Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

JUNG - Psicologia Analítica

No description
by

João Victor Ferreira Borges

on 1 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of JUNG - Psicologia Analítica

JUNG - Psicologia Analítica
PSICOLOGIA ANALÍTICA
VIDA DE JUNG
"A minha vida é uma história de um incosciente que se autorrealizou. Tudo nele busca uma manifestação externa e a personalidade também deseja sair de seus estados inconscientes." Carl Jung
CARL GUSTAV JUNG (1875 - 1961)
"Para Jung, que satisfazia livre e frequentemente suas necessidades sexuais, o sexo tinha um papel mínimo na motivação humana. Para Freud, acossado por frustrações e ancioso em relação a seus desejos, o sexo tinha um papel central." (SCHULTZ, 1990, p. 148)
FREUD X JUNG
ENERGIA PSIQUÍCA
LIBÍDO
UMA FORMA MAIS AMPLA E GENERALIZADA DE ENERGÍA PSIQUÍCA.
PSIQUE
PERSONALIDADE
PRINCÍPIO DA OPOSIÇÃO
O CONFLITO ENTRE AS POLARIDADES É O PRINCIPAL MOTIVADOR DO COMPORTAMENTO E GERADOR DE ENERGIA.

CONFLITO ENTRE TENDÊNCIAS OU PROCESSOS OPOSTOS É NECESSÁRIO PARA A GERAÇÃO DE ENERGÍA PSÍQUICA.
PRINCÍPIO DA EQUIVALÊNCIA
REDISTRIBUIÇÃO CONTÍNUA DA ENERGIA DENTRO DE UMA PERSONALIDADE.
SE A ENERGIA GASTA EM CERTA CONDIÇÕES OU ATIVIDADES ENFRAQUECE OU DESAPARECE, ELA É TRANFERIDA PARA UM OUTRO LUGAR NA PERSONALIDADE.
PRINCÍPIO DA ENTROPIA
TENDÊNCIA AO EQUILÍBRIO DENTRO DA PERSONALIDADE.
O IDEAL É UMA DISTRIBUIÇÃO IGUAL DE ENERGIA PSÍQUICA POR TODAS AS ESTRUTURAS DA PERSONALIDADE.
EGO
ASPECTO CONSCIENTE DA PERSONALIDADE.
EXTROVERSÃO
• O movimento da libido se dá em direção ao mundo exterior.
• O objeto e a realidade exterior são de vital importância.
• Tem uma natureza saliente e franca.
• Adapta-se com facilidade às situações diversas.
• Tem medo “do que está dentro.

INTROVERSÃO
• O movimento da libido se dá em direção ao mundo interior.
• A realidade interior é de vital importância.
• Tem natureza vacilante, meditativa e isolada.
• Recua diante das situações e está sempre na defensiva.
• As forças motivadoras vêm de fatores internos ou subjetivos.

1º DIMENSÃO DA PERSONALIDADE - como interagimos com o mundo
SENSAÇÃO (terra)
A percepção do mundo se dá através das experiências conscientes que estimulam os cinco sentidos, além das sensações do interior do corpo.
INTUIÇÃO (fogo)
É uma experiência imediata que não exige nehum julgamento e surge do nada. Os indivíduos vêem o que está no mundo interior, percebendo o mundo através do inconsciente.
2º DIMENSÃO DA PERSONALIDADE - IRRACIONAL - maneira de perceber ou assimilar a informação.
PENSAMENTO (ar)
É a função cujo processo associativo de idéias busca conceituar ou solucionar um problema. Portanto, trata-se de uma função extremamente intelectual .
Os indivíduos pensamento são reflexivos, planejadores e julgam através da lógica
SENTIMENTO (água)
Sendo uma função avaliadora aceita ou rejeita uma ideia, avaliando o sentimento agradável ou desagradável proporcionado por tal ideia.
Os indivíduos sentimento são discriminatórios e reflexivos e tomam as decisões pelo julgamento de valores próprios como o certo ou o errado; o bom ou o mau.
3º DIMENSÃO DA PERSONALIDADE - RACIONAL - maneira de tomar decisões e chegar a conclusões.
– arquétipo de totalidade – TETRAKTYS, pontos cardeais, estações do ano, quatro evangelistas, quatro leis de Budha, quatro casta na índia, quatro elementos. (divisão natural e mínima de um círculo)
4 FUNÇÕES BÁSICAS - QUATERNIDADE
FUNÇÃO SUPERIOR
habitus racional
FUNÇÃO AUXILIAR
FUNÇÃO AUXILIAR
INCOSCIENTE
configura o ato falho, a sombra.
FUNÇÃO INFERIOR
TIPOS PSICOLÓGICOS (1920)
"a tipologia psicológica não tem a finalidade de dividir as pessoas em categorias [...] ela representa uma ajuda para a compreensão das variações individuais."

