Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Variabilidade Genética

No description
by

Hugo Costa

on 31 January 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Variabilidade Genética

Vantagens e desvantagens da Reprodução Sexuada
Variabilidade genética
No nosso Planeta vive uma diversidade de organismos, cada qual com particularidades genéticas, que são específicas de cada indivíduo. Numa dada população existem diferenças genéticas entre os indivíduos, a que chamamos variabilidade genética. Essa variabilidade é que garante que a população não se vá extinguir, caso ocorra alguma catástrofe, como a propagação de uma doença. Já que indivíduos com certas combinações de genes podem ter precisamente as características necessárias para sobreviverem e reproduzirem-se sob novas condições.
Reprodução sexuada
• A reprodução sexuada está relacionada com processos que envolvem troca e mistura de material genético entre indivíduos de uma mesma espécie. Os indivíduos que surgem por reprodução sexuada assemelham-se aos pais, mas não são idênticos a eles.
• Esse modo de reprodução, apesar de mais complexo e energicamente mais do que a reprodução assexuada, traz grandes vantagens aos seres vivos e é o mais amplamente empregado pelos diferentes grupos. Mesmo organismos que apresentam reprodução assexuada podem também se reproduzir sexuadamente, embora existam algumas espécies em que a reprodução sexuada não ocorre.
• Nos animais, a reprodução sexuada envolve a meiose, cujos produtos são sempre os gametas, células reprodutivas haploides. Os gâmetas masculinos são os espermatozoides e os femininos, os óvulos.
• Na maioria dos animais, os espermatozoides são produzidos pelo indivíduo do sexo masculino e os óvulos são produzidos pelo indivíduo do sexo feminino. Nesses casos, os sexos são separados. Alguns animais, no entanto, como é o caso das minhocas, são hermafroditas, pois óvulos e espermatozoides são produzidos pelo mesmo indivíduo.

O que é a Meiose?
A meiose é um tipo de divisão celular em que uma célula diplóide produz quatro células haplóides, passando de 2n para n, ou seja, passando para metade o número de cromossomas.

Embora compreenda duas etapas sucessivas de divisão celular, os cromossomas só se duplicam uma vez, durante a Interfase - período que antecede a meiose, ficando cada cromossoma com dois cromatídios.
Reprodução sexuada e Variabilidade Genética
Vantagens
Descendentes com grande variabilidade de características;


Maior capacidade de sobrevivência, face a mudanças ambientais


Favorece a evolução para novas formas.


É uma molécula que contém toda a informação genética de cada indivíduo. Esta molécula é formada por duas cadeias em hélice com quatro nucleótidos (composto orgânico constituído por uma base azotada, um açúcar (desoxirribose no caso do ADN) e um grupo fosfato) que se ligam entre si através de ligações de hidrogénio: a timina (T) e a adenina (A), a citosina (C) e a guanina (G).

O ADN encontra-se no núcleo das células, nas mitocôndrias (organelo celular responsável pelo processo de respiração celular, produzindo a energia necessária para o metabolismo celular) e nos cloroplastos (organelo celular responsável pelo processo fotossintético), e à sequência completa do ADN de cada célula é dada a designação de genoma. O seu principal papel no organismo é armazenar as informações necessárias para a síntese das proteínas, indispensáveis ao bom funcionamento do organismo.

Uma sequência de ADN denomina-se Cromossoma.
Trabalho realizado por:
11ºB
Ana Gonçalves nº3
Daniela Costa nº10
Hugo Costa nº13

ADN- O que é?
Desvantagens
Processo lento


Grande dispêndio de energia na formação de gâmetas e nos processos que culminam na fecundação.

