Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Economia e Meio Ambiente

Feito na Matéria de Introdução a Engenharia Ambiental 2013.1
by

Adriana Z

on 12 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Economia e Meio Ambiente

ECONOMIA
QUESTÃO AMBIENTAL NA
ECONOMIA
A TEORIA ECONÔMICA
Economia do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais
Disciplina de Introdução a Engenharia Ambiental
Na sua visão, a economia deve ser entendida como um subsistema originado da atividade humana, mas subordinado às leis fundamentais que regem os ecossistemas da biosfera.
De acordo com seu ponto de vista, a economia não pode ignorar que o fluxo de matéria e energia é finito e limitado.
Na tentativa de subordinar os bens e os serviços ambientais à economia surgiram mínimo duas linhas de pensamento radicalmente distintas:
O acesso aos bens e serviços existentes em uma sociedade torna-se eficaz e adequadamente disciplinado quando todos efetivamente se subordinam às leis econômicas.
Em todos os modelos econômicos socialmente aceitáveis, o objetivo é o mesmo: atender à maior quantidade das demandas mais valorizadas pelo conjunto da sociedade, utilizando a menor quantidade possível dos bens que são escassos.
O pai da economia Adam Smith
MODELOS ECONÔMICOS
Economia de mercado
Economia Planificada Centralmente
Economia Mista
MEIO AMBIENTE E
Dentre esses 4 tipos ideais de bens e serviços, apenas os privados podem ser completamente subordinados às leis da economia de mercado.
A metodologia mais ultilizada é a do enfoque de mercado ou de simulação de mercado, com aplicação simples. Demais casos, estudiosos baseiam-se na possibilidade de existir evidencia indireta de valor monetário ao bem ou serviço.
para abranger os bens e serviços ambientais
A evolução da
Avaliação dos benefícios de uma
POLÍTICA AMBIENTAL
A teoria econômica demonstra que o valor ideal a ser cobrado deve ser igual ao valor dos danos causados por esse uso ao ambiente.

A cobrança pelo uso do
RECURSOS NATURAI
Mercado livre ideal ou competição pura existe?
Está presente em praticamente todos os países.
Economia de Mercado
Os bens associados valores universais não estão ou não podem estar submetidos às leis do mercado se os preços por ele ditados impedirem o acesso de alguém a esse bem nos níveis mínimos estabelecidos pela sociedade.
Lago, rios, parques
para paisagismo, lazer ou recreação
Na economia os bens e serviços podem ser classificados em quatro categorias:

Privados:
Classificação
dos Bens e Serviços
Públicos:

Tributáveis:

Partilhados:
aqueles de cujo acesso podem ser excluídos potenciais consumidores e que só são passíveis de consumo conjunto ou coletivo.
aqueles de cujo acesso podem ser excluídos potenciais consumidores e que são passíveis de consumo individualizado.

aqueles de cujo acesso não se pode excluir ninguém e que só são passíveis de consumo conjunto.

aqueles de cujo acesso não pode ser excluído ninguém e que são passíveis de consumo individualizado.
Conclusões
Em sua maioria, os bens e serviços ambientais aproximam-se da categoria ideal de coletivos.

Não estão sujeitos às leis econômicas,

Dependentes de legislação que estabeleça os padrões ambientais que disciplinem o acesso e o desfrute deles.

ECONOMIA
Acreditavam os filiados a essa corrente de pensamento que os mecanismos da economia de mercado, assim como são capazes de regular o acesso da sociedade a todos os bens e serviços, também podem cumprir papel semelhante relativamente ao ambiente.
produção. A forma sugerida para essa integração é a privatização do ambiente.
As críticas feitas a essa radicalização, contestando-lhe a eficácia na preservação ambiental. E por meio de expedientes conhecidos de apropriação desse mercado, como a monopolização, apenas alguns acabariam por ter a exclusividade na utilização do ambiente de acordo com interesses privados.
Os mecanismos de mercado substituiriam a regulamentação e, portanto, toda a estrutura técnico-legal e jurídico-administrativa necessária à fixação e fiscalização do cumprimento de padrões ambientais e de aplicação de sanções àqueles que não os obedecessem.
Uma alternativa menos radical entende que a preservação do ambiente pode se beneficiar da aplicação de uma cobrança (taxa) sobre os bens e serviços produzidos, de maneira que os preços aumentados resultantes refletissem a avaliação que a sociedade faz do custo dos danos ambientais que decorrem dessa produção.
Economia Ecológica

A politica ambiental por meio de regulamentação que estabelece padrões ou de mecanismos econômicos necessita, ter um resultado mínimo de uma deterioração de qualidade ambiental. Esta politica pode promover melhorias na qualidade ambiental pela recuperação de outro nível de qualidade, a partir dos progressos ambientais.
Com esta implantação a sociedade e os indivíduos passam a ter um ambiente capaz de satisfazer uma série de demandas que anteriormente eram impossíveis de ser atendidas. Nela há algumas peculiaridades que impedem a existência do mercado e, portanto do preço respectivo com medida de seus valores, assim o valor da qualidade do ambiente é mais complexa e menos inequívoca
.
Muitos economistas se baseiam na teoria do beneficio que trata da melhoria ambiental, e que essa melhoria seria uma medida de aumento de bem estar ou de serviços. Nessa teoria a melhoria seria medida de duas maneiras; a primeira por meio de montante máximo de dinheiro que o individuo estaria disposto a pagar, ou seja disposição a pagar.
A segunda seria em relação do que o individuo estaria disposto a aceitar , ou seja, disposição a aceitar. Bens e serviços que podem ser comprados, as curvas de demanda são facilmente disponíveis, para determina-los os economistas desenvolveram metodologias especiais trabalhosas que levam a resultados suficientemente coerentes
Princípio do usuário pagador.
Princípio do beneficiário pagador
 A forma de cobrança a ser utilizada depende da natureza do grupo sobre o qual ela vai incidir.
 Contribuição de melhoria.

 Cobrança da contribuição de melhoria.
Adriana Zanchet
Bruna Reolon
Graziely Rossi
Sabrina Schaefer
- 2013.1
Universidade Federal da Fronteira Sul
Full transcript