Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Bifosfonato

No description
by

Beatriz Steinbach

on 2 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Bifosfonato

Bifosfonatos são fármacos inibidores da reabsorção óssea, indicados para o tratamento de mieloma múltiplo, de metástases ósseas, hipercalcemia maligna, osteoporose e artrite reumatóide, aumentando a sobrevida e a qualidade de vida desses pacientes. INTRODUÇÃO ASPECTOS CLÍNICOS E RADIOGRÁFICOS Lesões a nível intraoral: áreas únicas ou múltiplas de exposição de osso necrótico ao meio bucal.

Outros sinais e sintomas incluem: dor,
mobilidade dentária, tumefação, supuração purulenta
e parestesia na região do nervo alveolar inferior.

Lesões de nível extraoral: presença de fístula e aumento de volume dos tecidos moles da região cervico-facial.

As alterações radiográficas não são evidentes até
que se tenha um extenso envolvimento ósseo. São definidas três características necessárias para que a osteonecrose seja associada aos bifosfonatos:


1) Paciente está sendo ou foi submetido à terapia dos bifosfonatos;

2) Exposição necrótica óssea nos maxilares persistindo por mais de oito semanas

3) Nenhuma história de irradiação sobre o sítio anatômico. FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE OSTEONECROSE TRATAMENTO
DA OSTEONECROSE Não há ainda protocolos bem estabelecidos de tratamento.

CONSERVADORES: enxaguantes bucais antimicrobianos, (Clorexidina 0.12% e antibioticoterapia).

RADICAIS: Debridamento, sequestrectomia, ressecção do osso e, em alguns casos, até mandibulectomia e maxilectomia.

A literatura indica o manejo não cirúrgico dos pacientes com esta lesão, pois pode levar a exposição óssea, piorando os sintomas e aumentando o risco de fratura nos maxilares.

A cirurgia é indicada quando o tratamento conservador fracassa ou quando as lesões se mostram progressivas e sintomáticas. BIFOSFONATO São drogas extensamente usadas na inibição de atividade dos osteoclastos e acumulam-se por longos períodos dentro da matriz do osso. Dependendo da duração, tratamento e tipo de bifosfonato prescrito, esse medicamento pode manter-se por anos no organismo. Sua administração pode ser por via oral ou intravenosa.

- Administrados oralmente: são mais utilizados em pacientes com osteoporose;

- Injetáveis: são utilizados em pacientes com câncer, que desenvolvem as primeiras lesões de metástase esquelética ou óssea. Em pacientes com osteoporose, espera-se que os bifosfonatos consigam travar a perda óssea e aumentar a sua densidade, diminuindo o risco de fratura patológica, resultante da progressiva perda de osso. Já em pacientes com câncer são administrados para controlar a perda óssea resultante de lesões esqueléticas metastáticas.

Sintomas gripais;
Fadiga;
Reações gastrointestinais;
Anemia;
Edema;
Alterações da mucosa esofágica;
Alterações da função renal;
Osteonecrose; EFEITOS ADVERSOS Os fatores que predispõe o desenvolvimento da osteonecrose dos maxilares:

- Tipo e a dose total do fármaco;
- História de trauma;
- Cirurgia dentária;
- Infecção dental. OSTEONECORSE Necrose do osso, resultante de fatores sistêmicos e locais que comprometem a vascularização óssea. * Tomografias computadorizadas auxiliam no diagnóstico. (Figura 1) Aspecto clínico da lesão na mandíbula - lado esquero Etiologia: sugere-se uma relação com exodontias e alterações periodontais, embora casos aparentemente espontâneos tenham sido relatados. (Figura 2) Exposição óssea espontânea, mandibular, cortex lingual, região de molar, após 4.9 anos de uso de Fosamx (Alendronato).
FONTE: Marx, Cillo, and Ulloa. Oral Bisphosphonate-Induced Osteonecrosis. J Oral Maxillofac Surg 2007. O risco de desenvolver osteonecrose dos maxilares é muito maior em pacientes que fazem uso de bifosfonato endovenoso, quando comparados com pacientes que fazem uso por via oral. Relacionado aos implantes, a falha na osseointegração não pode ser atribuída, em todos os casos em que os pacientes usam bifosfonatos, deve-se analisar outros fatores como o fumo. 1) Relacionados à droga administrada
Potência do bifosfonato
Duração da terapia 2) Fatores de risco locais:
Cirurgias dento-alveolares
Extração
Implantes
Cirurgias do periápice
Cirurgias periodontais envolvendo osso * Anatomia local
Mandíbula
Maxila
*A relação de prevalência entre mandíbula
e maxila é de 2:1 (Figura 3) Exposição de osso necrótico em maxila em paciente que recebeu Zolendronato por seis meses. O paciente havia realizado extrações em posterior de maxila quatro meses antes.
FONTE: (Cortesia Dr Jay Neugarten, New Hyde Park, NY.) Quando o tratamento cirúrgico é realizado, é essencial considerar que a vascularização
óssea é deficiente e qualquer intervenção cirúrgica é limitada, podendo
aumentar as áreas de exposição de osso necrótico, além de ser uma porta de
penetração de novos microorganismos.

Biópsias são indicadas somente se a lesão for suspeita de metástase óssea.

Debridamento do osso necrótico pode, em algumas situações,
agravar o quadro. Pacientes edêntulos, devem ter um excelente ajuste na prótese;

As cáries dentárias e as doenças periodontais devem ser tratadas e controladas;

A atenção profilática é essencial para a manutenção da saúde oral. A prevenção deve ser feita antes, durante e após o tratamento com bifosfonatos. ATENÇÃO! Quando a duração da terapia excede três anos e as circunstâncias sistêmicas permitirem, encoraja-se a descontinuação do uso do bifosfonato em um período de três meses antes e três meses após a cirurgia odontológica; O cirurgião dentista deve estar sempre atendo à saúde bucal desses pacientes, antes, durante e após a terapia com esses fármacos. Não são recomendados tratamentos odontológicos invasivos em pacientes que fazem o uso dessas drogas, sendo assim, é importante que o CD se informe sobre a medicação usada por seu paciente, durante a anamnese. CONCLUSÃO REFERÊNCIAS FOSAMAX. Bula. Campinas, São Paulo. Merck Sharp & Dohme. 17p. Disponível em: <http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM[25915-1-0].PDF>. Acesso em: 01. out. 2012.

SOUSA, F.R.N.; JARDIM JUNIOR, E.G. Osteonecrose Associada com o uso dos Bifosfonatos. Pesq Bras Odontoped Clin Integr., João Pessoa, v.8, n.3, p.375-380, set./dez. 2008.

VALCANAIA, T.D.C.; ALI, L.H. Osteonecrose dos maxilares associada ao uso de bifosfonatos: revisão de literatura. 26f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Pós-graduação)- Lato-senso em odontologia, do Instituto Odontológico de Pós Graduação, em convênio educacional com a Faculdade Mozarteum de São Paulo, Porto Alegre, 2012. Beatriz, Bernardo, Ewandro, Guilhermo, Gustavo P., Iara, Marianne e Patrícia W.
Full transcript