A variabilidade genética é uma vantagem da reprodução sexuada e pode ser expressa através de dois processos:
Meiose
Fecundação
Há dois momentos fundamentais na meiose que permitem o aparecimento de diferentes combinações de genes nas células reprodutoras, ou seja que trazem variabilidade genética:
• Durante a prófase I ocorre o emparelhamento dos cromossomas homólogos, podendo verificar-se a sobreposição dos seus cromatídios em locais designados por pontos de quiasma. Nesses pontos pode ocorrer troca de segmentos do cromatídio de um cromossoma com o cromatídio do outro cromossoma do par — crossing-over. Este fenómeno permite a troca de genes entre os cromossomas dos dois progenitores do indivíduo onde a meiose está a ocorrer, originando novas combinações de genes nas células reprodutoras.
• Na anáfase I ocorre a separação dos cromossomas homólogos para os poios da célula — segregação dos homólogos. No início desta fase, os cromossomas dos diferentes pares de homólogos estão dispostos ao acaso na placa equatorial, não havendo uma orientação dos cromossomas de cada par de homólogos relativamente a determinado polo da célula. A separação dos homólogos de cada par ocorrerá, então, de forma independente e aleatória, daí resultando dois conjuntos particulares de cromossomas de entre múltiplas combinações possíveis.
Mutações
cromossómicas na meiose
• Durante a meiose podem ocorrer anomalias — as mutações cromossómicas — que alteram a estrutura dos cromossomas ou o seu número nas células resultantes. Estas mutações podem ser estruturais, se modificam a disposição dos genes nos cromossomas, ou numéricas, se alteram o seu número. A perda de porções do cromossoma, a sua duplicação e a troca de segmentos entre cromossomas de pares diferentes são exemplos de mutações cromossómicas estruturais.


Um exemplo de mutação cromossómica é a Trissomia 21 (Síndrome de Down) que é muito frequente nos humanos. Esta desencadeia alterações ao nível morfológico e mental. Os indivíduos com trissomia 21 têm geralmente uma estatura mais baixa, boca pequena, muitas vezes semiaberta devido à dificuldade em acomodar a língua. Esta doença é causada pela trissomia do par cromossómico 21.
Fecundação
• Fecundação é a designação dada à fusão de dois gâmetas (um masculino e o outro feminino), dos quais resulta uma célula diploide, designada por ovo ou zigoto.

• Tal como acontece com a meiose, a fecundação contribui para o aumento da variabilidade, ao permitir o cruzamento ao acaso de dois gâmetas com origens, na maioria dos casos, em indivíduos diferentes. Este acontecimento aleatório permite o aparecimento de descendentes portadores de combinações únicas de genes, o que garante a variabilidade das características nos indivíduos de uma população.


Consequências de falta de variabilidade genética
• A perda da variabilidade genética reduz a habilidade das populações de se adaptarem em resposta às mudanças ambientais (potencial evolutivo). Por exemplo, se alguma mudança ambiental drástica ocorrer, a população com maior diversidade genética apresenta maior chance de possuir pelo menos alguns indivíduos com uma característica genética que lhes permitam viver em tais condições. Se a diversidade genética é baixa, a população corre grande risco de não sobreviver, pois provavelmente não possuirão condições de se adaptarem a tal ambiente. A variabilidade genética, portanto, é importante para a persistência evolutiva das espécies.
Variabilidade genética – Rinoceronte-de-Java
O rinoceronte-de-java, o mamífero de grande porte mais raro da Terra, é considerado “quase extinto”. A população total de rinocerontes não passa de 50 indivíduos, confinados numa só área protegida em Java.

O principal fator no declínio da população foi a caça predatória pelo corno, um problema que afeta todas as espécies de rinocerontes, pois acredita-se que este tenha propriedades terapêuticas, sendo usada assim na Medicina Chinesa. Outro fator importante é a perda do habitat causada pela grande expansão humana.

Estão a ser efetuados muitos esforços para salvar esta espécie, no entanto o mais provável é que estes não tenham sucesso. A principal razão para tal é o baixo número de indivíduos que leva a uma baixa variabilidade genética. Deste modo a população restante não se consegue adaptar a novas condições, sendo assim facilmente dizimada.

• Reis, Jorge; entre outros. Preparação para o Exame Nacional 2014 Biologia e Geologia. 1ª Edição. Porto: Porto Editora. 2013

• http://www.wikipedia.com

• http://www.infopedia.com

• http://www.portaleducacao.com.br

Bibliografia
Full transcript