Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O Y da Questão

geração y
by

Douglas Reis

on 21 February 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Y da Questão

O Y da Questão “O conceito de ‘geração Y’ surgiu nos Estados Unidos, para delimitar as novas gerações que nasceram no final da década de 70 ou início dos anos 80.” (KRÜGER et al). Apareceu pela primeira vez no periódico Advertising Age, de agosto de 1993 (CARA, p. 75). Áreas que estudam a Geração Y. Em geral, Gestão e marketing, administração, publicidade e propaganda, comunicação. As gerações “podem ser consideradas produtos de eventos históricos.” (KRÜGER et al, p. 3) Revolução industrial clássica, Fordismo e, atualmente, o Toyotismo (SANTANA, et al). Nasceram na era das inovações tecnológicas, estímulo constante dos pais e do excesso de segurança. (SANTOS et al.) Em 1995 – 13 milhões de jovens entre 20-24 anos, o equivalente a 8,5% da população.
Em 1999, 15,7 milhões de jovens na mesma faixa etária, correspondendo a10, 4%.

(ACI Pesquisa e Estudo de Mercado, apud. SANTANA et al, p.15) Características gerais Nascidos entre 1978 e 1994 (ENGELMAN apud. SANTOS et al.) Nascidos entre 1980 e 1990 (LOIOLA e LOMBARDÍA apud. SANTOS et , p. 3 Nascidos entre 1980 e 1999 (OLIVEIRA, p. 41) Nascidos entre 1978 e 1994 (ENGELMAN apud. SANTOS et al.);
Nascidos entre 1980 e 1990 (LOIOLA e LOMBARDÍA apud. SANTOS et , p. 3);
Nascidos entre 1980 e 1999 (OLIVEIRA, p. 41);
Nascidos a partir de 1982 (SAVAGE, p. 7); Buscam interatividade, multi-tarefa, valorizam o presente, gostam de vários estilos, interatividade (jogos eletrônicos e internet (KRÜGER et al, p. 3). “A geração Y acredita na codecisão e lidera pelo coletivismo” (SANTOS, p.10). “A valorização do presente está na busca obstinada de aproveitar cada instante da vida. "A geração Y gosta de experimentar novas situações e o hedonismo, a busca do auto-prazer, é um conceito constante na vida dos jovens.” (KRÜGER et al, p. 4) Para a geração Y, o entretenimento estaria ligado à aventura da fantasia (POPCORN, apud. KRÜGER et al, p. 4). “Por causa dessas características, em muitos aspectos a geração Y pode ser identificada com o pós-moderno. “Os simulacros, reproduções técnicas do real, são os símbolos pós-modernos. A simulação tornou-se mais atraente que a realidade.” (KRÜGER et al, p. 5). A vida de constante exposição on line também leva ao surgimento de fenômenos como celebridades de nicho e stalkers. "Ao conviver com os bem mais jovens, com aqueles que se tornaram adultos há pouco e com aqueles que estão tateando para virar gente grande, percebo que estamos diante da geração mais preparada - e, ao mesmo tempo, da mais despreparada. "Preparada do ponto de vista das habilidades, despreparada porque não sabe lidar com frustreações. Preparada porque é capaz de usar as ferramentas da tecnologia, despreparada porque despreza o esforço. Preparada porque conhece o mundo em viagens protegidas, despreparada porque desconhece a fragilidade da matéria da vida. "E por tudo isso sofre, sofre muito, porque foi ensinada a acreditar que nasceu com o patrimônio da felicidade. E não foi ensinada a criar a partir da dor." (BRUM). "O cotidiano pós-moderno é invadido pela tecnologia eletrônica de massa e individual, visando a saturação com informações, diversões e serviços. Hedonismo e satisfação imediata (KRÜGER et al, p.5). "A forma superficial de visualizar as situações e definir as circunstâncias é um atributo pós-moderno, gerando a percepção de um mundo sem profundidade, de superfícies, que podem ser organizadas e reorganizadas indefinidamente como uma bricolage." (KRÜGER et al, p.6). "A moda tornou-se a máscara ideal, com objetos transacionais que ajudam-nos a reinscreverem seus próprios corpos para se valerem de um visual estético que os tornem interessantes e desejáveis." (CARA, p.71). Geração Y em relação às demais Pesquisa realizada (SANTOS et al 2011) identificou a busca de novos ambientes para desenvolvimento profissional fora do local de trabalho em representantes da geração Y, sendo que entre pessoas das demais gerações essa perspectiva foi pouco notada. Concepção de trabalho Baby Boomer = compromisso digno
Geração X = oportunidade de carreira
Geração Y= oportunidade para crescimento pessoal (reflexão pós Santos et al). Geração Y e mercado de trabalho A revolução no mercado de trabalho ocorre por serem os indivíduos dessa geração "bem-sucedidos, com alto nível de formação, criativos e aficcionados por tecnologia." (SANTOS, p.12). Para alguns autores (SANTOS et al), a geração Y se destaca no ambiente de trabalho pela "agilidade, capacidade [,] iniciativa, proatividade e aumento de produtividade", sendo, entretanto, a geração que possui maior rotatividade nas empresas e a que mais com os objetivos de organizações tradicionais. Não se preocupa com a marca da empresa, mas com "o grau de aderência dos objetivos da organização com suas crenças e valores" (SANTOS, p.41). Quem vem depois da geração Y? Não há um consenso sobre a próxima geração, embora popularmente eles venham sendo intitulados como geração Z. "Vivemos a era do exibicionismo. Estamos desistindo dos nossos segredos. Chegamos ao mundo da transparência radical. Nossos perfis no Facebook, Twitter e Google+ são nossas vitrines. Hoje, riqueza corresponde a conectividade. Com esse comportamento extremamente narcísico, estamos virando marcas."

