Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Acessibilidade na Engenharia Civil

Seminário de CV831
by

Carolina Mota

on 30 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Acessibilidade na Engenharia Civil

Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos É um DIREITO! Representa o ato de ir e vir e o direito de eliminar barreiras, sejam elas físicas, como arquitetônicas ou construtivas, visuais, auditivas ou de informação. Acessibilidade urbana Acessibilidade em edificações Os caminhos e passagens por todo o prédio precisam ser completamente acessíveis a todas as pessoas. As ligações e os acessos (entrada social, entrada de serviço, garagem, jardins e circulações) não podem ser interrompidos por degraus, desníveis, ou vãos estreitos. Bibliografia http://www.integrando.org.br/IMG/doc-194.pdf
http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/sis/lenoticia.php?id=967
http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/arquivos/%5Bfield_generico_imagens-filefield-description%5D_24.pdf
http://grupomemoriaativa.wordpress.com/2012/09/16/normas-abnt-9050-acessibilidade/
http://edumanzi.wordpress.com/2010/03/15/crea-sem-acessibilidade/
http://www.deficienteciente.com.br/2012/05/tire-duvidas-sobre-vagas-para-pessoas-com-deficiencia-em-estacionamentos.html
http://portal.mj.gov.br/corde/arquivos/ABNT/NBR9050-31052004.pdf Acessibilidade Seminário CV831 “O reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo.” DECLARAÇÃO UNIVERSAL
DOS DIREITOS HUMANOS Decreto-lei 5296
2 de dezembro de 2004 Lei de acessibilidade Art. 8o Para os fins de acessibilidade, considera-se:
I - acessibilidade: condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa portadora de deficiência ou com mobilidade reduzida;

II - barreiras: qualquer entrave ou obstáculo que limite ou impeça o acesso, a liberdade de movimento, a circulação com segurança e a possibilidade de as pessoas se comunicarem ou terem acesso à informação; CIDADANIA ABNT NBR 9050:2004 Estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaço e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade. IBGE- Censo demográfico de 2010 Foram pesquisadas deficiências permanentes visual, auditiva, motora, todas de acordo com o seu grau de severidade, além da mental ou intelectual 45,6 milhões de pessoas com deficiência no país visual - 18,76%
auditiva - 5,09% motora - 6,96%
mental - 1,37% Piso táctil direcional, telefone para surdos e semáforos sonoros para usuários deficientes visuais Rampas para deficientes motores e vagas para estacionamento Acesso para transporte público e rampas em edificações A lei estabelece que todos os locais públicos e privados de uso coletivo devem ter no mínimo 2% de suas vagas de estacionamento reservadas para deficientes físicos. Se este percentual der um resultado menor do que 1, ainda assim é necessário pelo menos 1 vaga destinada a esse público
Artigo 25 da lei 5296 As pessoas com algum tipo de dificuldade para se locomover têm que encontrar condições de entrar nos jardins, chamar pelo interfone, chegar à portaria, usar o elevador, subir e entrar nos apartamentos, sem precisar de ajuda especial. Carolina Oyama Mota - 059644
Fernanda Barbosa - 060754
Lin Xu Feng - 084450
Tadeu R. S. M. Lima - 084136 0,90 m para corredores de uso comum com extensão até 4,00 m;
1,20 m para corredores de uso comum com extensão até 10,00 m; e 1,50 m para corredores com extensão superior a 10,00 m;
1,50 m para corredores de uso público;
maior que 1,50 m para grandes fluxos de pessoas; As portas, inclusive de elevadores, devem ter um vão livre mínimo de 0,80 m e altura mínima de 2,10 m. Em portas de duas ou mais folhas, pelo menos uma delas deve ter o vão livre de 0,80 m. As dimensões do mobiliário dos dormitórios acessíveis devem atender às condições de alcance manual e visual prevista em norma e ser dispostos de forma a não obstruírem uma faixa livre mínima de circulação interna de 0,90 m de largura, prevendo área de manobras para o acesso ao sanitário, camas e armários.
Deve haver pelo menos uma área com diâmetro de no mínimo 1,50 m que possibilite um giro de 360°, conforme figura.
A altura das camas deve ser de 0,46 m. Deve ser garantida a condição de circulação, aproximação e alcance dos utensílios.
As pias devem possuir altura máxima de 0,85 m, com altura livre inferior mínima de 0,73 m. Corredores Portas Mobiliário de dormitórios Cozinhas Comandos Alturas recomendadas para o posicionamento de diferentes tipos de comandos e controles. Banheiros
Full transcript