Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ergonomia

No description
by

Marina Zwetsch

on 9 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ergonomia

Milena Flament A criança que nasceu cega não sabe o que é ver. Não sabe que é diferente dos outros, portanto é tão feliz como qualquer outra criança. Até notar que não vê, pode ter-se tornado uma pessoa feliz, que encara a vida como qualquer outra criança. possuem algum tipo de dificuldade para enxergar 35,8 milhões de pessoas (18,8%) Deficiência visual no Brasil são três tipos diversos agentes podem provocar which allows a more effective use of spatial relativity to convey meaning. 80% Alguns projetos Alfabetização O projeto Uma marca Para as crianças cegas, os brinquedos devem estimular outros sentidos que não sejam a visão. sendo que 506,3 mil são cegos desenvolver ROUPA FUNCIONAL PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL A deficiência visual visão parcial cegueira visão reduzida Os cegos são aqueles que não possuem nenhum tipo de visão, mas podem ter alguma captação de luz, diferentemente dos indivíduos que perderam o globo ocular. existem dois tipos de causas congênita adquirida perda de visão albinismo aniridia miopia rubéola conjuntivite sarampo traumatismos 6,6 milhões de pessoas possuem deficiência visual severa sengundo o IBGE, censo de 2010 Atualmente, estima-se que existam 180 milhões de deficientes visuais em todo o mundo, dentre os quais 45 milhões são cegas e 135 milhões apresentam algum tipo de baixa visão. A grande maioria dos casos de cegueira está presente nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Previsões atuais estimam que o número de pessoas cegas dobrará até o ano 2020. A deficiência visual em crianças A mãe e o pai de uma criança cega querem que tudo o que acontece ao seu filho contribua para desenvolver a autoconfiança e a independência. crianças portadoras de deficiência visual estimuladas através atividades lúdicas, dos brinquedos e das brincadeiras habilidades táteis conceitos básicos Para o público com deficiência visual, o mercado e até mesmo as leis têm se adaptado e incentivado a elaboração de produtos que atendam as suas necessidades. corpo em movimento orientação espacial coordenação motora sentido de direção de tudo o que uma criança aprende é através da visão Possuir um ótimo domínio do sistema Braille É preciso saber como se dá o processo de construção do conhecimento por meio da experiência
não
visual. criar condições adequadas de acesso aos conteúdos escolares dentro e fora da sala de aula. Inclusão de deficientes visuais através da moda. Nosso projeto busca levar elementos do design de moda, através do uso de recursos como: aplicações, bordados e métodos de costura, para que através destes, a criança com deficiência visual tenha o desenvolvimento do estímulo tátil infantil e a identificação de palavras em Braille. As roupas seriam criadas com estampas em relevos, texturas e tags escritos em braille para auxiliar no desenvolvimento sensorial. O DESIGN DE MODA COMO INCLUSÃO SOCIAL DE PORTADORES DE DEFICIÊNCIA VISUAL Trabalho apresentado no evento INOVA SENAI 2010, 1 Colocado na categoria Responsabilidade Social. A coleção baseou-se no tema Liberdade e foi inspirada em abelhas, borboletas e libélulas. Exposição do 1 Concurso Moda Inclusiva (2009) As roupas que receberam a terceira colocação no concurso foram desenvolvidas pela estudante de Têxtil e Moda da Universidade de São Paulo (USP), Julia Harumi Sato aluna do terceiro ano. As peças com o tema “Primavera e Outono” foram inspiradas nas características das estações do ano, nas composições de Vivaldi, na obra de Antoine de Saint-Exupéry, nas bailarinas de Fernanda Bianchini, nas cenas do filme “Dolls” de Takeshi Kitano e nos jogos e brincadeiras destinados aos deficientes visuais. A proposta de Julia foi criar roupas para crianças cegas, mas que não se diferenciassem visualmente por este aspecto numa busca pela inclusão verdadeira. As roupas são belas, românticas e delicadas, assim como as modelos. Uma das preocupações foi também trabalhar a auto-estima das meninas para que se sentissem belas e seguras para o palco. Em suas palavras: "...procurei desenvolver roupas adaptadas às realidades das meninas, no meu caso em especial, as modelos eram bailarinas. O enfoque principal das criações foi o desenvolvimento dos sentidos primordiais para as crianças como um todo, mas que para crianças que nasceram sem enxergar são fundamentais como o tato, a audição e o olfato. Desenvolvi criações lúdicas, capazes de estimular os sentidos e a capacidade de criação e imaginação. Como enfatiza a famosa frase em o Pequeno Príncipe, obra literária infantil (“o essencial é invisível aos olhos”), o essencial das roupas não estava na visão, mas no invisível." Beeetú é uma marca espanhola, que é inspirada no mundo de duas crianças, Sara e Max. A mãe de Sara e Max, designer gráfica,
traduziu a ideia de seus filhos em um projeto
muito original. Crianças de
3 a 8 anos Laura Hernandes
Luísa Hernandes
Marina Zwetsch Segundo estudo feito pela OMS em 2002 3,90% cegueira infantil causas de cegueira no mundo
Full transcript