Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

3S-L6-Bio2-mod 21

Sistema reprodutor
by

Carolina Gruszkowski

on 3 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 3S-L6-Bio2-mod 21

Reprodução humana Sistema genital masculino bexiga urinária Sistema genital feminino Hormônios e ciclo menstrual Gravidez Métodos anticoncepcionais Os testículos são as gônadas masculinas. Cada testículo é composto por um emaranhado de tubos, os ductos seminíferos. Esses ductos são formados pelas células de Sertoli (responsáveis pela nutrição dos espermatozóides) e pelo epitélio germinativo, onde ocorrerá a formação dos espermatozóides.
Em meio aos ductos seminíferos, as células intersticiais ou de Leydig produzem a testosterona, hormônio sexual masculino, responsável pelo desenvolvimento dos órgãos genitais masculinos e dos caracteres sexuais secundários. Os epidídimos são tubos enovelados que partem dos
testículos, onde os espermatozóides ficam temporariamente armazenados. Dentro da bolsa escrotal estão alojados os testículos e os epidídimos.
Ela tem a função de termorregulação (aproxima ou afasta os testículos do corpo), mantendo os testículos a uma temperatura geralmente em torno de 2 a 3 °C abaixo da corporal, o que é necessário para que os espermatozóides sejam
produzidos. As vesículas seminais são duas glândulas situadas atrás da bexiga e responsáveis pela produção de um líquido nutritivo, rico em frutose, que servirá de fonte de energia para os espermatozóides.
Esse líquido é liberado no ducto ejaculatório, juntamente com o líquido prostático e espermatozóides, antes da ejaculação. A próstata é uma glândula localizada sob a bexiga urinária. Ela secreta um líquido viscoso e alcalino, que tem por função neutralizar a acidez da uretra e das secreções vaginais, além de promover um aumento da mobilidade dos espermatozóides. A glândula bulbouretral produz uma secreção transparente que é lançada na uretra para limpá-la e preparar a passagem dos espermatozóides.
Também tem função na lubrificação do pênis durante o ato sexual. O pênis é o órgão masculino de cópula. É formado por dois tipos de tecidos cilíndricos (dois corpos cavernosos e um corpo esponjoso) e uma glande (“cabeça” do pênis). A glande é recoberta por uma pele chamada prepúcio. A ereção do pênis ocorre por acúmulo de sangue nos tecidos esponjosos, sob o estímulo do sistema nervoso autônomo. A uretra é o canal que leva tanto a urina da bexiga urinária quanto o esperma para o meio externo. Os ovários são as gônadas femininas. Na puberdade, por volta dos 12 ou 13 anos, começa a maturação de óvulos. Então, mais ou menos a cada mês, um óvulo de um ovário amadurece e é eliminado por ele (OVULAÇÃO). Os ovários também produzem os hormônios estrógeno e progesterona. Também chamadas tubas uterinas, são dois tubos que comunicam o útero aos ovários. São revestidas internamente por células ciliadas. O batimento dos cílios e o peristaltismo das tubas levam o óvulo até a cavidade uterina. Também é nas tubas uterinas que ocorre a fecundação do óvulo pelo espermatozóide. O útero é um órgão muscular oco, com a forma de uma pêra invertida, que abriga o embrião, permitindo que ele se desenvolva em sua cavidade até o nascimento.
A porção muscular do útero é denominada miométrio e o seu interior é revestido por um tecido ricamente vascularizado, denominado endométrio. A partir da puberdade, todo o mês o endométrio torna-se espesso e mais vascularizado aguardando a gravidez. Se não acontece, ele se destaca do útero e sai pela vagina (MENSTRUAÇÃO). A vagina é um canal musculoso que liga o útero ao meio externo e representa o órgão de cópula feminino. Durante a excitação sexual, a parede vaginal se dilata e se recobre por um muco lubrificante produzido pelas glândulas de Bartolin, o que facilita a entrada do pênis. A região genital externa feminina é a vulva, composta pelos grandes lábios, pequenos lábios, clitóris e as aberturas vaginal e uretral. Os grandes lábios são duas pregas cutâneas que envolvem os pequenos lábios. Estes, por sua vez, envolvem e