4 FUNÇÕES BÁSICAS -
QUATERNIDADE
Katharine Briggs e Isabel Briggs Mayers
INDICADOR DE TIPOS MYERS-BRIGGS (1923)
JULGAMENTO
O indivíduo necessita tomar decisões e buscar uma padronização.
PERCEPÇÃO
O indivíduo necessita manter as decisões em aberto ou se sente aprisionado.
4º DIMENSÃO DA PERSONALIDADE - forma com que o individuo coloca em prática as informações que processou.
PSICOLOGIA ANALÍTICA
INCONSCIENTE PESSOAL
Reservatório do material que ja foi consciente, mas foi esquecido ou reprimido.
INCOSCIENTE COLETIVO
Nível mais profundo da psique, que contém o acumulo de experiências herdadas de espécies humandas e pré-humanas.
ARQUÉTIPOS
Imagens de experiências contidas no incosciente coletivo.
ARQUÉTIPOS
ARQUÉTIPO DA PERSONA
A face pública ou papel que o indivíduo apresenta socialmente.
ARQUÉTIPO ANIMA - ANIMUS
Aspectos femininos da psique masculina.
aspectos masculinos da psique feminina.
ARQUÉTIPO DA SOMBRA
O lado obscuro da personalidade; o arquétipo que contém instintos animais primitivos.
ARQUÉTIPO DO SELF
O arquétipo que representa a unidade, integração e harmonia da personalidade total.
SÍMBOLO
expressões pictóricas cativantes . São retratos indistintos, metafóricos e enigmáticos da realidade psíquica
DESENVOLVIMENTO DA PERSONALIDADE
INFÂNCIA
O desenvolvimento do ego começa quando a criança consegue diferencear-se dos outros.
PUBERDADE A IDADE ADULTA
MEIA-IDADE
Periodo de transição quando o foco da personalidade muda de externo para interno numa tentativa de equilibrar o inconsciente com o consciente.
INDIVIDUAÇÃO
Estado de saúde psicológica resultante da integração de todas as facetas inconscientes e conscientes da personalidade.
Os adolecentes têm que se adaptar às demandas cada vez maiores da realidade
O foco é externo, na educação, carreira e família
O consciente predomina
INFÂNCIA
O ESTUDO DA MEDICINA
OS ANOS COM FREUD
INFÂNCIA
COMPLEXO
Um centro ou padrão de emoções, percepções e desejos no inconsciente pessoal, organizado em torno de um tema comum.
Como poder ou status.
INCOSCIENTE COLETIVO: RITOS DE PASSAGEM
VISÃO MENOS DETERMINISTA
NATURE/NURTURE = MEIO-TERMO
TIPO UNIVERSAL DE PERSONALIDADE
DOENÇAS DA DISSOCIAÇÃO
QUESTÕES SOBRE A NATUREZA HUMANA
ASSOCIAÇÃO DE PALAVRAS
ANÁLISE DE SINTOMAS
AVALIAÇÃO NA TEORIA DE JUNG
ANÁLISE DE SONHOS
DOCUMENTÁRIO: A IMPORTÂNCIA DOS SONHOS
Full transcript