Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sintaxe

Funções sintáticas
by

Sofia Ramos

on 8 May 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sintaxe

"O burro Flor caminhava mansamente" ? Sintaxe Sintaxe Frase e constituintes da frase Tipos de frase Articulação entre constituintes e entre frases Processos sintáticos Funções Sintáticas F SINTÁTICAS F U N Ç Õ E S Identificar as principais alterações ao nível das funções sintáticas; Construir um mapa de conceitos relativo ao tema. Analisar as funções sintáticas ao nível da frase; Identificar as funções sintáticas internas aos grupos: nominal, verbal e adjetival; O b j e t i v o s "Disciplina da linguística que estuda a forma como as palavras se combinam para formar unidades maiores. A unidade máxima de análise sintáctica é a frase."

(http://dt.dgidc.min-edu.pt/) Fazer um ponto da situação no que se refere à aprendizagem que incidiu até agora sobre a temática da sintaxe; F u n ç õ e s s i n t á t i c a s a o n í v e l d a f r a s e F u n ç õ e s s i n t á t i c a s i n t e r n a s a o g r u p o v e r b a l F u n ç õ e s s i n t á t i c a s i n t e r n a s a o g r u p o n o m i n a l F u n ç õ e s s i n t á t i c a s i n t e r n a s a o g r u p o a d j e t i v a l FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL D PREDICAD MODI ICADOR VOC TIVO FRASE SUJ ITO IMPLES COMPOS INDETERMINAD O N LO INTERNA AO GRUPO VERBAL C MPLEMENTO TO DIR INDIR TO OB ÍQUO PREDICA IVO PREDICATIVO O SUJEITO COMPLETE PREDICATIVO D TO DIRETO MODIFIC DOR INTER AS AO GRUPO NOMINAL INTERNAS AO GR PO ADJETIVAL COMPLEME TO DO ADJETIVO COMPLEMENTO DE OME MODIFICAD R RESTRIT VO OPOS TIVO Explorar a temática de forma lúdica para melhor consolidar a aprendizagem; "Dizem que é de pequenino que se torce o pepino." "O burro Flor caminhava mansamente" "O burro Flor caminhava mansamente" Qual é a pergunta que se faz para descobrir o sujeito da frase? Ah! Já sei!
Quem Caminhava? "Dizem que é de pequenino que se torce o pepino" Isso é porque o sujeito não está presente! (Alguem diz) Indeterminado NULO Provavelmente eles têm razão! Sabes o que te digo, Florindo? "O burro Flor caminhava mansamente." "Iam um velho chamado Florêncio e um rapaz chamado Florindo pela estrada fora a caminho da feira." Funções sintáticas ao nível da frase Funções sintáticas internas ao grupo verbal F. S. internas ao grupo nominal F. S. internas ao grupo adjetival SUJEITO:

função sintática desempenhada pelo constituínte da frase que controla a concordância verbal;

podem desempenhar função de sujeito:
o grupo nominal;
orações subordinadas substantivas;

o sujeito pode ser substituído pelos pronomes pessoais (ele, ela, nós, vós, eles, elas) quando se trata de um grupo nominal;

quando o sujeito é uma oração completiva pode ser substituído pelo pronome demonstrativo - isso. O burro flor caminhava mansamente. É verdade que eles iam a caminho da feira. Ele caminhava mansamente. O burro flor caminhava mansamente. Isso é verdade. É verdade que eles iam a caminho da feira. Sujeito constituído apenas por um grupo nominal ou uma oração Sujeito constituído por uma coordenação de dois grupos nominais, de orações, de pronomes ou pela combinação destas categorias Sujeito não expresso na frase Sujeito que não está explícito mas que pode ser recuperado a partir do contexto Sujeito que tem como referente uma entidade não específica - "alguém". Sujeito nulo que não tem qualquer interpretação. Exemplos:
"Anoiteceu."
Trovejou toda a noite.
"Há muito tempo, quando as galinhas tinham dentes..."
"Há alunos que gostam imenso de gramática." "O burro Flor caminhava mansamente." Tradição gramatical Dicionário Terminológico Sujeito: Sujeito: simples; simples; composto; composto; - subentendido; - indeterminado; - inexistente. nulo: - subentendido; - indeterminado; - expletivo; Função sintática desempenhada pelo grupo verbal Função sintáctica desempenhada por um constituinte que não controla a concordância verbal e que é utilizada em contextos de chamamento ou interpelação do interlocutor. O vocativo ocorre muito frequentemente em frases imperativas, interrogativas e exclamativas. MODIFICADOR DE FRASE:

função sintática desempenhada por constituintes não selecionados por nenhum elemento do grupo sintático;

