Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

caroline luz

on 10 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

EMPREENDEDORISMO
design by Dóri Sirály for Prezi
DISCENTES
Alexandra Albuquerque
Caroline Luz
Dilmar souza
Jenifer Almeida
Lidiane Oliveira
Luana Santos
Saul Andrade
Tiago Borges

O empreendedor é aquele que apresenta determinadas habilidades e competência para criar, abrir e gerir um negócio, gerando resultados positivos.
Podemos citar como características do empreendedor:
- Criatividade
- Capacidade de organização e planejamento
- Responsabilidade
- Capacidade de liderança
- Habilidade para trabalhar em equipe
- Gosto pela área em que atua
- Visão de futuro e coragem para assumir riscos
- Interesse em buscar novas informações, soluções e inovações para o seu negócio
- Persistência (não desistir nas primeiras dificuldades encontradas)
- Saber ouvir as pessoas
- Facilidade de comunicação e expressão

“A melhor política, em termos de negócios, é a agressividade: agressividade como expressão de um grande vigor para produzir, discutir, criar, inovar, administrar e buscar o que é melhor.”
Roberto Justus
ORIGEM
DEFINIÇÃO
TEORIAS DO EMPREENDEDORISMO
Teoria do Empreendedorismo
1ª teoria econômica conhecida como Schumpeteriana

03 economistas que se destacaram nessa teoria:
Richard Cantillon, Jean Baptiste Say e Joseph Schumpeter

2ª teoria dos Comportamentalistas refere-se ao comportamento humano:
psicólogos, psicanalistas, sociólogos, entre outros



Um dos primeiros autores foi Max Weber (1930).
Identificou o sistema de valores como um elemento fundamental para a
explicação do comportamento empreendedor.

O autor que realmente deu início à contribuição das ciências do comportamento foi David C. McClelland (1971).


É importante observar que os autores da teoria comportamentalista não se opuseram às teorias dos economistas, e sim ampliaram as características dos empreendedores.

REFERENCIAS
ANÁLISE HISTÓRICA
O PERFIL DO EMPREENDEDOR
EMPREENDEDORISMO NO BRASIL
RAZÕES DO EMPREENDEDORISMO
O empreendedorismo busca a auto-realização de quem utiliza este método de trabalho, estimular o desenvolvimento como um todo e o desenvolvimento local, apoiando a pequena empresa, ampliando a base tecnológica, criar empregos, evitar armadilhas no mercado que está incidido. E re-orientar o ensino brasileiro para a velocidade nas mudanças, novas tendências internacionais, adaptar-se ao novo mercado, com ética e cidadania.
Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto (técnico, científico, empresarial). Tem origem no termo empreender que significa realizar, fazer ou executar.
A palavra empreendedor (entrepreneur) surgiu na França por volta dos séculos XVII e XVIII, com o objetivo de designar aquelas pessoas ousadas que estimulavam o progresso econômico, mediante novas e melhores formas de agir.

Entretanto, foi o economista francês Jean-Baptiste Say, que no início do século XIX conceituou o empreendedor como o indivíduo capaz de mover recursos econômicos de uma área de baixa para outra de maior produtividade e retorno
O conceito mais aceito de "Empreendedorismo" foi popularizado pelo economista Joseph Schumpeter em 1945 como sendo uma peça central à sua teoria da Destruição criativa. Segundo Schumpeter o empreendedor é alguém versátil, que possui as habilidades técnicas para saber produzir, e capitalistas ao reunir recursos financeiros, organiza as operações internas e realiza as vendas de sua empresa .
''Ser empreendedor é preparar-se emocionalmente para o cultivo de atitudes positivas no planejamento da vida. É buscar o equilíbrio nas realizações considerando as possibilidades de erros como um processo de aprendizado e melhoramento. Ser empreendedor é criar ambientes mentais criativos, transformando sonhos em riqueza''.

