Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Copy of Dissertação

No description
by

Luana Marmitt

on 10 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Dissertação

ARTIGO
Ganho de peso adequado na gestação e fatores associados:
um estudo de base populacional

Importância do ganho de peso adequado ao
estado nutricional prévio da gestante
Introdução
Transição Nutricional
Universidade Federal do Rio Grande
Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Doutoranda: Luana P Marmitt
Orientadora: Prof(a) Dr(a) Carla V Gonçalves

(prezi.com)
(Coutinho; Gentil; Toral, 2008)

(Heude et al., 2012; Kowal; Kuk; Tamim, 2012; Santos et al., 2012)

(saude.br)
Prevalências do excesso de peso feminino
Busca bibliográfica
Fluxograma da revisão sistemática de literatura. As linhas descontínuas indicam o número de artigos excluídos por duplicata.

Objetivo Geral
Estimar a prevalência e identificar os fatores associados ao ganho de peso adequado na gestação de acordo com o estado nutricional pré-gestacional materno no município do Rio Grande, RS, no ano de 2013.
A gravidez está sendo considerada um forte fator de risco para a obesidade nova ou persistente.

(Davis et al., 2009).
Objetivos Específicos
Estudar a ocorrência de ganho de peso adequado na gestação de acordo com as seguintes características maternas:

-
Demográficas
(idade, cor da pele e situação conjugal);
-
Nível sócioeconômico
(trabalho, escolaridade e renda familiar);
-
Características do ambiente
(aglomeração familiar);
-
História reprodutiva
(paridade e gravidez planejada);
-
Assistência à gestação
(realização de consultas de pré-natal e morbidades gestacionais);
-
Hábitos de vida e comportamento
(tabagismo e prática de atividade física).

Local de estudo
População alvo
(santacasarg.com.br)

(wp.clicrbs.com.br)

1º de janeiro a 31 de dezembro de 2013
Todas as gestantes residentes em área urbana ou rural no município do Rio Grande, com gestação de feto único e idade gestacional ao nascer igual ou superior a
37 semanas
Determinação da idade gestacional
(NATIONAL INSTITUTE FOR HEALTH AND CARE EXCELLENCE, 2008; PEREIRA et al., 2014; SAVITZ et al., 2002)
Cálculo de tamanho amostral
Cálculo de tamanho amostral para prevalência do ganho de peso adequado na gestação
Cálculo de tamanho de amostra para associações
Variáveis independentes
(DREHMER et al., 2010; IOM, 2009; RODRIGUES et al., 2008)
(ASSUNÇÃO et al., 2009; BODNAR et al., 2011; IOM, 2009; MARANO et al., 2012)
Justificativa
Estudos prévios demonstram que
apenas um terço
das mulheres obtêm ganhos de peso de forma adequada na gestação, com a maioria excedendo o recomendado;

Importância de estudos que avaliem o ganho de peso gestacional baseado no EN prévio;

IOM (2009);

Ausência de estudos de base populacional;

Resultados inconclusivos na identificação dos determinantes do ganho de peso gestacional.

Demográficas
Idade, cor da pele, situação conjugal

Sócioeconômicas
Trabalho, escolaridade, renda familiar

Características do ambiente
Aglomeração familiar

Vida reprodutiva
Paridade, gravidez planejada


Assistência à gestação
Consultas de pré-natal
Trimestre de início das consultas
Morbidades gestacionais

Hábitos de vida e comportamento

Tabagismo, exercício físico


PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS AO GANHO DE PESO ADEQUADO NA GESTAÇÃO:
UM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL NO EXTREMO SUL DO BRASIL
Prevalencia y factores asociados con la ganancia de peso adecuada en la gestación: un estudio de base poblacional en el extremo sur de Brasil
Luana Patricia Marmitt
Carla Vitola Gonçalves
O ganho de peso adequado na gestação ocorreu para uma em cada três mulheres do município.
Limitações
Recomendações para ganho de peso semanal e total
na gestação de acordo com o IMC pré-gestacional
Obrigada!
luanamarmitt@gmail.com
baixo peso;
maior a escolaridade;
menor número de filhos tidos;
mulheres hipertensas no período gestacional.
1) Delineamento utilizado;

2) Confiabilidade das informações referidas a respeito das medidas antropométricas.
Coeficiente de correlação de concordância de Lin
Peso pré-gestacional: CCC= 0,973 (IC 95% 0,969-0,976)
Peso final: CCC= 0,990 (IC 95% 0,988-0,991)
Elevada frequência de ganho de peso inadequado (acima e abaixo do recomendado).
O ganho de peso adequado, encontrado em um terço das mulheres, foi similar ao reportado por outros estudos nacionais e internacionais.
Dois estudos de coorte multicêntrica encontrados no Brasil:

Nucci (2001): 29% excessivo
33% adequado

Drehmer (2013): 33% excessivo
34% adequado
Em duas cidades do RS:
Drehmer (2010): 45% excessivo
29% adequado
Não comparável*
Metade das mulheres (49,4%) com excesso de peso, sendo que uma em cada cinco iniciou a gestação já obesa.
Em seis capitais brasileiras: 28,7% acima do peso
(DREHMER et al, 2013)
Duas vezes mais chances de exceder as recomendações;
Obesidade pós-parto: 70% decorre do ganho de peso excessivo na gestação.
Diferenças nas características maternas parecem influenciar as variações do ganho de peso gestacional
Maior nível educacional