Andrew Keen (VEJA On Line). BIBLIOGRAFIA

BRUM E. Meu filho, você não merece nada. Revista Época, Rio de janeiro, 11 de set. de 2011. Disponível em: <http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI247981-15230,00.html>. Acesso em: 9 de Maio de 2012.

CARA, M. Gerações juvenis e a moda: das subculturas à materialização da imagem virtual. In: Modapalavra: Núcleo de Comunicação – CEART / UDESC, ano 1, n. 2, ago-dez 2008. Disponível em: < http://www.ceart.udesc.br/modapalavra/files/geracoes_juvenis-mariane_cara.pdf>. Acesso: 14 de Maio de 2012.

HUNTLEY, R. The world according Y: inside the new adult generation. Crowns Nest, NSW: Allen & Unwin, 2006.

KRÜGER F. et al. Jogos (virtuais) de simulação da vida (real): o The Sims e a geração Y. Ciberlegenda – UFF, v. 9, 2007 .

OLIVEIRA S. Geração Y: o nascimento de uma nova geração de líderes. São Paulo: Integrae Editora, 2010.

GUERRA, L. Qual é a da Geração Y, jornal A Notícia, ed. 25.797, ano 88, terça-feira, 6 de Dezembro de 2011, p. 5, 6.

SANTANA P. et al. Gestão, comportamento da geração Y. In: XIII Seminários em Administração (Programa de Pós-Graduação em Administração da FEA/USP, SP). 9 a 10 de Setembro de 2010.

SANTOS C. et al. O processo evolutivo entre as gerações X, Y e Baby Boomers. In: XIV Seminários em Administração (Programa de Pós-Graduação em Administração da FEA/USP, SP). 13 a 14 de Outubro de 2011.

SANTOS L. Pertencer para crescer: o endomarketing como estratégia de engajamento dos talentos Y. 2011

SAVAGE et al. Making sense of Generation Y: the world view of 15-25-years-old London, UK: Church House Publishing, 2006.

STEVENS, J. The Facebook divorces: Social network site is cited in “a THIRD of splits”. Dailymail, West Virginia, 30 de Dezembro de 2011. Disponível em: <http://www.dailymail.co.uk/femail/article-2080398/Facebook-cited-THIRD-divorces.html>. Acesso em: 1o de jan. de 2012.

THOMAS, A. Digital disciples: real christianity in virtual world. Nashville, Tenesse: Abingdon Press, 2011.
Full transcript