protegem as aberturas vaginal e uretral (que, ao contrário dos homens, são independentes).
Nas mulheres virgens, a abertura vaginal é protegida por uma membrana, o hímen.
Já o clitóris é um órgão sensorial rico em terminações nervosas, importante na excitação da mulher. FASE
MENSTRUAL FASE
PROLIFERATIVA FASE
SECRETORA O ciclo menstrual da mulher inicia no 1º dia da menstruação e dura, em média, 28 dias. Na primeira fase do ciclo menstrual, a hipófise secreta o hormônio folículo estimulante (FSH), que irá estimular o desenvolvimento de folículos ovarianos. Os folículos ovarianos, por sua vez, produzem e secretam hormônios estrogênios (estradiol, p. ex.). Sob o estímulo do estrogênio, o endométrio torna-se mais espesso e vascularizado, preparando o útero para o caso da implantação de um embrião. Por volta do 14º dia do ciclo, há um pico de produção do hormônio luteinizante (LH), que estimula a ovulação (liberação de um óvulo por um folículo ovariano). As paredes do folículo ovariano transformam-se no corpo lúteo, uma estrutura que passará a produzir e secretar o hormônio progesterona. Juntamente com o estrogênio, eles serão responsáveis pela manutenção do endométrio até o fim do ciclo menstrual. Caso não ocorra a implantação de um embrião e o início de uma gravidez, o corpo lúteo degenera e cessa a produção de progesterona e estrogênio. A queda dos níveis desses hormônios faz com que as células do endométrio descamem e saiam pelo canal vaginal, originando uma nova menstruação. Existem diversos métodos anticoncepcionais, que podem atuar basicamente de 3 formas:
impedindo a produção de gametas;
impedindo o encontro dos gametas;
impedindo ou dificultando a implantação do embrião. Pílula anticoncepcional Possui estrógenos e progesterona
que inibem a secreção de FSH e LH
pela hipófise.
Impedem a ovulação, mas
permitem o desenvolvimento
do endométrio.
Além dos comprimidos, também podem ser encontrados na forma injetável, adesivos dérmicos ou anel vaginal. Tabelinha Consiste na abstinência sexual durante o período fértil da mulher, evitando que os espermatozóides estejam no sistema genital feminino no período da ovulação.
Como os espermatozóides e o óvulo possuem uma vida útil de cerca de 2 dias, considera-se o período fértil entre os 2 dias que antecedem a ovulação e os 2 dias seguintes. Preservativo O preservativo masculino (camisinha) é uma membrana sintética que deve ser colocada no pênis já ereto, antes da relação sexual. O esperma ejaculado fica dentro da camisinha, impedindo que os espermatozóides entrem no corpo da mulher.
O preservativo feminino é uma membrana
semelhante colocada no canal vaginal antes da relação sexual, na tentativa de impedir o mesmo contato.
Além de evitarem a gravidez, ambas possuem a vantagem de prevenir doenças sexualmente transmissíveis (DST's). Diafragma È uma peça de látex colocada no fundo da vagina sobre o colo do útero, para impedir a progressão dos espermatozóides. Pílula do dia seguinte Contém altas doses de estrógeno e deve ser tomada até 72 horas após o ato sexual. Ela atua sobre o organismo feminino interferindo no mecanismo da ovulação, na motilidade das trompas e no endométrio, criando um ambiente impróprio
para a implantação do óvulo.
É um método contraceptivo de emergência e não interrompe uma gravidez já instalada. Dispositivo intra-uterino
(DIU) È um objeto de plástico coberto de cobre, colocado no interior do útero pelo médico.
Libera substância espermicida, e dificulta a implantação do embrião no endométrio. Vasectomia / Laqueadura tubária São métodos cirúrgicos que impedem o encontro dos gametas de forma definitiva.
A vasectomia consiste na secção e ligadura dos canais deferentes para impedir a saída dos espermatozóides.
Já a laqueadura consiste na secção e ligadura das tubas uterinas, para impedir que os espermatozóides
alcancem o óvulo.
Full transcript