Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Técnicas de comunicação

No description
by

catarina fernandes

on 20 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Técnicas de comunicação

O processo de Comunicação, ocorre quando o emissor (ou codificador) emite uma mensagem (ou sinal) ao receptor (ou descodificador), através de uma chamada exemplo telefone. O receptor interpretará a mensagem que pode ter chegado até ele com algum tipo de barreira (ruído, bloqueio, filtragem) e, a partir daí, dará o feedback ou resposta, completando o processo de comunicação.
Conceito de processo:
A comunicação como processo- A comunicação é uma das formas pelas quais os homens se relacionam entre si. Existem formas de comunicação que não utilizam signos (amamentação, jogos, etc.). A comunicação manifesta a relação social que existe entre as pessoas, neste sentido, os meios de comunicação devem ser considerados como intermediários técnicos nas relações sociais.
Comunicação:
Elementos base do processo de comunicação:
Técnicas de comunicação
Design Comunicação Audiovisual
Módulo 8

• Técnicas de comunicação: lasswell, shannon, weavear e Moles:
Barreiras na comunicação

“Ruídos”


Barreiras gerais:
• Mecânicas ou físicas: aparelhos, barulho
• Fisiológicas: problemas genéticos, má formação, deficiências por acidentes.
• Semânticas: linguagem
• Psicológicas: preconceitos e estereótipos
Barreiras na comunicaçãoorganizaciona

l•
Divididas basicamente em quatro classes:
• Pessoais: personalidade, emoções;
• Administrativas/burocráticas: distância física; relações de poder e status;
• Excesso e sobrecarga de informações: papéis em excesso, reuniões inúteis
• Informações incompletas ou parciais
• Problemas como: audição seletiva, juízo de valor, credibilidade da fonte, problemas de semântica, filtragem e manipulação de informações, linguagem intragrupal, diferenças de status, competição, pressão do tempo, sobrecarga na comunicação.

Conceito de processo;

Comunicação;

Elementos base do processo de comunicação;

Técnicas de comunicação: lasswell, shannon, weavear e Moles;

A necessidade de o homem saber utilizar os meios de comunicação ao seu alcance;

Barreiras à comunicação: ruídos, personalidade, contexto sociocultural e linguagem.
Tópicos
O desenvolvimento das formas de comunicação levou à construção de um modelo interpretativo mais amplo do que o apresentado por Aristóteles. Assim, o processo de comunicação é visto hoje como contendo os seguintes elementos:
O emissor ou fonte – é o indivíduo ou grupo que emite a mensagem.
A codificação – codificar uma mensagem significa formular o conteúdo através de símbolos (palavras, desenhos, gestos etc.) e selecionar o veículo eficaz para sua transmissão.
A mensagem – considera-se mensagem qualquer informação ou estímulo que pretendemos transmitir a alguém, envolvendo informações e/ou sentimentos.
O canal – é o veículo utilizado para transmitir a mensagem, como o meio verbal, o papel, e os meios de comunicação electrónicos.
A decodificação – ocorre quando a mensagem veiculada chega ao seu destino e os símbolos utilizados na codificação são traduzidos em informações e sentimentos pelo destinatário.
O receptor – é a pessoa ou grupo a quem se destina a mensagem.
Modelo Linear de Lasswell
Lasswell sustentou que uma forma de descrever um acto de comunicação é responder a cinco questões:

Quem?; Diz o Quê?; Através de que meio?; A quem?; Com que efeito?

Este modelo indica-nos que a iniciativa de um acto de comunicação é sempre do emissor e que os efeitos ocorrem unicamente no receptor, quando, na verdade, um acto comunicativo não tem início bem definido e os emissores e receptores se influenciam mutuamente.
Quem?


Diz o quê?
Por que canal?
Análise do meio
A quem?
Análise da audiência e estudos sobre o receptor e a recepção de mensagens
Com que efeito?
Análise dos efeitos das mensagens e da comunicação
Pode, assim, sistematizar-se o estudo da comunicação em vários campos:

Estudos sobre o emissor e a emissão das mensagens
Análise do discurso
Modelo Linear de Shannon e Weaver
Um outro processo de comunicação foi apresentado, em 1949, pelo matemático Claude Shannon e pelo engenheiro Warren Weaver. Tratava-se de um modelo para o estudo da comunicação electrónica. No entanto, o modelo pode ser aplicado ao estudo de outras formas de comunicação. Para Shannon e Weaver, o processo de comunicação electrónica pode ser descrito graficamente da seguinte maneira:
Segundo o esquema, a fonte de informação elabora e envia uma mensagem; a mensagem chega a um transmissor, que transforma a mensagem num sinal.
O sinal pode estar sujeito a ruído (interferências). Por esta razão, o sinal emitido pode ser diferente do sinal captado pelo receptor. O receptor capta o sinal e fá-lo retornar à forma inicial da mensagem, de maneira a que esta possa ser percepcionada e compreendida pelo receptor.
O modelo de Shannon e Weaver pode ser criticado pela sua linearidade, incompletude e estatismo.
No entanto, representou um avanço na figuração paradigmática do processo de comunicação. Além disso, não deve ser ignorado que os seus autores procuravam traduzir exclusivamente o processo de comunicação electrónico mediado (como acontece quando se usa o telefone, um telégrafo, etc.)
 “A necessidade do homem saber utilizar os meios de comunicação ao seu alcance”
Com o desenvolvimento das tecnologias, como a invenção do telégrafo, considerado o precursor da comunicação de massa electrónica, a informação agora podia viajar quilómetros de distancia, e a distancia, logo, já não era mais uma barreira para a comunicação e difusão da informação. Um período de aproximadamente milhares de anos foi preciso para a comunicação chegasse ao nível que estava no início do século XX. A criação do cinema passou a ser a principal forma de divertimento, depois do rádio, que atingia de forma mais unânime os diferentes tipos sociais.
A TV representou um salto neste processo de difusão da informação, porque agora aliado ao som havia a imagem, juntos funcionavam de forma hipnotizante da construção da credibilidade da notícia.
Atingindo mais e mais pessoas, os meios de comunicação de massa representaram um marco para a evolução do homem. Marcado por diversas revoluções, deste os sinais, passando pela fala e escrita, e tendo como padrinho a prensa móvel, a comunicação de massa sempre foi uma forte aliada para as o manejamento das elites no poder.
Hoje, com a internet, a informação se tornou algo ainda mais presente em nossas vidas e, retomando a questão que foi abordada no início deste texto, talvez tenha sido banalizada por estes processos de bombardeamento da informação sobre as massas.
Não podemos prever os resultados que isto implicará sobre as sociedades modernas, tudo o que podemos fazer é esperar.
os novos meios de comunicação reúnem os homens do nosso tempo, como que em mesa redonda, para o convívio fraterno e a acção comum. Na verdade, estes meios suscitam e difundem por toda a parte relações entre homens e promovem o diálogo público e universal. A torrente de informação e opinião14, assim movimentada, faz de cada homem um participante no drama, nos problemas e dificuldades de género humano, participação que cria, por sua vez, as condições necessárias para a compreensão mútua que conduz ao progresso de todos.
Os meios de comunicação, com seus processos rápidos, vão abatendo barreiras que o espaço e o tempo levantavam entre os homens; apresentam-se, portando, como factores de proximidade e comunhão - a retribalização defendida por McLuhan.
Trabalho reaizado por:

Catarina Fernandes

Mara Carvalho
Full transcript