mais informação e melhor compreensão dos critérios pelos quais são escolhidos os alimentos mais saudáveis;
mais ativas e propensas a melhores hábitos de vida
Melhor ganho de peso
Multíparas X Primíparas
maior propensão ao excesso de peso;
aumenta em 3 a 4 vezes as chances de desenvolver obesidade nos 5 anos após o parto
Ter um ou mais filhos:
(DAVIS et al., 2009; WELLS et al., 2006)
Primíparas:
maior propensão ao maior ganho de peso tanto na gravidez como a longo prazo
(DAVIS; OLSON, 2009; KONNO; BENICIO; BARROS, 2007)
Cada nascimento sucessivo adiciona em média, 1kg do que seria normalmente adquirido com a idade.
Alguns estudos longitudinais observam maior probabilidade de ocorrência de hipertensão na gravidez entre mulheres que iniciam a gestação com excesso de peso e que ganham peso de forma abusiva.
(HEUDE et al., 2012; JOHNSON et al., 2013; MACDONALD-WALLIS et al., 2013)
Possibilidade de edema em mulheres hipertensas
(IOM, 2009)
Mulheres que recebem orientação são mais propensas a um melhor ganho de peso
(TOVAR et al., 2011)
(PHELAN et al., 2011)
88,8% realizaram 6 ou mais consultas de pré-natal
80,0% iniciou o pré-natal no primeiro trimestre
Baixa valorização dada à avaliação e ao acompanhamento do estado nutricional e do ganho de peso
(Niquini, 2012)
Concluindo...
Reduzida proporção de mulheres que apresentam ganho de peso adequado durante a gravidez, em contraste principalmente ao excesso de ganho de peso.
O pré-natal, apesar de sua ampla cobertura, parece exercer pouco impacto sobre o ganho de peso ao final da gestação, o que sugere a necessidade da melhoria nos cuidados de monitoramento e orientação nutricional oferecidos por este serviço.
Merecem atenção especial:
as mulheres que iniciam a gestação acima do peso,
com níveis mais baixos de educação;
de múltiplas gestações;
sob risco de desenvolver hipertensão na gestação.
Secretaria Municipal de Saúde do Rio grande
Pastoral da Criança do Rio Grande
Variáveis coletadas
Níveis hierárquicos de análise
(DREHMER et al., 2013; HEAMAN et al., 2013; KOWAL; KUK; TAMIM, 2012)
Aumento do ganho de peso excessivo
... o ganho de peso é um
fator de risco potencialmente
modificável durante a gravidez.
(Rode et al., 2012).
Prevalências
mundiais
Transversal (seccional ou de prevalência) de base populacional

Delineamento
(pt.wikipedia.org)

Critérios de elegibilidade
Todas as gestantes que estavam residindo no município do Rio Grande somente por ocasião do parto
Análise descritiva;
Análise bruta e ajustada: Regressão de Poisson;
Teste de tendência linear;
Teste de Wald para heterogeneidade.
METODOLOGIA
Adequate gestational weight gain prevalence and associated risk factors:
a population-based study in the extreme south of Brazil
Prevalências do ganho de peso
adequado
na gestação
Prevalências do ganho de peso
excessivo
na gestação
Informações coletadas
O protocolo de pesquisa foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa na Área da Saúde (CEPAS) da Universidade Federal do Rio Grande, tendo sido aprovado sob parecer de número 85/2012.
Controle de qualidade
Análise dos dados
Logística
Um estudo piloto foi realizado no mês anterior ao início da coleta de dados nas duas maternidades
Quatro entrevistadoras foram selecionadas e treinadas para atuar no estudo
Aspectos éticos
O ganho de peso excessivo pode ser reduzido em cerca de 40% através de intervenções comportamentais e educacionais.
(MELZER, 2010)
Viés de causalidade reversa
(Drehmer et al., 2013; Heaman et al., 2013).

(Costa; Paulinelli; Barbosa, 2012; Johnson et al., 2013; Li Et Al., 2013; Rode et al., 2012)

Ganho de peso adequado na gestação
(DREWNOWSKI; SPECTER, 2004; FREISLING; ELMADFA; GALL, 2006; LARRAÑAGA et al., 2013)
*Nível de significância de 95%
Erro alfa: 0,05
Erro beta: 0,20
Valor p de até 0,20 para manutenção das variáveis no modelo
(CHU et al., 2009; DAVIS; HOFFERTH, 2012)
Discussão
WHO (1995)
Variável dependente
Peso pré-gestacional:
Até a 14ª semana de gestação

Peso final:
Até 10 dias antes do parto
Estado nutricional prévio
Ganho de peso gestacional
Variáveis independentes
Demográficas
Idade, cor da pele, situação conjugal

Sócioeconômicas
Trabalho, escolaridade, renda familiar

Características do ambiente
Aglomeração familiar

Vida reprodutiva
Paridade, gravidez planejada


Assistência à gestação
Consultas de pré-natal
Trimestre de início das consultas
Morbidades gestacionais

Hábitos de vida e comportamento

Tabagismo, exercício físico


O índice de concordância foi calculado para 24 perguntas, variando de 0,61 para “motivo de realização de cesariana” a 0,92 para “tipo de parto”. Dentre as demais perguntas, a grande maioria apresentou índice de concordância acima de 0,70, o que é considerado satisfatório.
Fluxograma de da população estudada, Rio Grande, 2013
*Teste de qui-quadrado
31,8% ganho de peso insuficiente
36,6% ganho de peso excessivo
Adicinalmente...
coexiste a preocupação com o ganho de peso insuficiente (31,8%).


Foco da assistência pré-natal está no ganho de peso insuficiente, a fim de evitar os nascidos de baixo peso.
(Drehmer, 2010)
Para os fatores que não podem ser modificados no decorrer da gravidez, uma abordagem voltada para a saúde da mulher, educação e hábitos saudáveis ao longo da vida também mostram-se oportunos.
Full transcript