Robert Menezes
PARTES ENVOLVIDAS
ADMINSTRADOR X EMPREENDEDOR
O termo empreendedorismo se popularizou a pouco mais de uma década, e junto com essa novidade surgiu à confusão entre o que é ser um empreendedor e um administrador ?
O administrador possui uma visão abrangente da organização.
Que o empreendedor é mais focado nas oportunidades de mercado, na inovação, na criatividade
A função do administrador e do empreendedor tem muita semelhança.
Todo empreendedor precisa ser um bom administrador para poder tomar as decisões adequadas.
Eles se diferenciam também na maneira com que trabalham:
O administrador
Empreendedor
CAMINHOS DO EMPREENDEDOR
Caminho 1
(Auto-conhecimento):
Caminho 2
(Perfil do empreendedor):
Caminho 3
(Aumento da criatividade):
Caminho 4
(Processo visionário):
Caminho 5
(Rede de relações):
Caminho 6
(Avaliação das condições para iniciar um plano):
Caminho 7
(Plano de negócio):
Caminho 8
(Capacidade de negociar e apresentar uma idéia):
EMPREENDEDORISMO/EMPREENDEDOR
A busca por uma definição precisa sobre empreendedor seria como uma busca ao monstro do lago Nesse.

Trata-se de um animal um tanto grande e importante. Ele tem sido caçado por muitos indivíduos utilizando-se de vários tipos de engenhocas e armadilhas, mas até agora ninguém teve sucesso em capturá-lo. Todos que clamam tê-lo visto relatam que ele é enorme, mas todos discordam das peculiaridades. [...] Assim é o empreendedor. Ninguém definiu exatamente como um empreendedor é, contudo, as contribuições dos empreendedores para o bem estar da humanidade são ao mesmo tempo grandes e importantes. (KENT, 1990, p. 1).


APPOLINÁRIO, Fábio. Metodologia da Ciência: filosofia e prática da pesquisa / Fábio Appolinário. – São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006.

BARCIA, R. M. et al. Empresário ou Empreendedor. In: ENCONTRO DE ESTUDOS SOBRE EMPREENDEDORISMO E GESTAO DE PEQUENAS EMPRESAS, 1., 2000, Maringá. Anais... Maringá, 2000. p.71-80.

BASSI, Eduardo. Empresas locais e globalização: guia de oportunidades estratégicas para o dirigente nacional. São Paulo: Cultura, 2000.

CHIAVENATO, Idalberto. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor. São Paulo: Saraiva, 2005.
CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos. São Paulo: Atlas, 1994.

Os estudos na área do empreendedorismo mostram que as características do empreendedor ou do espírito empreendedor, da indústria ou da instituição, não é um traço de personalidade.

“Empreendedores são pessoas que têm a habilidade de ver e avaliar oportunidades de negócios; São orientadas para a ação, altamente motivados; assumem riscos para atingirem seus objetivos”

Qualidades pessoais de um empreendedor, entre muitas, destacam-se:

a) iniciativa;
b) visão;
c) coragem;
d) firmeza;
e) decisão;
f) atitude de respeito humano;
g) capacidade de organização e direção.

O empreendedor deve focalizar o aprendizado nos quatro pilares da educação: aprender a conhecer aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser, e com isso, ser capaz de tomar a decisão certa frente à concorrência existente.

Conquista-se a autonomia profissional quando se é perseverante, determinado, aprendiz, flexível e quando se tem:

Organização
• Criatividade
• Positividade
• Inovação
• Foco

O empreendedor assume riscos e seu sucesso está na “capacidade de conviver com eles e sobreviver a eles” (Degen, 1989, p.11). Gerber (2004) apresenta algumas diferenças dos três personagens que correspondem a papéis organizacionais, quais sejam:

a)
O Empreendedor
,que transforma a situação mais trivial em uma oportunidade excepcional, é visionário, sonhador; o fogo que alimenta o futuro; vive no futuro, nunca no passado e raramente no presente; nos negócios é o inovador, o grande estrategista, o criador de novos métodos para penetrar nos novos mercados;

b)
O Administrador
, que observa os cenários mercadológicos, planeja, organiza e controla a organização visando aumentar sua produtividade e sua inserção no mercado.

c)
O Técnico
, que é o executor, adora consertar coisas, vive no presente, fica satisfeito no controle do fluxo de trabalho e é um individualista determinado.


