Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Formação da Mentalidade Cristã

"No momento, o que nos anima é a formação da mentalidade cristã..." Emmanuel
by

on 2 June 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Formação da Mentalidade Cristã

Fundamentos
Task
Formação da Mentalidade Cristã
Fundamento Religioso
Espírita
Fundamentos da Doutrina
Cristianismo Total
Por enquanto, todo o nosso trabalho objetiva a formação da mentalidade cristã, por excelência, mentalidade purificada, livre dos preceitos e preconceitos que impedem a marcha da Humanidade. Formadas essas correntes de pensadores esclarecidos do Evangelho, entraremos então, no ataque às obras. Os jornais educativos, as estações radiofônicas, os centros de estudo, os clubes do pensamento evangélico, as assembleias da palavra, o filme que ensina e moraliza, tudo à base do sentimento cristão, não constitui uma utopia dos nossos corações. Emmanuel (1938) - Emmanuel cap. 35
Essas obras que hoje surgem, vacilantes e indecisas no seio da sociedade moderna, experimentando quase sempre um fracasso temporário, indicam que a mentalidade evangélica ainda não se acha edificada. A andaimaria, porém, aí está, esperando o momento final da grandiosa construção. Emmanuel (1938) Emmanuel, cap. 35
Emmanuel Continua
Há necessidade de que se organize uma consciência espírita, na base da filosofia simples do Evangelho, apta a orientar os sentimentos coletivos num sentido de direção, dentro dos sagrados objetivos da paz e da fraternidade. É em virtude da ausência dessas diretrizes que muitas obras de benemerência social, filhas do esforço e da abnegação dos espiritistas, se têm perdido no confusionismo da época.
(…) que se forme, pois, a mentalidade cristã na oficina da solidariedade e do conhecimento e que, nesse trabalho, cheio de atividades renovadoras, possa cada discípulo trazer a sua coragem e o seu bom desejo para, na luta abençoada pela aquisição do esclarecimento, aprender a temperar devidamente o aço do caráter e o ouro do coração. Emmanuel (1938), Deus Conosco - Sociedade de Estudos Espíritas (2007)
Emmanuel (1938) - Deus Conosco - Sociedade de Estudos Espíritas (2007)
(...)A movimentação dos estudos espíritas levará a efeito a dilatação da síntese e a simplificação de todos os princípios da filosofia cristã.
Q. 625 - Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe
servir de guia e modelo?
R. Veja Jesus

-
Livro dos Espíritos
Fundamentos Morais

Deus

Sobrevivência da alma e sua individualidade após a morte

Penas e recompensas futuras

Livre arbítrio

Amor

(Kardec - O que é Espiritismo - Dialogo com o Padre)
O Foco nos Princípios Morais
Mais bem observado depois que se vulgarizou, o
Espiritismo vem derramar luz sobre grande número de
questões, até hoje insolúveis ou mal compreendidas. Seu
verdadeiro caráter é, pois, o de uma ciência e não de uma
religião (*); e a prova disso é que ele conta entre os seus
aderentes homens de todas as crenças, que por esse fato nãorenunciaram às suas convicções: católicos fervorosos que não deixam de praticar todos os deveres do seu culto, quando a Igreja os não repele; protestantes de todas as seitas, israelitas,muçulmanos e mesmo budistas e bramanistas.
O Verdadeiro Suporte do Diálogo Interreligioso e do Ecumenismo
Kardec (1859) O Que é O Espiritismo - Diálogo com o Padre
Para evitar esses inconvenientes, reunimos, nesta
obra, os artigos que podem compor, a bem dizer, um código de moral universal, sem distinção de culto.
Allan Kardec - O Ev. Segundo O Esp. - Intr.
Ele [o Espiritismo] repousa, por conseguinte, em princípio independentes das questões dogmáticas. Suas conseqüências morais são todas no sentido do Cristianismo, porque de todas as doutrinas é esta a mais esclarecida e pura; razão pela qual,de todas as seitas religiosas do mundo, os cristãos são os mais aptos para compreendê-lo em sua verdadeira essência.
Allan Kardec (1859) - O Que é o Espiritismo - Diálogo com o Padre
Nos tempos atuais, todo o trabalho de quantos se devotam à disseminação das teorias espiritistas deve ser o de colaboração com os estudiosos da Verdade. Não é o desejo de proselitismo ou de publicidade que os deve animar, porém, a boa vontade em cooperar com seus atos, palavras, pensamentos a favor da grande causa.
Emmanuel (1938) - Emmanuel, cap. 36
Ele repousa [o Espiritismo], por conseguinte, em princípios independentes das questões dogmáticas. Suas conseqüênciasmorais são todas no sentido do Cristianismo, porque de todasas doutrinas é esta a mais esclarecida e pura; razão pela qual, de todas as seitas religiosas do mundo, os cristãos são os maisaptos para compreendê-lo em sua verdadeira essência.
Allan Kardec (1859) O Que é o Espiritismo
Diálogo com o Padre
(...)Tendo feito da caridade para com o próximo e da humildade condições básicas da salvação, tudo o
que disse a esse respeito é inteiramente claro, explícito e sem ambigüidade alguma...Era o essencial para a multidão ignorante, à qual ele se limitava a dizer: “Eis o que é precisose faça para ganhar o reino dos céus.”
Por serem eles [discpípulos de Jesus] mais adiantados, moral e intelectualmente, Jesus pôde iniciá-los no conhecimento de verdades mais abstratas. Daí o haver dito: Aos que já têm, ainda mais se dará. (Cap. XVIII, nº 15.)
Allan Kardec (1866) Evangelho S. O Espirirismo, cap.24
A Pedagogia de Jesus
Surpreenderíamos, acaso, a Nova Revelação procedendo à maneira de um louco que dinamitasse um cais antigo, à frente do mar, sem edificar, antes, um cais novo que o substituísse?
Claro que os princípios espíritas acatam os diques de natureza moral construídos pelas tradições nobres do mundo, destinados à segurança da alma, conquanto lhes observe a vulnerabilidade do fundo(...)
Emmanuel - Doutrina de Luz, "Espiritismo e Liberdade"
Ênfases

