Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Exemplos de Sistemas Distribuídos

No description
by

Renata santos

on 8 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Exemplos de Sistemas Distribuídos

A Internet Processadores Multinúcleo Clusters CORBA Cliente / Servidor Sistemas Distribuídos Exemplos de Sistemas Distribuídos O nome Beowulf vem de um herói muito valente que tinha a missão de derrotar um monstro, num texto inglês antigo. Esse tipo de cluster, voltado à computação paralela, foi fundamentado em 1994, pela NASA, com a finalidade de processar as informações espaciais que a entidade recolhia. Desde então, grandes empresas (como HP e IBM) e universidades (como a brasileira Unesp) vêm construindo clusters deste tipo e como cada vez mais nós!

O que distingue o Cluster Beowulf dos outros tipos são as seguintes características (que são aplicadas de acordo com a finalidade do cluster):

-A conexão dos nós pode ser feita por redes do tipo Ethernet (mais comum);
-Existe um servidor responsável por controlar todo o cluster, principalmente quanto a distribuição de tarefas e processamento (pode haver mais de um servidor, dedicado a tarefas específicas, como monitoração de falhas). Este servidor é chamado de Front-end;
-O sistema operacional é baseado Linux, sendo necessário que ele contenha todos os programas para cluster;
-Pode-se usar computadores comuns, inclusive modelos considerados obsoletos;
-Não é necessário usar equipamentos próprios para clusters. Basta equipamentos comuns à redes e os tradicionais Pcs. Cliente-servidor é um modelo computacional que separa clientes e servidores, sendo interligados entre si geralmente utilizando-se uma rede de computadores.

Cada instância de um cliente pode enviar requisições de dado para algum dos servidores conectados e esperar pela resposta.

Por sua vez, algum dos servidores disponíveis pode aceitar tais requisições, processá-las e retornar o resultado para o cliente. Apesar do conceito ser aplicado em diversos usos e aplicações, a arquitetura é praticamente a mesma.

A máquina servidor é um host que está executando um ou mais programas de servidor que partilham os seus recursos com os clientes.

Um cliente não compartilha de seus recursos, mas solicita o conteúdo de um servidor ou função de serviço. Os clientes, portanto, iniciam sessões de comunicação com os servidores que esperam as solicitações de entrada. Key, Paulo, Rafael, Renata
CCO 8NA Através de um protocolo de comunicação relativamente simples, é possível realizar trocas de arquivos como: música, vídeo e demais tipos de dados com computadores localizados em várias partes do planeta.
Considerando que os sistemas distribuídos são compostos por várias fontes de processamento, armazenamento e transmissão de dados, os recursos referentes ao hardware necessário para possibilitar tal capacidade de processamento e propagação dos dados pelos sistemas distribuídos podem ser organizados de formas totalmente diferentes entre si. Processadores Multinúcleo Basicamente os processadores multinúcleos distribuem as tarefas entre os vários núcleos, o que dinamiza o processamento, esse conceito passou a ser utilizado após as empresas fabricantes de chips atingirem o clock máximo dos processadores, o que não possibilitava um aumento de produtividade do chips nesse aspecto, dessa maneira a solução encontrada foi implementação de mais núcleos em um mesmo processador, trabalham em conjunto eles elevaram de forma estrondosa o poder de processamento das máquinas atuais. Cluster Beowulf É o exemplo que mais facilita o entendimento do conceito de sistemas distribuídos.
Por definição é um sistema onde dois ou mais computadores trabalham de maneira conjunta para realizar processamento pesado. Em outras palavras, os computadores dividem as tarefas de processamento e trabalham como se fossem um único computador, assim como ocorre nos processadores multinúcleos. A necessidade de integração aplicações que se encontram em ambientes heterogêneos e a necessidade de comunicação entre elas em tempo-real está fezendo com que a computação distribuída ganhe cada vez mais espaço no mundo atual.
O DCE (Distributed Computer Environment) foi o começo dessa tendência de computação distribuída em empresas, porém o DCE não é orientado a objeto, assim surgiu o CORBA, que é uma arquitetura de objetos para computação distribuída.
Junto com ele veio o DCOM da Microsoft. O DCOM é o principal concorrente do CORBA, a diferença entre essas duas tecnologias é que o CORBA roda em multiplataforma, enquanto o DCOM só em ambientes Windows. COMPUTAÇÃO VOLUNTÁRIA Computação voluntária é um tipo de sistema distribuído em que pessoas(computadores voluntários) provêem recursos computacionais para projetos. Estes projetos utilizam os recursos para realizarem computação distribuída ou armazenamento de dados.
Os voluntários são normalmente anônimos. Sendo anônimos eles não são cobrados de responsabilidades nos projetos. Eles são apenas convencidos pelos representantes dos projetos que não sofrerão danos em seus dados pessoais ou sistema operacional.
Existem duas características básicas que faz com que a computação voluntária seja diferente da computação em grade para desktop. A segunda demanda uma responsabilidade para os computadores do projeto e os computadores não são anônimos. A computação em grade é mais utilizada em organizações. Se uma organização não se comprometo com o combinado sobre seus recursos, as outras organizações têm a possibilidade de serem informadas e penaliza-la no quesito de recursos compartilhados para ela. Peer-to-peer Uma rede Peer-to-Peer (P2P) consiste num conjunto de computadores que comunicam entre si de forma descentralizada, isto é, sem a necessidade de um nó ou nós centrais responsáveis por gerir as ligações entre eles.
Este tipo de rede não assenta por isso na arquitectura tradicional de cliente-servidor em que tipicamente os clientes efectuam pedidos a um servidor central e este responde aos pedidos dos clientes.
Numa rede P2P todos os elementos são conhecidos como nós, que acumulam as funções de cliente (efectuando pedidos a outros nós) e de servidor (respondendo a pedidos de outros nós).
A utilização mais conhecida para este tipo de redes é a partilha de ficheiros, no entanto este tipo de redes são utilizadas em computação e armazenamento distribuídos. Internet Faculdade dos Guararapes
2013.1 FIM Grids É um ambiente computacional de alto desempenho, distribuído paralelo que permite o compartilhamento, a seleção, a agregação de recursos autônomos e geograficamente distribuídos.

-Grid computacional: Tem o enfoque voltado para o processamento de dados. Portanto é importante que se tenha máquinas de alto desempenho.
-Grid varredor: é feita uma varredura no pc dos recursos e ciclos de CPU ociosos, para que possam ser utilizados pela grid. Contudo, os donos dos computadores sempre têm o controle sobre os recursos que estão participando do Grid.
-Grid de dados: Nesse tipo de grid, diversas organizações armazenam e acessam os dados compartilhados. Neste caso, os usuário não sabem aonde se localizam os dados, apesar de terme acesso às informações. Em alguns anos, os homens estarão aptos a efetuar uma maior quantidade de comunicação utilizando uma máquina do que pessoalmente.

J.C.R.Licklider (1968)
Full transcript