Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

Rodrigo Mota

on 18 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

Analisar a viabilidade do desempenho da casca de coco verde como bioadsorvente de íons Pb2+ para tratamento de efluentes.
BIOSSORÇÃO
COCOS NUCIFERA L.
OBJETIVOS
REFERENCIAL TEÓRICO
Chumbo
BEATRIZ CRISTINA DE OLIVEIRA ROCHA
LETÍCIA BEATRIZ BOSCARIOL DA SILVA
ROBERT HENRIQUE GOMES SANTOS SILVA
RODRIGO MOTA SANTOS
1.Referencial Teórico
1.1.Chumbo
1.2."Cocos nucifera L."
1.3.Biossorção
2.Objetivos
3.Metodologia
3.1.Preparação do Bioadosorvente
3.2.Coluna de leito fixo
3.3.Análise espectrofotométrica no UV-Visivel
4.Resultados e discussões
4.1
.Espectro de absorção e Curva de calibração
4.2.Análise das soluções tratadas
4.3.Análise dos eluentes
5.Conclusão
6.Referências Bibliográficas

SUMÁRIO
Geral
Específicos
Aplicar para o íon Pb2+ a biomassa residual do "Cocos nucifera L.", como possível trocador iônico;

Comprovar o tratamento citado na literatura em aspecto específico focando nos parâmetros favoráveis já estabelecidos de efetividade para melhoramento das atividades absortivas;

Propor uma aplicação viável em escala laboratorial para utilização da biomassa das cascas do coco verde, agregando valores ao agroresíduo.
AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DA ESPÉCIE DE COCO VERDE "Cocos nucifera L." (ARECACEAE)
COMO BIOADSORVENTE DE ÍONS CHUMBO
Atividade industrial agrava sua presença no ambiente.

Seu veneno acumulativo é absorvido por via aérea, digestiva e cutânea.

Gera: Saturnismo, cefaleias agudas, paralisia motora, comportamento maníaco e distúrbios mentais gerais, neuropatia periférica e nefropatia crônica
Metal branco-azulado
Alta densidade: 11,48 g/cm3.
Principal minério: Galena

Ponto de fusão baixo: 327,4 ºC
Altamente resistente a corroção
Excepcional maleabilidade
Alta opacidade aos raios X e gama
Metodologia
Coluna de leito fixo
Preparação do Bioadsorvente
Análise espectrofotométrica no UV-Visivel
Secagem
Trituração
1º Tratamento
2º Tratamento
30 de 45 cm preenchidos
Amostras de 50, 75, 100, 150 e 175 mg de nitrato de chumbo II
Ácido ácético 0,3mol/L
Determinar quantitativamente a concentração de chumbo.

Preparação de padrões
O,2 mL - 0,6mL chumbo
0,5 mL de tampão pH 3,5
0,4 mL de KI 10%
0,3mL de rodamina – B
0,2 mL de gelatina 1%

Concentrações:
0,4224, 0,6336, 0,8448, 1,0056 e 1,2672 mg.L-1

Utilização de biomassa vegetal ou microrganismos, na retenção, remoção ou recuperação de metais pesados de um ambiente líquido

Capacidades adsortivas tanto por metais quanto por compostos orgânicos
Uso do leito fixo para sistemas de grande escala

Biomassas já estudadas:
Cana de açúcar, resíduo de cenoura, casca de nozes, serragem, mandioca etc.
Família Arecaceae, Reino plantae Ordem Arecales
Componentes:
exocarpo, mesocarpo e endocarpo

Aumento de 68% de produção
80 a 85 % do peso bruto do coco verde representa lixo
Elevado teor de matéria orgânica. Lignina 35-45 % e celulose 23-43 %.
Teor de 5 mg não retidos em média
Regeneração da coluna e Análise dos Eluentes
Espectro de absorção e Curva de calibração
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Análise entre 500 e 700 nm

Maior absorção em 558nm

Maior a concentração de chumbo menos rodamina livre
Obtida após a leitura dos padrões no espectrofotometro

Linearidade para a absorbância em função da concentração de chumbo.
Máximo permitido: 0,01 mg/L
Tratamento Ineficáz;
Baixa remoção;
5,5 mg recuperadas.

CONCLUSÃO
Biomassa do "Cocos nucifera L." viável para grandes quantidades de chumbo em meios aquosos
Influência da concentração, resulta em um método não muito sensível
Uso do ácido orgânico fraco, não foi funcional
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Maior efetividade, quando maior a concentração de chumbo
Baixa interação com eluente
não acarretou em grandes variações
Manteve os parâmetros de absorção constatados na literatura

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. RESOLUÇÃO CONAMA, Nº 357 DE 17 DE MARÇO DE 2005. Estabelece a classificação das águas e os níveis de qualidade exigidos. Disponível em: http://www.mma.gov.br /port/ conama /res /res0 5/res35705.pdf. Acesso em: 15 de abr. 2013

COMPANHIA DE TECNOLOGIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO (CETESB). Ficha de informação toxicológica (FIT). CHUMBO E SEUS COMPOSTOS. 2012. Disponível em: <http://www.cetesb .sp.gov.br/ userfiles/ file/l aboratorios/fit/chumbo.pdf> Acesso em: 02 mai. 2013.

FAUSTO, L. EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO CHUMBO. 56 f.. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação e Enfermagem do Trabalho) – Instituto de Estudos Avançados e Pós Graduação – ESAP/ Faculdade Iguaçu. Pato Branco, 2008

INSTITUTO DE METAIS NÃO FERROSOS (ICZ). CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO CHUMBO. Disponível em: <http://www.icz.org.br/chumbo-caracteristicas-tecnicas.php> Acesso em: 10 de abr. 2013.

PINO, G. A. H. BIOSSORÇÃO DE METAIS PESADOS UTILIZANDO PÓ DA CASCA DE COCO VERDE (Cocos nucifera). 113 f.. Dissertação de mestrado. Pontificia Universidade Católica (PUC-RIO) Rio de Janeiro. 2005 Disponível em: < http://www.nima.puc-rio.br/cursos/pdf/036_gabriela.pdf> Acesso em: 24 abr. 2013

SOUSA, F. W. ADSORÇÃO DE METAIS TÓXICOS EM EFLUENTE AQUOSO USANDO PÓ DA CASCA DE COCO VERDE TRATADO. 105 f.. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Ceará (UFC) - Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental. Fortaleza, Ceará 2007. Disponível em: < http:// www .rep osit orio.ufc.br:8080/ri/bitstream/123456789/2189/1/2007_dis_fwsousa.pdf> Acesso em: 17 mar. 2013

Análise das Soluções Tratadas
Full transcript