Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Gold Brasil Logística

No description
by

Rodrigo Almeida

on 10 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gold Brasil Logística

Lucro líquido em 1.000 ao ano Delimitação da
Unidade de Caso Year 1 Year 2 Year 3 Percentual Tema: Estudo das práticas de gestão da Gold Brasil Logística, com ênfase na compreensão da liderança. Problema: Como profissionalizar lideranças a fim de comunicar com eficiência as decisões estratégicas para a organização em todos os seus níveis? Objetivo: O mesmo busca entender os benefícios que a atuação da liderança qualificada poderá agregar na melhoria e otimização dos processos e principalmente na valorização e retenção do capital humano. Metodologia: Análise documental, pesquisa in lócus, observação, dados bibliográficos e análise SWOT. Apresentação Análise SWOT Compartilhamento do poder de decisão na organização;

Incentivos a proatividade e participação;

Diminuição da centralização do poder;

Formação de lideranças em nível tático;

Implementação de banco de dados. Falta de gerenciamento das atividades e do poder de decisão;

Sobrecarga de processos;

Falta de implementação de rotinas administrativas;

Falta de qualificação de alguns colaboradores de níveis intermediários. Ausência de investimentos direcionados a infraestrutura;

Excessivo número de empresas no setor;

Cargas tributárias elevadas;

Ineficiência da infraestrutura portuária. Estímulos ao consumo;

Situação econômica favorável para o crescimento do setor no Brasil;

Diversificação do modal de distribuições, atendendo a mercados menos acessíveis;

Planos de investimento cobertos pelo Programa de Aceleração do Crescimento - PAC. Caracterização do Mercado Diagnóstico Organizacional Trabalho de Curso Centro Universitário do Pará
Área de Ciências Sociais Aplicadas
Curso de Bacharelado em Administração Estudo das práticas de gestão da Gold Brasil Logística, com ênfase na compreensão da liderança. Releitura Conceitual Delimitação da
Unidade de Caso Conclusões Desde 1996 no mercado;

Filiais;

Localização estratégica;

Grandes parceiros;

Mercado promissor; Sala de
Controle de Frota Sala da Diretoria Sala Operacão Logistica "Nunes (2007) afirma que a oferta no mercado de transportes de cargas é composta por operadores concorrendo entre si. Na maioria dos casos, os mercados não funcionam em ambientes de pleno equilíbrio, frente a cenários de consumidores cada vez mais exigentes" Diagnóstico Organizacional Empresa Familiar Estagnação x Profissionalização da Gestão A necessidade de profissionalização se torna mais que inerente aos funcionários da Gold Brasil Logística, pois, sem a prática da mesma, a organização em questão perde tempo e produtividade, sobrecarrega os diretores e traz considerável ônus financeiros para a empresa. Análise SWOT Caracterização do Mercado Direcionar investimento para o setor de recursos humanos; Viabilizar o processo de transição com as lideranças da empresa. Destinar recursos com o objetivo de melhorar a infraestrutura da empresa. Trabalhar na criação do plano de carreira na empresa; A hierárquia deve ser definidas, e difundidas dentro da organização, Desenvolver políticas de RH voltadas ao acompanhamento dos resultados entregues. Profissionalização da Gestão Disseminar os valores organizacionais, de acordo com as novas diretrizes da organização;

Elaborar palestras de autoconhecimento para os colaboradores;

Prover informações sobre a cultura organizacional aos funcionários recém-contratados de maneira mais eficaz possível;

Cconsiderar também os “veteranos” no processo de readaptação na nova cultura;

