Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Hodgson/Veblen - Economia Institucional

No description
by

Gustavo Goudard

on 9 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Hodgson/Veblen - Economia Institucional

Seminário
Economia institucional


"While the materialistic interpretation of history points out how social development goes on [...] it is nowhere pointed out what is the operative force at work in the process. It denies that human discretion and effort seeking a better adjustment can furnish such a force, since it makes man the creature of circunstances. This defect reduces itself [...] to a misconception of human nature and of man's place in the social development. The materialistic theory conceives of man as exclusively a social being, who counts in the process solely as a medium for the transmission and expression of social laws and changes; whereas he is, in fact, also an individual, acting out his own life as such"
Conclusão
On The evolution of thorstein veblen's evolutionary economics
Geoffrey m. hodgson (1998)

Introdução
Economia evolucionária:
termo vago e muitas vezes mal definido
Biologia (Nelson & Winter (1982))
1880-1900:
fenômenos sociais e biológicos
relacionados. Darwinianos X Lamarquianos
Puramente, para alguns
Controvérsia sobre os mecanismos de seleção
Falta de conhecimento preciso sobre os mecanismos de replicação e transmissão


Veblen
entra no debate com seus textos entre 1896-99
Contribuições que "quebram" as
limitacões estáticas, teleológicas
e individualísticas da doutrina anterior.
Veblen's evolutionary economics and the critique of Marx
Revolução intelectual
de Veblen: 1896-98
Mas é preciso voltar mais e ver os debates e questões que o influenciaram


The emergence of emergent properties
Outra influência: C. Lloyd
Morgan
Se opunha a noção de Spencer e outros Lamarquianos: hábitos adquiridos não são passados por herança genética

Paradoxo:
avanço civilizatório, tecnológico
vis-à-vis
evolução biótica e genética humana
Como pode tal descompasso?
Nega que processo evolutivo sócio-econômico é seguido por aquisição de novos hábitos adquiridos que são passados por herança genética (barreira)
Emergent (level; properties)

Phylogenetic
(mudança do material genético) /
Ontogenetic
(desenvolvimento e crescimento de um único organismo, sem mudança genética /
Phenotypic
(desenvolvimento de uma partícula do organismo depende do estilo e da nutrição recebida pelo ambiente)


Introdução
Resumo

Abordar a origem da economia evolucionária em Veblen




Prof.: Octávio Conceição

Aluno: Gustavo Goudard

1898: "
Why is economics not an evolutionary science?
"

Crítica ao reducionismo biológico
Crítica à Marx - ação humana limitada
Rejeita Indivíduo X Sociedade
Linha darwiniana

Introdução
Então, o
objetivo
do presente trabalho é entender o desenvolvimento do pensamento de Veblen até seu ensaio em 1898.
(não tudo)


Fundação de uma economia evolucionária pós-darwiniana
Poderosa critica ao pensamento econômico mainstream

"social evolution depended on the rate of organic modification in human beings" (Spenger, 1880, p. 336
apud
Hodgson, 1998)
Lamarck: características adquiridas / Darwin
Sumner / Herbert Spencer -
natural causation
: fenômenos sociais reduzidos ao indivíduo e a termos biológicos (assim como evolução)
Reducionismo biológico




Jacques Loeb, Romanes (análise causal),
William James (rejeição hedonismo, utilitarismo; hábito, instinto), Charles Sanders Peirce (rejeição determinismo e mecanicismo) - espontaneidade
Mas...
Logo, para explicar a evolução sócio-econômica a ciência social deve conter...
"socio-economic evolution must be regarded as a substantial unfolding of life as well"
"conceive the individual in
both
biological and socio-economic terms"
"rejected the idea of either individual or society as exclusive foundations for social science"
"must involve individual agents as well as institutions and structures"
"the theory of the social process had to be compatible with, but also
more
than, the theory of evolution of human life"
Veblen's 1898 critique of orthodox economics
(1) Escola neoclássica (Marshall); (2) Austríaca (Menger); (3) German Historical School (Schmoller)

Falsa concepção da natureza humana (hedonístico, passivo, inerte, imutável, racional com ilimitada habilidade)
No lugar disso, Veblen vê hábitos e instinos (sócio-econômico e biológico)

Indivíduo é um sujeito em processo evolucionário e, sendo assim, não pode ser tomado como dado ou fixo;

Não-cumulatividade

Rejeição do individualismo metodológico (insustentável: nada mais explica a não ser ele mesmo? - depende de indivíduo dado - neoclássicos: param num ponto)
Tudo isso em uma visão evolucionária, cumulativa, dependente e com interações entre as esferas!
Também, mas não só...
Visão Darwiniana
não meramente biológica, mas também filosófica e metodológica
causes and principles

não explica como as forças sociais impelem os agentes a pensar e agir
Rejeição de explicar indivíduo inteiramente em termos sócio-econômicos

Porém, perceba: não substitui por individualismo metodológico.

Não nega, mas discorda do exclusivismo

Daí a utilização de indivíduo (social e biológico)
e
sociedade

"This suggests that human mould their circumstances just as they are moulded by theim"
"The biological and the social spheres became partially autonomous, but linked, levels of analysis"
Pouco trabalhado por Morgan,
próximo passo
de Veblen: instituições, mais que indivíduos, se tornaram o objeto de seleção na evolução sócio-econômica

Cultura e instituição

Cuidadoso ao tratar dos temas relacionados à biologia

Não queria criar uma "areia movediça" científica, mas utilizar o que mais era duradouro e decisivo em Darwin: a
questão metodológica
!

Morgan, então, focou nos fenômenos sócio-econômicos e deu certa autonomia às questões de herança biológica


Assim, o cenário estava aberto para a
revolução Vebleniana
: "the concept of the evolution and selectio of institutions as emergent entities in the socio-economic sphere"

"The economic life history of individual is a cumulative process of adaptation of means to ends that cumulatively change as the process goes on, both the agent and his environment being at any point the outcome of the last process" (Veblen, 1898)
Sociedade


Indivíduo
Os textos de Veblen constituem o pimeiro caso de uma economia evolucionária com linha darwinana!
The prime postulate of a evolutionary science ... is the notion of a cumulative cusal sequence
Darwinistic account in economics as addressing the origin, growth, persistence, and variation of institutions
Must address the conditions of variational growth
Estava
criada
a Economia Institucional!
Full transcript