Loading presentation...
Prezi is an interactive zooming presentation

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Boas Noites de João de Deus

No description
by

Marta Gonçalves

on 15 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Boas Noites de João de Deus

João de Deus
A poesia lírica de João de Deus, com sua serenidade e seu estilo simples, é um dos últimos momentos significativos do romantismo em Portugal. João de Deus Nogueira Ramos nasceu em 8 de março de 1830 em São Bartolomeu de Messines, no Algarve. Estudou em Coimbra e, por algum tempo, entregou-se à vida boêmia. Formou-se em direito em 1859, quando já escrevia poemas com a intenção de recitá-los para os amigos, que passaram a copiá-los e a encaminhá-los para a publicação em revistas. A partir daí foi grande sua influência entre os poetas mais jovens, que começavam a reagir contra o que consideravam os excessos do romantismo. Seu primeiro livro de poemas, Flores do campo (1868), foi bem recebido pela crítica, mas não lhe amenizou a pobreza material. Interessado pelos problemas educacionais, João de Deus escreveu um guia de alfabetização, que era um método de leitura, chamado de Cartilha maternal (1876), lançado no mesmo ano de suas Folhas soltas. Amplamente reconhecido, só em 1893 publicou Campo de flores, em que foram reunidos seus poemas líricos, epigramáticos e satíricos. João de Deus morreu em Lisboa, em 11 de janeiro de 1896.
João de Deus
Este poema é constituido por 9 estrofes e tem um terceto, quatro monósticos, uma quintilha, uma quadra, uma sétima e uma oitava.
É um poema lírico onde se fala de uma lavadeira e de um caçador, que são as personagens principais deste poema, que se encontraram junto de uma ribeira, onde a verdadeira intenção do caçador é encontrar-se com a lavadeira. O sujeito poético deste poema é o caçador.

Escanção:

Sumiu-se-me a perdigueira
Ali n'aquela ladeira;
Não me fazeis o favor
De me dizer se a brejeira
Passou aqui a ribeira?

Su | miu | -se | -me a | per | di | guei | ra : 7 sílabas métricas (
redondilha maior
)
1 2 3 4 5 6 7
Ali | n'a | que | la | la | dei | ra : 6 sílabas métricas (
hexassílabo
)

Não | me | fa | zeis | o | fa | vor | : 7 sílabas métricas (
redondilha maior
)
1 2 3 4 5 6 7
De | me | di | zer | se a | bre | jei | ra : 7 sílabas métricas (
redondilha maio
r)
1 2 3 4 5 6 7
Pa | ssou | aqui | a | ri | bei | ra? : 6 sílabas métricas (
hexassílabo
)
1 2 3 4 5 6

Esquema rimático do poema: Este poema utiliza o recurso
aab : rima emparelhada expressivo de
aliteração.
a : verso branco
Exemplo
:
b : verso branco «Talvez que fosse melhor...
aabaa : rima interpolada Ver coser a
costureira
!
abab : rima cruzada ou alternada Vir de
ladeira
em
ladeira
aabbab ; rima cruzada ou alternada Apanhar esta
canseira
,
baaabaab : rima interpolada E tudo só por amor
a : verso branco De ver uma
lavadeira
b : verso branco Lavar roupa na
ribeira
...
É escusado, senhor» !
por: Rita Quintino nº02
Marta Gonçalves nº20

Boas Noites de João de Deus
Boas Noites
Estava uma lavadeira
A lavar n’uma ribeira,
Quando chega um caçador:

- Boas tardes, lavadeira!

“Boas tardes, caçador!”

- Sumiu-se-me a perdigueira
Ali n’aquela ladeira;
Não me fazeis o favor
De me dizer se a brejeira
Passou aqui a ribeira?

“Olhe que d’essa maneira
Até um dia, senhor;
Perdereis a caçadeira,
Que ainda é perda maior.”

- Que importa, lavadeira!
Aqui na minha algibeira
Trago dobrado valor…
Assim eu fora senhor
De levar a vida inteira
Só a ver o meu amor
Lavar roupa na ribeira!...

“Talvez que fosse melhor…
Ver coser a costureira!
Vir de ladeira em ladeira
Apanhar esta canseira,
E tudo só por amor
De ver uma lavadeira
Lavar roupa na ribeira…
É escusado, senhor!”

- Boas noites…lavadeira!

“Boas noites, caçador!...”
1 2 3 4 5 6
Full transcript