Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

VERBO, ADVERBIO, CONJUNÇÕES E PREPOSIÇÕES

MÓDULO II
by

Raíssa Pereira

on 26 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of VERBO, ADVERBIO, CONJUNÇÕES E PREPOSIÇÕES

VERBO, ADVÉRBIO, CONJUNÇÃO E PREPOSIÇÃO
VERBO
O que caracteriza o verbo são as suas flexões, e não os seus possíveis significados.
CONJUNÇÃO
Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração.
ADVÉRBIO
Advérbio é uma palavra invariável que modifica o sentido do verbo, do adjetivo e do próprio advérbio.
PREPOSIÇÃO
Palavra invariável que liga TERMOS de uma oração, subordinando o segundo ao primeiro.
Detail 4
PODEM SER ESSENCIAIS, ACIDENTAIS OU LOCUÇÕES PREPOSITIVAS

Ex.:
A, ante, perante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, por, sem, sob, sobre, trás, atrás de, dentro de, para com.
Preposições essenciais: palavras que atuam exclusivamente como preposições.
Preposições acidentais: palavras de outras classes gramaticais que podem atuar como preposições.
Ex.:
Como, durante, exceto, fora, mediante, salvo, segundo, senão, visto.
Locuções prepositivas: duas ou mais palavras valendo como uma preposição, sendo que a ÚLTIMA palavra é uma PREPOSIÇÃO.
Ex.:
Abaixo de, acerca de, acima de, ao lado de, a respeito de, de acordo com, em cima de, embaixo de, em frente a, ao redor de, graças a, junto a, com, perto de, por causa de, por cima de, por trás de.
COMBINAÇÃO
&
CONTRAÇÃO
Ex.: Os dias passam, as prestações chegam, a vida continua.
CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
EXPLICATIVAS
Explicam, dão um motivo ou razão:

Exemplos:
- É melhor colocar o casaco
porque
está fazendo muito frio lá fora.
- Não demore,
que
o seu programa favorito vai começar.

Principais conjunções explicativas: que, porque, pois (antes do verbo), porquanto.
ADITIVAS
Expressam a idéia de adição, soma.

Observe os exemplos:
- Ela foi ao cinema
e
ao teatro.
- Minha amiga é dona-de-casa
e
professora.
- Eu reuni a família
e
preparei uma surpresa.
- Ele não só emprestou o joguinho
como também
me ensinou a jogar.

Principais conjunções aditivas: e, nem, não só…mas também, não só…como também.
CONCLUSIVAS
Servem para dar conclusões às orações.

Exemplos:
- Estudei muito
por isso
mereço passar.
- Estava preparada para a prova,
portanto
não fiquei nervosa.
- Você me ajudou muito; terá,
pois
sempre a minha gratidão.

Principais conjunções conclusivas: logo, por isso, pois (depois do verbo), portanto, por conseguinte, assim.
ALTERNATIVAS
Expressam idéia de alternância.

Exemplos:
-
Ou
você sai do telefone
ou
eu vendo o aparelho.
- Minha cachorra
ora
late
ora
dorme.
- Vou ao cinema
quer
faça sol
quer
chova.

Principais conjunções alternativas: Ou…ou, ora…ora, quer…quer, já…já.
ADVERSATIVAS
Expressam idéias contrárias, de oposição, de compensação.

Exemplos:
- Tentei chegar na hora,
porém
me atrasei.
- Não ganhei o prêmio,
no entanto
dei o melhor de mim.

Principais conjunções adversativas: mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto.
CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS
CAUSAIS
COMPARATIVAS
CONFORMATIVAS
FINAIS
Expressam uma idéia de conseqüência.

Principais conjunções consecutivas: que ( após “tal”, “tanto”, “tão”, “tamanho”).

- Falou tanto que ficou rouco.
- Estava tão feliz que desmaiou.
Principais conjunções causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como (= porque).
Exemplos:
- Não pude comprar o CD porque estava em falta.
- Ele não fez o trabalho porque não
tem livro.
- Como não sabe dirigir, vendeu
o carro que ganhou
no sorteio.
Principais conjunções comparativas: que, do que, tão…como, mais…do que, menos…do que.

