Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

"Gabriela, cravo e canela"

No description
by

Gilney Gomes

on 15 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of "Gabriela, cravo e canela"

Gabriela
,
cravo

e

canela

A história
A obra narra o caso de amor entre o árabe Nacib e a sertaneja
Gabriela
, com pano de fundo o período áureo do cacau na região de Ilhéus, descrevendo as alterações profundas da vida social da Bahia da década de 1920, que inclui a abertura do porto aos grandes navios, levando à ascensão do exportador carioca Mundinho Falcão e ao declínio dos coronéis, como Ramiro Bastos. Gabriela personifica as transformações de uma sociedade patriarcal, arcaica e autoritária, afetada pelos sopros de renovação cultural, política e econômica.
Adaptações
Televisão

Gabriela, Cravo e Canela - telenovela produzida pela extinta TV Tupi em 1960, com adaptação de Zora Seljan, e Janete Vollu no papel principal, além de Paulo Autran como Mundinho Falcão.

Gabriela - telenovela da Rede Globo de Televisão, 1975, com adaptação de Walter George Durst e com Sônia Braga no papel principal. Fez grande sucesso no Brasil e em Portugal.

Gabriela - telenovela da Rede Globo de Televisão, 2012, com adaptação de Walcyr Carrasco e com Juliana Paes no papel principal.

Cinema

Gabriela, cravo e canela, filme dirigido por Bruno Barreto, de 1983, com Sônia Braga no papel principal.
O livro
Eu recomendo!
Que "muléstia" é isso?
Tonico Bastos chegando ao Bar Vesúvio
“Tonico Bastos [...] entrava no bar com seu passo despreocupado quando vinham de pronunciar seu nome. Fez-se um silêncio incômodo na roda, ele perguntou suspeitoso:
- De que falavam? Ouvi meu nome.
- De mulheres, de que havia de ser? – disse João Fulgêncio. – E falando-se de mulheres, seu nome veio à
baila
. Como não podia deixar de acontecer...” (Pág. 99)

Conversa entre Mundinho Falcão e o Coronel
“O exportador balançou a cabeça: aquele argumento não era novo [...]. Rebatê-lo tornara-se um hábito, uma espécie de exercício intelectual:
- O senhor nasceu aqui, Coronel?
- Eu? Sou de Sergipe, sou “ladrão de cavalo” como dizem esses moleques daqui [...] Só que já faz mais de quarenta anos que
arribei
em Ilhéus.” (Pág. 156)

Tonico Bastos em visita ao compadre Nacib no Bar Vesúvio
“- A vida é gostosa (Nacib disse)
- Você tem razão para estar contente. Com mulher nova...
Tônico palitava as unhas, condescendeu:
- Ando mesmo contente... Os trabalhos da barra foram para o
balacobaco
... A cearense é fogosa.” (Pág. 209)

Gabriela, Cravo e Canela é um dos mais célebres romances do escritor brasileiro Jorge Amado, publicado em 1958.
Leiam!
"O cheiro de cravo,
a cor de canela,
eu vim de longe
vim ver Gabriela".
Full transcript