por não serem selecionados, a sua omissão geralmente não afecta a gramaticalidade da frase;

denomina-se de modificador da frase pois se relaciona com a totalidade da frase;

os modificadores podem ter diferentes formas:
grupo adverbial;
grupo preposicional;
oração;
podem ter ainda diferentes valores semânticos:
locativo;
temporal;
modo. Lamentavelmente seguiram pela vontade dos outros. Modificador com forma de grupo averbial Modificador com forma de grupo preposicional Com grande alegria, lá partiram a caminho da feira. Modificador com forma de oração Se ninguém lhes tivesse falado, continuavam o caminho a pé. Tradição gramatical Dicionário Terminológico Complemento circunstancial. Modificador (de frase): elemento acessório que modifica o sentido da (frase). Exemplo: Infelizmente, está muito frio. "O velho e o rapaz apuram os ouvidos..." Quanta maldade!
- gritavam-lhes os caminhantes Florêncio sentiu-se mal. Modificador da frase com forma de grupo adverbial, com valor modal Complemento direto:

complemento selecionado pelo verbo;

faz parte do predicado;

função sintática que pode ser desempenhada por: - um grupo nominal substituível por um pronome pessoal acusativo ("o", "a", "os" ou "as");

- uma oração subordinada substantiva substituível pelo pronome demonstrativo átono "o". O povo mostrou que não concordava com o velho e o rapaz Complemento Indireto:

complemento selecionado pelo verbo;

faz parte do predicado;

tem forma de grupo preposicional;

pode ser substituído pelo pronome pessoal - "lhe"/"lhes". Complemento oblíquo:

complemento selecionado pelo verbo, constituindo uma unidade;

a sua supressão pode gerar agramaticalidades ou alterações no sentido;

não pode ser substituído pelos pronomes pessoais o, a, os, as, como o complemento direto, nem pelos pronomes lhe, lhes, como o indireto;

pode ter uma das seguintes formas: - grupo preposicional;
- grupo adverbial;
- a coordenação de qualquer uma destas formas. Eles iam para a feira. Complemento oblíquo constituído por um grupo preposicional O Florêncio não levou longe a sua vontade. Complemento oblíquo constituído por um grupo adverbial Tradição gramatical Dicionário Terminológico Complemento direto. Complemento direto. Complemento indireto. Complemento indireto. Complemento oblíquo: tal como o direto e indireto, ele
é selecionado pelo verbo e, a
frase não faz sentido sem ele.
Não pode ser substituído pelos
pronomes pessoais o, a, os, as,
como o direto, nem pelos
pronomes lhe, lhes, como o
indireto. Complemento oblíquo Complemento indireto - pode ser um grupo preposicional ou um grupo averbial: - é sempre um grupo preposicional: Exs.: A Rita telefonou à prima.
O Simão dedicou a canção ao irmão. - é sempre introduzido pela preposição "a", que pode aparecer contraída com um artigo: Exs.: A Rita telefonou à (a+a) prima.
O Simão dedicou a canção ao (a+o) irmão. Exs.: O Pedro entrou em casa.
O Pedro entrou ali. - quando é um grupo preposicional, pode ser introduzido por qualquer preposição: Exs.: O Pedro entrou em casa.
O Pedro saíu de casa.
O Pedro foi para casa.
O Pedro foi a casa. - não pode ser substituído pelo pronome pessoal lhe(s): Exs.: O Pedro entrou em casa.
*O Pedro entrou-lhe.
O Pedro foi para casa.
*O Pedro foi-lhe. - pode substituir-se pelo pronome pessoal lhe(s): Exs.: A Rita telefonou à prima.
A Rita telefonou-lhe.
O Simão dedicou a canção ao irmão.
O Simão dedicou-lhe a canção. - aparece na resposta à pergunta: O que fez o Pedro? O Pedro entrou em casa. O Pedro foi a casa. - responde à pergunta - a quem? A quem é que a Rita telefonou? A Rita telefonou à prima. Predicativo do sujeito:

função sintáctica desempenhada pelo constituinte que ocorre em frases com verbos copulativos (ser, estar, ficar, continuar, parecer, permanecer,...);

predica algo acerca do sujeito;

quando corresponde a um nome ou a um adjetivo, concorda em género e em número com o sujeito;

o predicativo do sujeito pode ser:
- um grupo nominal;
- um grupo adjetival;
- um grupo preposicional;
- um grupo adverbial. Ex: "Os peixinhos são pequenos."
*Os peixinhos são pequeno. Ex: "A Carla é estudante". Ex: "O Henrique está na sala de aula". Ex: "A história continua
agora". MODIFICADOR DE GRUPO VERBAL:

função sintática desempenhada por grupos de palavras com características internas diversas;