Desenvolver a cultura proativa dos lideres, e engajar seus subordinados. Cultura Organizacional Liderança Os colaboradores, devem estar cientes das políticas e condutas a serem tomadas. Recomendações Recomendações e Conclusões "Grande maioria dos problemas encontrados em sua estrutura, no fim estão ligados a procedimentos mau executados por parte de seus colaboradores consequência da falta de treinamento adequado, ruídos no repasse das informações,
não comprimento das metas estipuladas, além de falta de implementação de rotinas" "Os problemas mais decisivos que implicam de maneira fundamental na condução das dinâmicas internas, estão ligados posicionamento apático, passivo e indiferente do departamento de recursos humanos, que não interfere, a pesar ser de sua competência o fazer" "Cabe a Gold Brasil logística reconhecer essa realidade e perceber que o maior capital de que ela dispõe, são as próprias pessoas que a formam, pois esse fator é o passo inicial para seu desenvolvimento em um futuro que requer cada vez mais uma postura humanista com parte da estratégia organizacional" "investimentos maciços devem ser direcionados para a gestão de pessoas para que as mesmas possam se sentir valorizadas, contribuindo assim, no seu engajamento ou seja, desenvolver o senso de pertencimento nos colaboradores" “Coloque seus funcionários em primeiro lugar e eles farão o mesmo com os clientes” Orientadora: Profª. Mscª Simone Fonseca Pátio Gold Brasil Pátio Gold Brasil Um conjunto de valores, expressos em elementos simbólicos e em praticas organizacionais que em sua capacidade de ordenar, atribuir significações, construir a identidade organizacional, tanto agem como elementos de comunicação e consenso, como expressam e instrumentalizam relações de dominação. (FLEURY E FLEURY ,1997, p.27) Dentro do cenário mercadológico atual, as organizações vêm sofrendo grandes pressões externas para cada vez mais gerar resultados de maneira rápida, consistente e qualitativa, portanto, as pessoas passam a ser vistas como agentes primordiais de mudança e não como meros “recursos humanos” disponíveis para a organização tal, como insumos de produção ou patrimônios físicos. Liderança;

Gestão com Pessoas;

Desenvolvimento Organizacional.

Cultura Organizacional. Para Silva (2008), a teoria do DO vêm evidenciar um processo sistêmico, onde vários elementos são inter-relacionados e planejados com o intuito de mudar a cultura da organização a fim de melhorar a sua eficiência na solução de seus problemas e na realização dos objetivos organizacionais. O verdadeiro líder se conhece pelos liderados. É através do comprometimento dos liderados, do verdadeiro uso de suas potencialidades, de seus interesses e da satisfação obtidas no alcance de resultados. (MOTTA, 2000, pag. 206) Releitura Conceitual Agencia Nacional de transportes Aquaviários ANTAQ 2009. Disponível em: <http://www.antaq.gov.br/portal/desempenhoportuario/index.asp> Acessado em 06 de Junho de 2013.

Balança Comercial Brasileira: Mercosul. Disponível em: <www.desenvolvimento.gov.br/sitio/interna/interna.php?area=5&menu=2081> Acessado em 20 de novembro de 2012, 15:56.

BENNIS, Warren. Presidents as CEOs, Los Angeles times, 6 de março de 1988, parte IV, p. 3.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1999.
_____________, Idalberto. Princípios de administração: o essencial em teoria geral da administração. Rio de janeiro: Elsevier, 2006.

FISCHER, A.L. Impactos do Proálcool nas relações de trabalho da agroindústria canavieira. São Paulo: PPGA/FEA-USP, 1998.

FLEURY, A; FLEURY, M. T. L. Aprendizagem e cultura nas organizações. In: Aprendizagem e Inovação Organizacional: as experiências de Japão, Coréia, e Brasil. São Paulo: Atlas, 1997.

GERSICK, Kelin E. et al. De geração para geração: ciclo de vida das empresas familiares. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. P. 01-26.

HALL, Richard H, Organização: estruturas, processos e resultados. São Paulo, SP: Pearson Prentice Hall, 2004.