Exemplos:
- Ela fala mais que um papagaio.
Principais conjunções conformativas: como, segundo, conforme, consoante

- Cada um colhe conforme semeia.
- Segundo me disseram a casa é esta.

Expressam uma idéia de acordo, concordância, conformidade.
CONSECUTIVAS
Expressam idéia de finalidade, objetivo.

- Todos trabalham para que possam sobreviver.
- Viemos aqui para que vocês ficassem felizes.

Principais conjunções finais: para que, a fim de que, porque (=para que)
PROPORCIONAIS
Principais conjunções proporcionais: à medida que, quanto mais, ao passo que, à proporção que.

- À medida que as horas passavam, mais sono ele tinha.
- Quanto mais ela estudava, mais feliz seus pais ficavam.
TEMPORAIS
Principais conjunções temporais: quando, enquanto, logo que.

- Quando eu sair, vou passar na locadora.
- Chegamos em casa assim que começou a chover.
- Mal chegamos e a chuva desabou.

Obs: Mal é conjunção subordinativa temporal quando equivale a “logo que”.

Conjunto de duas ou mais palavras com valor de conjunção.

Exemplos: ainda que, se bem que, visto que, contanto que, à proporção que.

Observe os exemplos:
- Correram tanto, que ficaram cansados.

“Que ficaram cansados” aconteceu depois deles terem corrido, logo é uma conseqüência.
Ficaram cansados porque correram muito.

“Porque correram muito” aconteceu antes deles ficarem cansados, logo é uma causa.
LOCUÇÃO CONJUNTIVA
Às vezes, um advérbio pode se referir a uma oração inteira; nessa situação, normalmente transmitem a
avaliação
de quem fala ou escreve sobre o conteúdo da oração.
Quando modifica um verbo, o advérbio pode acrescentar várias ideias, tais como:
Tempo: Ela chegou
tarde
.
Lugar: Ele mora
aqui
.
Modo: Eles agiram
mal
.
Negação: Ela
não
saiu de casa.
Dúvida:
Talvez
ele volte.
Classificação dos Advérbios
De acordo com a circunstância que exprime, o advérbio pode ser de:
Lugar: aqui, dentro, ali, adiante, fora, acolá, atrás, além, lá, detrás, onde, perto, longe, debaixo, externamente, de longe, de perto, em cima, à direita, à esquerda, ao lado, em volta.

Tempo: hoje, logo, tarde, outrora, ainda, antigamente, antes, nunca, então, ora, jamais, já, enfim, afinal, amiúde, breve, constantemente, às vezes, de vez em quando, a qualquer momento, hoje em dia.

Modo: bem, mal, assim, melhor, pior, depressa, à toa, à vontade, às escondidas, dessa maneira, em geral, de cor, em vão e a maior parte dos que terminam em "-mente".

Afirmação: sim, certamente, realmente, decerto, efetivamente, certo, decididamente, deveras, indubitavelmente.


Negação: não, nem, nunca, jamais, de modo algum, de forma nenhuma, tampouco, de jeito nenhum.

Dúvida: acaso, porventura, possivelmente, provavelmente, quiçá, talvez, casualmente, por certo, quem sabe.

Intensidade: muito, demais, pouco, tão, menos, em excesso, bastante, mais, menos, tudo, nada, todo, quase, por completo, extremamente, intensamente, grandemente, bem (quando aplicado a propriedades graduáveis).

Exclusão: apenas, exclusivamente, salvo, senão, somente, simplesmente, só, unicamente.

Inclusão: ainda, até, mesmo, também.