Nas virtudes Cristãs - Humildade
Na oração
Na caridade benevolente
No desapego material
Desdobramentos Práticos
Estudo da bíblia
- Foco no fator moral do Novo Testamento
- O Espiritismo simplifica toda a teologia
O Cristianismo de Kardec
Se, entre vós, houver dissidências, causas de antagonismo; se os grupos, que
devem todos marchar para um objetivo comum, estiverem divididos, eu o lamento, sem me preocupar com as causas, sem examinar quem cometeu os primeiros erros e me coloco, sem vacilar, do lado daquele que tiver mais caridade, isto é, mais abnegação e verdadeira humildade, pois aquele a quem falta a caridade está sempre em erro, ainda que coberto de algum tipo de razão, porquanto Deus maldiz a quem diz a seu irmão: Raca.
Uma cabeça ruim e um bom coração muitas vezes caminham juntos, mas rancor e bom coração são incompatíveis. Minha medida de apreciação seria, pois, a caridade, isto é, eu observaria aquele que falasse menos mal de seu adversário, que fosse mais moderado em suas recriminações. E com esta medida que Deus nos julgará, pois que Ele será indulgente para quem tiver sido indulgente e inflexível para
quem tiver sido inflexível.
Allan Kardec - Viagem Espírita 1862
Desenvolvimento dos Sentimentos
Estudo das consequências
do Arianismo na nossa interpretação dos
postulados evangélicos e espíritas.
Alcíone
Blandina
Pedro Neves
Não basta, portanto, apreender o contingente de consolações do edifício doutrinário ou receber a hóstia do conforto pessoal no templo sagrado que o Espiritismo Evangélico representa para quantos lhe batam às portas acolhedoras.
É imprescindível consagrar nossas melhores energias à extensão da fé vivificante que nos refunde e aperfeiçoa, à frente do futuro.
Semelhante edificação, todavia, não se expressará senão por intermédio de nosso próprio devotamento à causa da libertação humana, transformando-nos pelo esforço e pelo estudo, pelo trabalho e pela iluminação íntima, em hífens de amor cristão, habilitados à posição de instrumentos do Plano Superior.
O Espiritismo brasileiro congrega extensa caravana de servidores da renovação cultural e sentimental do mundo e complexas responsabilidades lhe revestem a ação com o Cristo.
Estendamos, assim, o serviço evangélico na intimidade da filosofia espiritualista, insculpindo em nós, antes de tudo, os princípios da doutrina viva e redentora de que nos constituímos pregoeiros.
O Futuro
Os Arianos
Conforme afirmávamos, os arianos que procuravam as novas
emoções de uma terra desconhecida eram, na sua maioria, os espíritos revoltados com as condições do seu degredo; pouco afeitos aos misteres religiosos que, pela força das circunstâncias, impunham uma disciplina de resignação e humildade, não cuidaram da conservação do seu tradicionalismo, na ânsia de conquistar um novo paraíso e serenarem, assim, as suas inquietações angustiosas.

Os arianos da Europa, como ficou esclarecido, não possuíram
grandes ascendentes religiosos na sua formação primitiva, em vista do senso prático que os caracterizou nos primeiros tempos de sua
organização.

O racionalismo de suas concepções, a tendência para as ciências
positivas e o amor pela hegemonia e liberdade são, dessa maneira,
elucidados dentro da análise dos seus primórdios.

Emmanuel - A Caminho da Luz
Maior generalização da Mediunidade
O Desejo de Kardec
A união dos Cultos
Trabalho, Estudo, Oração
Depreende-se, pois, que o serviço de cristianização sincera das consciências constitui a edificação definitiva, para a qual os espiritistas devem voltar os olhos, antes de tudo, entendendo a vastidão e a complexidade da obra educativa que lhes compete efetuar, junto de qualquer realização humana, nas
lutas de cada dia, na tarefa do amor e da verdade.

Emmanuel, Consolador, p. 255
Full transcript