não é selecionado pelo verbo, podendo por isso ser eliminado;

integra-se no predicado e incide sobre o grupo verbal;

pode apresentar forma de:
grupo adverbial;
grupo preposicional;
oração;
podem ter ainda diferentes valores semânticos:
locativo;
temporal;
modo. O velho e o rapaz ouviam o povo com receio. Tradição gramatical Dicionário Terminológico Complemento circunstancial. Modificador do grupo elemento acessório que modifica o sentido do predicado.
Pode ter várias formas de surgir: Exemplo: O velho, o rapaz e o burro viajam de manhã. verbal: O velho, o rapaz e o burro conheceram-se
ontem. Ex.: A cedência dos personagens fez
deles uns tontos. Ex.: A ideia de seguir a voz do povo foi aceite sempre pelos dois. complemento de nome com forma de grupo preposicional (oracional) complemento de nome com forma de grupo preposicional (não oracional) Tradição gramatical Dicionário Terminológico Complemento determinativo. Complemento de nome: surge à direita do nome e é
selecionado por ele. - os nomes deverbais (ex.: destruição Pedem complemento: da floresta ) - os nomes relacionais (ex.: O pai da Ana ) - os nomes epistémicos (ex.: Hipótese de começar de novo ) - os nomes icónicos (ex.: fotografia de família ) (Santiago e Dias, 2011: 18) MODIFICADOR RESTRITIVO DO NOME:

modificador do nome que modifica, limita e restringe o nome a que se refere;

não pode ser separado por vírgulas do nome a que se refere;


podem funcionar como modificadores restritivos do nome:
grupos adjetivais;
grupos preposicionais;
orações subordinadas adjetivas. As pessoas que falam da vida dos outros deviam pensar mais na sua vida. O Florêncio adora miúdos interessados. O menino de boina é amigo do Florêncio. MODIFICADOR APOSITIVO DO NOME:

modificador do nome que não restringe a realidade referida pelo nome que modifica;

os modificadores apositivos são sempre isolados por vírgulas dos nomes a que se referem;

os elementos que funcionam normalmente como modificadores apositivos são:
grupos nominais;
orações relativas explicativas. A Olinda, a língua de trapos, passa a vida a falar da vida dos outros. Os burros, que são mamíferos, são animais muito inteligentes. Tradição gramatical Dicionário Terminológico Atributo. Modificador restritivo do elemento que modifica e restringe o
nome a que se refere. (Santiago e Dias, 2011: 18) nome: Modificador apositivo do do nome: elemento que modifica, mas não
restringe o nome a que se refere. Aposto. Vem aí um ladrão! Quem é que vem aí? O sujeito sou eu - um ladrão! Quero já todas as suas jóias! Alto lá! Pois esse complemento não lhe pertence! Acho esta ideia certa. Tu ficas no burro... Verbo transitivo predicativo Ficar (verbo copulativo) O velho Florêncio e o rapaz Florindo entreolharam-se naquele momento. O falatório do povo deixou-os arrasados. Sentaram-se numas pedras que estavam à beira do caminho. Respondeu o rapaz incrédulo com aquela situação. Cada um sabe de si, Deus, o todo poderoso, de todos sabe; e que, aqui, o conto do burro acabe. Trabalho desenvolvido por Sofia Ramos


Gramática da Língua Portuguesa
Docente: Manuela da Silva Correia
Educação Básica
Escola Superior de Educação
instituto Politécnico de Viana do castelo Vamos chamar o padre, que é enviado de Deus, para vos castigar. Predicativo do complemento direto:

função sintática desempenhada por um constituinte selecionado por um verbo transitivo predicativo (achar, chamar, considerar, julgar, nomear, tratar, eleger...) que predica algo acerca do complemento directo.

(complemento + predicativo do complemento directo) = predicação complexa,
parafraseável por uma oração completiva finita;

o predicativo do complemento directo pode ser um grupo nominal, um grupo adjectival, ou um grupo preposicional. Ex.: Eu considero o Florêncio uma
boa pessoa. COMPLEMENTO DE NOME:

Complemento selecionado por um nome;

Pode apresentar-se como um grupo preposicional ou como um grupo adjetival;

Um nome pode selecionar mais de um complemento;

Os complementos do nome são de preenchimento opcional. Ex.: A venda ambulante ainda é pática dos dias de hoje. COMPLEMENTO DO ADJETIVO:

complemento selecionado por um adjetivo;

este elemento é, muitas vezes, de preenchimento opcional;

o complemento do adjetivo é constituído por um grupo preposicional:
oracional;
não oracional. O Florindo ficou contente por ter aprendido uma lição de vida. O Florindo ficou satisfeito com a aprendizagem.
Full transcript