Loading presentation...
Prezi is an interactive zooming presentation

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Mercado de Trabalho

No description
by

Breno Alencar

on 15 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mercado de Trabalho

Neoliberalismo
Consequências
Belém
Novembro
2015
.
.
Neoliberalismo
Características Gerais:
Dois Exemplos
Setor Bancário
a) Governo/Estado Mínimo, com corte no contingente de servidores públicos
b) Privatização de estatais e transferência das questões econômcias para o mercado
c) Flexibilização das leis trabalhistas
d) Livre circulação de capitais internacionais, o que incentiva os países periféricos a se abrirem para empresas multinacionais e permitir a presença de capital especulativo (volúvel) em sua sua economia.
Na política Neoliberal o Estado transfere para o mercado setores que antes considerava estratégicos. Por exemplo, a telefonia no Brasil esteve até os anos 1990 nas mãos do Estado. Porém, com base em uma política de cortes nos gastos públicos, foi concedida às empresas atuantes no mercado a possibilidade de explroar a telefonia.
Fenômenos
Contemporâneos
O cultura do consumo também produz uma cultura da inovação, onde se passa a perseguir a qualificação dos bens a fim de atender "novas" demandas. A mesma sociedade que forja esses valores também passa a desenvolver métodos de renovação da força de trabalho. A atualização, a polivalência e a especialização da mão de obra se tornam um componente do processo de restruturação produtiva.
SEO
A produtividade nesse cenário não significa melhoria ou produção em larga de um produto, mas a garantia de sua renovação em um curto espaço de tempo. Desenvolve-se uma cultura do novo, da invetividade (criatividade), da marca, que coloca-se acima do produto. Assim, a vida útil dos produtos que compramos vai diminuindo e, paralelamente, a propaganda nos estimula a trocá-los por outros novos, fazendo com que os artigos sejam consumidos rapidamente, ou sejam deixados de lado se durarem mais do que o previsto, trocados por novos na mesma velocidade da produção.
A publicidade torna-se a indústria da necessidade.
Sistemas Flexíveis de Produção
Sociologia IV
Prof. MSc. Breno Alencar
Processo ocorrido nos anos 1970 responsável pela automatização do trabalho e introdução da informática e da robótica, desenvolvendo a capacidade de acumular, armazenar, processar e distribuir informação.
A Revolução Tecnológica contribuiu também para a eliminação das fronteiras de espaço e tempo, permitindo a circulação de dinheiro e crédito na forma virtual entre os estados-nações.
É um sistema que elimina o controle manual por parte do trabalhador alterando a composição do capital, que passa a investir em métodos de automoção (robótica, microeletrônica) e flexibilização da produção a fim de aumentar a produtividade.
Movimento político e teórico que concebe a sociedade assentada na liberdade dos indivíduos e de funcionamento do mercado. Inspirado no liberalismo clássico, que defende um capitalismo livre de regras, o neoliberalismo rejeita a intervenção do Estado na economia e valoriza a superioridade do mercado na vida social, incentivando a concorrência e a liberdade de iniciativa como mecanismos capazes de assegurar a soberania do consumidor, o crescimento da riqueza e o desenvolvimento humano.
Pós-fordismo ou acumulação flexível
Terceira Revolução Tecnológica:
Informação/Comunicação
Financeirização do Capital
Neoliberalismo
Descolonização
A perda de controle dos países centrais sobre os recursos naturais e humanos da África e Ásia, deslocou o processo de exploração do trabalho para o mercado interno, levando a uma recomposição da produtividade.

Setor Automobilístico
a informatização do trabalho agilizou as atividades bancárias, fazendo com que um mesmo funcionário concentrasse mais de uma tarefa.

Na indústria de veículos, a introdução de equipamentos de microeletrônica e a robótica trouxe para os trabalhadores maior responsabilidação pelo processo de trabalho e pelos resultados da produção.
O mercado de trabalho é flexionado e passa a utilizar as mais diferentes formas de trabalho: trabalho doméstico e familiar, trabalho autônomo, trabalho temporário, por hora ou por curto prazo, subcontratação. Elas subsitutem a forma clássica de emprego regular, sob contrato, permitindo uma alta rotatividade da mão-de-obra e, consequentemente, baixo nível de sindicalização e forte retrocesso da ação dos sindicatos na defesa dos direitos trabalhistas.
Reestruturação Produtiva ou Flexibilização Produtiva
Desenvolvida nos países centrais nas décadas de 1970 e 1980, chegou ao Brasil com intensidade nos anos 1990, período marcado por um novo padrão de desenvolvimento capitalista identificado principalmente com um conjunto de medidas econômicas, como redução da atividade econômica do Estado (por meio da privatização de empresas estatais), a abertura comercial, a reestruturação das políticas sociais e a desregulamentação financeira e do mercado do trabalho. Por uma lado ela significa a redução de direitos com a finalidade de redução dos custos; por outro, ela pode ser uma forma de adaptar o trabalhador, as equipes de trabalho e os processos produtivos às inovações tecnológicas ou à mudança de estrategia da empresa.
Principal Estratégia do Capital no contexto Neoliberal
Terceirização:
recurso mediante o qual uma empresa (em geral, de grande porte) transfere a responsabilidade de serviços ou de atividades produtivas para uma empresa "terceira". Essas atividades podem ser feitas no interior da empresa contratante ou fora dela.
Em geral, as terceirizadas assumem funções auxiliares (atividade meio) nas empresas contratantes, como limpeza, segurança, cozinha, transporte, ou fornecem componentes prontos.
1. Precarização do Trabalho: as condições de trabalho tornam-se precárias devido à redução do número de trabalhadores contratados e a sua incorporação como terceirizados à cadeia produtiva. Os trabalhadores flexíveis ou terceirizados têm menor remuneração e os empresários se desobrigam de alguns encargos sociais, contratando-os sem proteção nem garantias de estabilidade no cargo ou assistência social. Os estagiários ou trainees exemplificam esses trabalhadores que podem ser dispensados mais facilmente pelas empresas, que os contratam, muitas vezes, em subsitutição a trabalhadores efetivos com melhores condições salariais.
2. Informalidade: a ausência de oportunidades de emprego ou sua precarização favorece o desenvolvimento de um empreendedorismo de sobrevivência, que se manifesta à margem do mercado de trabalho formal (ausência de carteira assinada, de seguro desemprego, férias remuneradas, direitos trabalhistas, etc.).
Desafios para o Mercado de Trabalho Atual
1 - Fortalecimento da mobilização sindical;
2 - Combinar estratégias de proteção do emprego e melhoria das condições de trabalho;
3 - Responder ao cenário de flexibildiade e estimular a construção de identidades coletivas;
4 - Posicionar-se com relação à restruturação produtiva e garantir a negociação coletiva, ou seja, a regulação conjunta, entre empresários e trabalhadores, dos termos e das condições do emprego;
5 - Desenvolvimento do trabalho solidário, que se caracteriza pela valorização e fortalecimento dos laços sociais bem como para uma produção baseada num modelo que privilegia o interesse coletivo e se volta para a cooperação em detrimento da concorrência. Exemplos:
feiras solidárias, cooperativas populares, redes de olidariedade, moeda social, banco comunitário e organizações em assentamentos agrários.
Características Principais:
- Flexibilização dos processo de trabalho
- Flexibilização e mobilidade dos mercados de trabalho
- Flexibilização dos produtos e também dos produtos de consumo
Full transcript