LIMA, Súsi M. Barcelos e Lima & ALBANO, Adriana Gaffrée Burns. Um estudo sobre clima e cultura organizacional na concepção de diferentes autores. Campinas: 2002. Referência MACHADO, Hilka Vier. Reflexões sobre concepções familiares e empresas familiares. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 10, n. 2, p. 317-323, ago. 2005.

MAXIMIANO, Antônio Carlos Amaru. Introdução à administração. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MORAN, Robert T.; HARRIS, Philip R.; STRIPP, William G. Desenvolvendo organizações globais, São Paulo; Futura, 1996.

MOTTA, Paulo Roberto. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente, 11 ed., Rio de Janeiro, Record, 2000.

NUNES, André de Oliveira. Análise da oferta de operadores de transportes multimodal no Brasil: uma aplicação da teoria dos custos de transação. 2007. 98f. Dissertação (Mestrado em Transportes) Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Faculdade de Tecnologia, Universidade de Brasília. Brasília. 2007.

PAPA, Adriana Cássia. O papel do fundador na cultura de uma empresa familiar: um estudo de caso em João Monlevade-MG. Disponível em: <http//www.anpad.org.br>. Acesso em 17 de novembro de 2013.
PIS. Disponível em: <http://www.caixa.gov.br/pj/pj_comercial/mp/pis/index.asp> Acessado em 06 de Junho de 2013.

Portos, logísticas, comercio exterior, transporte e indústrias brasileiras. Disponível em: <www.revistaportuaria.com.br/site/?/home=noticia=brasil>, acessado em 29 de novembro de 2012, 10:41.

ROBBINS, S. P. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo, Saraiva, 2006.

SAMUELSON, Paul Anthony. NORDHAUS, William D. Economia. 3 ed. Rio de Janeiro. McGraw-Hill, 2004.

Schein, E. H. (2005) Career anchors. The Blackwell Encyclopedia of Management. Vol. 5. Malden,MA: Blackwell, pp. 37-39.

SCHEIN, E. Psicologia Organizacional. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 1982 Referência Serviços logísticos crescem 5% ao ano no Brasil, disponível em <http://www.revistaportuaria.com.br/site/?home=noticias&n=CodzS&t=servicos-logisticos-crescem-5-ano-brasil> acessado em 13 de outubro de 2012, 09: 41.

SHERWOOD, J. Creating work cultures with competitive advantages. Organizational dynamics, Inverno de 1988, p. 5-26
SILVA, Reinaldo O. da. Teorias da administração. São Paulo: Person Prentice Hall, 2008

STEFANO, Fabiane; JUNIOR, Humberto Maia. Agora vem a parte mais difícil: o trabalhador brasileiro em media gera um quinto da riqueza gerada pelo americano. Para se tornar uma nação rica, o Brasil precisa aprender a produzir com mais eficiência. Revista Exame: 3 de outubro de 2012.

Termos contábeis: confins. Disponível em: <http://www.contabeis.com.br/termos-contabeis/cofins> Acessado em 06 de Junho de 2013. Referência Claus, O lado humano da qualidade: Colocando as pessoas em primeiro lugar. São Paulo: Ed. Pioneira, 1999. pág. 161. MOLLER, ( ) Esse traço na gestão é um fator que compromete fundamentalmente eficiência do corpo operacional. Liderança Partenalista "Foi diagnosticado que existem inúmeros problemas de comunicação, tanto entre departamento, com entre os colaboradores e gestores da organização, falta de padronização das rotinas de trabalho, gestão focada na centralização das decisões por parte dos gestores principais"

"observou-se que o maior entrave que a organização enfrenta, está ligado a questão da profissionalização da gestão, tanto da parte dos lideres com por parte dos seus colaboradores, devido a uma cultura fundamentada na informalidade e pessoalidade, cultivada desde o começo do empreendimento." "Segundo dados do Ministério do desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior, o saldo da balança comercial brasileira em 2011, fechou com crescimento de 47,8% em relação a 2010, o que configurou o melhor resultado nos últimos quatro anos"
Full transcript