Descrevem-se aqui os oito estilos de decisão, relatados por Cohen, (2001):


Intuitivo
: tenta projetar o futuro, com perspectiva ao médio e do longo prazo, imaginando o impacto dessa ação.

O planejador
: situa-se onde está e para onde se deseja ir, com planejamento e tendo um processo de acompanhamento, adequando à realidade sempre que for necessário.

O perspicaz
: diz que além da percepção é necessário conhecimento.

O objetivo:
sabe qual o problema a ser resolvido.

O cobrador
: tem certeza das informações, vê a importância de medir e corrigir quando o resultado não foi o decidido.

O mão-na–massa
: envolve-se pessoal e diretamente, acredita em grupos para estudos multidisciplinares.

O meticuloso
: junta opiniões de amigos, especialistas, funcionários, tentando se convencer da solução a encontrar.

O estrategista
: decide cumprir sua estratégia de crescimento, tendo percepção do que resolver. Diagnostica o problema para encontrar a solução e sua resolução com eficácia.

É preciso, no entanto, ser registrado que, no contexto empresarial, essas características podem se desenvolver e atuar de forma positiva ou negativa. É a personalidade do empreendedor que fará o impacto decisivo para o sucesso.

No Brasil, o empreendedorismo começou a ganhar força na década de 1990, durante a abertura da economia. A entrada de produtos importados ajudou a controlar os preços, uma condição importante para o país voltar a crescer, mas trouxe problemas para alguns setores que não conseguiam competir com os importados, como foi o caso dos setores de brinquedos e de confecções, por exemplo. Para ajustar o passo com o resto do mundo, o país começou a mudar. Empresas de todos os tamanhos e setores tiveram que se modernizar para poder competir e voltar a crescer. O governo deu início a uma série de reformas, controlando a inflação e ajustando a economia, em poucos anos o País ganhou estabilidade, planejamento e respeito. A economia voltou a crescer.
As habilidades requeridas de um empreendedor podem ser classificadas em 3 áreas:

·
Técnicas:
Envolve saber escrever, ouvir as pessoas e captar informações, ser organizado, saber liderar e trabalhar em equipe.
·
Gerenciais:
Incluem as áreas envolvidas na criação e gerenciamento da empresa (marketing, administração, finanças, operacional, produção, tomada de decisão, planejamento e controle).

·
Características pessoais:
Ser disciplinado, assumir riscos, ser inovador, ter ousadia, persistente, visionário, ter iniciativa, coragem, humildade e principalmente ter paixão pelo que faz.
No Brasil, apenas 14% dos empreendedores têm formação superior e 30% sequer concluíram o ensino fundamental, enquanto que nos países desenvolvidos, 58% dos empreendedores possuem formação superior.

· O brasileiro é o povo mais empreendedor no G20 e também do Bric, abre negócios com 10 mil reais e enxerga cada vez mais. Essas foram as principais descobertas do levantamento Global Entrepreneurship Monitor (GEM 2010), divulgado pelo Sebrae. A pesquisa mapeia a atividade empreendedora em 60 países.

· O Brasil tem 17,5% da população adulta dentro da faixa de empreendedores em estágio inicial, o que significa que quase 22 milhões de pessoas estão tocando um negócio com até 3 anos e meio de vida. Entre os países do Bric, o Brasil fica na frente de China e Rússia. A Índia não participou do levantamento.

· O Brasil é o país vice-campeão em empreendedorismo - hoje em dia, existem aproximadamente 20 milhões de empresas, número que nos deixa atrás apenas da China. De janeiro a agosto de 2013, mais de 51 mil pessoas foram ao Sebrae em busca de informações sobre como abrir, manter ou ampliar uma empresa.
Empreendedorismo feminino cresce 21,4% no Brasil
Conforme a pesquisa, o perfil das mulheres empreendedoras é baseado em:


• 41,3% têm entre 18 e 39 anos;
• 52% têm entre 40 e 64 anos;
• 40% delas são chefes de família;
• 70% têm ao menos um filho.
Full transcript