatorial e tropical úmido). Existem florestas tropicais no norte e no leste da América do Sul (Amazõnia e mata Atlântica), no golfo da Guiné e na bacia do Congo ( África central e ocidental) e no sudeste da Ásia ( Indonésia, Malásia, Mianmar). Por conta da abundante radiação solar e das chuvas nessas áreas, as florestas en contradas são exuberantes, com plantas muito próximas umas das outras e de vários portes( arbóreas, herbáceas, cipós, entre outros). Existe aí uma fauna riquíssima, tanto de mamíferos( antas, macacos, etc.) como de insetos, répteis, peixes e outros animais.
Para Paula e Rama (2012), as Florestas Tropical são típicas das regiões de climas quentes e úmidos (Equatorial e Tropical) e estação seca curta, essas florestas são densas e exuberantes, constituídas por árvores de grande porte, algumas alcançando mais de 60 m de altura. As florestas tropicais ocorrem em regiões da América Central, América do Sul, África e no Sudoeste da Ásia e apresentam grandes variedades de espécies animais e vegetais. A floresta Amazônica é um exemplo de floresta Equatorial e a Mata-Atlântica de floresta Tropical. Os solos nessas florestas são ácidos e de baixa fertilidades: a densa vegetação é sustentada pela grande quantidade de matéria orgânica (húmus) da própria floresta. Quanto a fauna, destacam-se cobras, aves, insentos, camaleões, macacos, preguiças, tamandoás, entre outros. Essas formações vegetais tem sido bastante devastadas pela ação humana, com crescimento de cidades, a introdução da agricultura e pecurária e a extração de minerais.
VEGETAÇÃO DE MONTANHA
No livro de Vesentini e Vlach(2013), não consta uma definição para a vegetação de montanha.
Para Paula e Rama (2012), essa formação vegetal é típica das cadeias de montanhas. É bastante diversificada e varia de acordo com a altitude, podendo, por exemplo, variar de uma floresta e coníferas no sopé da montanha a Estepes nas áreas de maior altitude. Essa variação se explica porque, à medida que a altitude aumenta, a temperatura, o ar e a úmidade dimínui, impedindo o desenvolvimento de árvores de grande porte.
APONTAMENTOS
Livro Geografia: O espaço natural e a ação humana ,de Vesentini e Vlach (2013);
Didático e uma linguagem mais compreensiva para a série trabalhada;
Enfoque nos biomas brasileiros (mapas);
Livro bem ilustrado, com imagens que instigam o aluno;
Apresenta várias atividades que introduzem o aluno com questões culturais inclusive do país relacionando com o tema exposto.
Full transcript