Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

os movimentos separatistas da europa

No description
by

Claudia Carvalho

on 17 November 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of os movimentos separatistas da europa

Conceito:
Os movimentos separatistas se resumem no desejo de independência de pequenas regiões,que acabam se sentindo desvalorizadas por fazerem parte de países que não o reconhecem (culturas distintas, divergências na fonte econômica e falta de investimentos em sua população).Buscam na independência uma forma de valorizar e garantir mais direitos e investimentos para sua sociedade.
• A Europa é o continente que mais vivencia essa situação, isso preocupa a União Europeia, que teme que um grupo separatista ganhe a causa provocando um efeito cascata nas demais regiões desvalorizadas ( acabando com a união ).
País de Gales
Também deseja se separar do Reino Unido. Em um referendo em 2011, 63,49% dos eleitores votaram a favor da atribuição de maiores poderes à Assembleia Nacional de Gales. O partido Plaid Cymru é um dos principais promotores da ideia de separação. O objetivo da campanha é construir um Estado Nacional Autônomo.
O Caso do País Basco:
No norte da Espanha e no extremo sul da França residem os bascos, que formam uma comunidade com autonomia cultural e linguística, mas não política, pois estão sob jurisdição dos governos espanhol e francês. Mesmo com essa inserção territorial, eles não se consideram de jeito algum espanhóis ou franceses. A língua falada por eles, o euskara, que é muito diferente do espanhol comum ou de suas variações, como o galego por exemplo. Dessa forma, fica ainda mais explícita a vontade de se destacar do território espanhol. Existem vários grupos separatistas naquela região, que buscam a independência da Espanha, e o mais conhecido é o ETA, que significa: Euskadi Ta Askatasuna (“Pátria Basca e Liberdade”).
O povo basco teria ocupado a região da Península Ibérica por volta de 2000 a.C. tendo resistido durante séculos a invasões e à dominação por outros reinos, inclusive os romanos. Sua cultura resistiu ao tempo e às conquistas, se tornando, a língua basca, a língua mais antiga falada atualmente na Europa, mesmo tendo surgido como língua escrita apenas no século XVI o que, apenas contribuiu para fortalecer o espírito nacionalista do povo basco.
E.T.A:
O ETA foi criado com o objetivo de tornar a região um Estado independente. O movimento de guerrilha tem o apoio do partido Herri Batasuna, o segundo maior da região basca, e representantes no parlamento.



Reino Unido
O Reino Unido é um país europeu formado por Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Sua capital é Londres, a mesma da Inglaterra, o que já aponta uma liderança desse país no bloco. Essa liderança, enxergada como favorecimento por uns, é um dos motivos do surgimento de movimentos separatistas nos demais países.
os movimentos separatistas da europa
Grupo: Claudia Carvalho, Gabriela Pasin, Luiza Portela e Maria Clara Noel
• Quando uma região ou território se torna independente mudam-se fronteiras, alianças, relações econômicas e blocos, e os países recentes têm que iniciar uma série de reformas, criando instituições próprias além da necessidade ser reconhecido por outros países.
• Em nosso trabalho iremos tratar de dois conflitos separatistas europeus as regiões das quais iremos apresentar será o Reino Unido e a Espanha.
Escócia

Em 2014, a Escócia realizou um plebiscito para se tornar independente em relação ao Reino Unido. Em um dia histórico, 53% dos 3,6 milhões de eleitores votaram pelo “não”. Os partidários da independência, liderados pelo SNP (Partido Nacional Escocês), maioria no parlamento, buscam mais liberdade constitucional e autonomia fiscal, o que, segundo os críticos, estão centralizadas demais na Inglaterra. Outro objetivo é criar um fundo de reserva com o valor obtido na exploração de petróleo do Mar do Norte, cerca de £1 bilhão, ou US$ 1,6 bi, de acordo com os cálculos da ala favorável à separação.
Irlanda do Norte
Os irlandeses devem realizar um plebiscito sobre a independência em relação ao Reino Unido em até quatro anos. Em 1921, após a guerra de independência irlandesa contra o Reino Unido, Londres assinou uma trégua com Dublin e, dois anos depois, fundou o Estado Livre Irlandês. Nesse processo, o governo britânico ficou com seis dos nove condados que compõem a região do Ulster, província irlandesa. O objetivo da independência é juntar esses seis territórios à República da Irlanda. A independência é também uma das principais bandeiras do IRA (Exército Republicano Irlandês).
- Em novembro de 1999, ano seguinte ao anúncio da trégua dos atentados, eles voltaram a dizer que a partir de 3 de dezembro a trégua teria fim.
- Em 2000 morreram 23 pessoas pelas ações do grupo ETA, inclusive o presidente da Seção Militar da Suprema Corte, General José Francisco Guerol, e o ex-ministro da Saúde Ernest Lhuch. A morte do ex-ministro levou cerca de 1.000.000 de pessoas às ruas para manifestar contra o atentado.
- Em fevereiro de 2001, foi preso em território francês Francisco Xabier Garcia Gastelú, pois acreditavam que ele era um líder do ETA.
- 1997: nesse ano, importantes políticos e policiais foram assassinados. No mesmo ano houve um movimento de manifestação no centro de Madri, no Plaza Del Sol, que conseguiu atingir um contingente de 1.000.000 de pessoas, todos contrários às ações do grupo separatista.
Full transcript