Ordem: depois, primeiramente, ultimamente.
Flexão do Advérbio
Os advérbios são palavras invariáveis, isto é, não apresentam variação em gênero e número. Alguns advérbios, porém, admitem a variação em grau. Observe:
Grau Comparativo e Superlativo:
Formam-se o comparativo do advérbio do mesmo modo que o comparativo do adjetivo
Quando há duas ou mais palavras que exercem função de advérbio, temos a locução adverbial. Iniciam ordinariamente por uma preposição. Veja:

lugar: à esquerda, à direita, de longe, de perto, para dentro, por aqui, etc.

afirmação: por certo, sem dúvida, etc.

modo: às pressas, de cor, em vão, em geral, frente a frente, etc.

tempo: de noite, de dia, de vez em quando, à tarde, hoje em dia, etc.
Locução Adverbial
Verbo é a classe de palavras que se flexiona em: pessoa, número, tempo, modo e voz.
MODO:
Dá-se o nome de modo às várias formas assumidas pelo verbo na expressão de um fato. Em Português, existem três modos:

Indicativo - indica uma certeza, uma realidade.
Eu sempre estudo.
Subjuntivo - indica uma dúvida, uma possibilidade.
Talvez eu estude amanhã.
Imperativo - indica uma ordem, um pedido.
Estuda agora, menino.
FLEXÃO DE
NÚMERO E PESSOA
FORMAS NOMINAIS
O verbo apresenta formas que
podem
exercer funções de nomes, sendo, por isso denominadas formas nominais.
CONJUGAÇÕES VERBAIS
Os verbos no português se dividem em três grupos, de acordo com suas terminações. Vejamos:
CLASSIFICAÇÕES VERBAIS
Verbo Regular: não sofre alterações ao ser conjugado;
Verbo Irregular: sofre alterações ao ser conjugado;
Verbo Defectivo: possue a conjugação incompleta
Verbo Abundante: apresenta mais de uma forma para o mesmo verbo
1a. CONJUGAÇÃO: Verbos terminados em "AR".
2a. CONJUGAÇÃO: Verbos terminados em "ER" e o verbo "POR".
3a. CONJUGAÇÃO: Verbos terminados em "IR".

Varia a forma verbal pra indicar a pessoa gramatical a que se refere.

1a Pessoa: ENUNCIADOR(quem fala)

2a Pessoa: ENUNCIATÁRIO(com quem se fala)

3a Pessoa: ENUNCIADO(de que/quem se fala)
PESSOA
NÚMERO
Varia a forma verbal para indicar o número de sujeitos a que se refere.

Singular: Refere-se a um único sujeito.
Exemplo: O menino fala.

Plural: Refere-se a mais de um sujeito.
Exemplo: Os meninos falam.
a) INFINITIVO:
Infinitivo Impessoal: exprime a significação do verbo de modo vago e indefinido, podendo ter valor e função de substantivo.
Infinitivo Pessoal: é o infinitivo relacionado às três pessoas do discurso.
b) GERÚNDIO: pode funcionar como adjetivo ou advérbio.
Por exemplo:
Saindo de casa, encontrei alguns amigos.

d) Particípio: quando é empregado na formação dos tempos compostos, o particípio indica geralmente o resultado de uma ação terminada, flexionando-se em
gênero
, número e grau.
Por exemplo:
Terminados os exames, os candidatos saíram.

Quando o particípio exprime somente estado, sem nenhuma relação temporal, assume verdadeiramente a função de adjetivo (adjetivo verbal).
Por exemplo:
Ela foi a aluna escolhida para representar a escola.
PARTICÍPIO REGULAR: acréscimo das desinências -ado e -ido nos verbos.
falado, acontecido, ido, pensado, fechado
PARTICÍPIO IRREGULAR: como o nome sugere, não está marcado por uma desinência, mas por diferentes desinências, não há PADRÃO.
aberto, circunscrito, feito, dito, gasto, pago
O particípio vem sempre antecedido por um verbo auxiliar.
Se o auxiliar for “ter” ou “haver”, use a forma regular. Se for “ser” ou “estar”, use a forma irregular.
Desta forma, teríamos as frases:
“Ele foi eleito por todos nós.” e “Se não fossemos nós, ele não tinha se elegido.”
VOZES VERBAIS
Full transcript