Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

"Eu" - Florbela Espanca

No description
by

Rita Carmo

on 13 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of "Eu" - Florbela Espanca

- Nasceu a 8 de Dezembro de 1894 em Vila Viçosa

- Faleceu a 8 de Dezembro de 1930 em Matosinhos

- Em 1903 Florbela Espanca escreveu o primeiro poema de que há conhecimento,
"A Vida e a Morte"

Florbela Espanca
Assunto e Tema

O poema "Eu" de Florbela Espanca, demonstra-nos a definição que o sujeito poético tem de si mesma acerca da vida e do mundo.
Envolvendo temas como: morte, amor, destino, solidão, dor e insaciabilidade.
Caracterização do Sujeito Poético
O sentimento de predestinação em que a culpa da morte é do destino, destacando também a descriminação por ela sofrida.
O sujeito poético não tem uma definição exta de si mesma.
Eu
Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada ... a dolorida ...

Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida! ...

Sou aquela que passa e ninguém vê ...
Sou a que chamam triste sem o ser ...
Sou a que chora sem saber porquê ...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E que nunca na vida me encontrou!
"Eu" - Florbela Espanca
Recursos Expressivos
Análise Formal
Esquema rimático - rimático, abba / abba / cdc / ede
Este poema é um soneto, constituído por duas quadras e dois tercetos
Versos decassilábicos, ou seja, dez sílabas métricas
Nas quadras a rima é interpola em a e emparelhada em b, nos tercetos as rimas são cruzadas em c no primeiro terceto e cruzadas em e no segundo terceto.
Todo o poema é constituído por rima consoante, o que significa que a correspondência de sons a partir da última sílaba tónica é total.
Análise Formal
O poema contém rimas ricas, onde as classes de palavras são diferentes nos versos seis e sete (forte e morte) e nos versos nove e onze (vê e porquê), e rimas pobres, onde nas rimas há presença de palavras pertencentes à mesma classe de palavras, em todos os outros versos do poema.
Neste poema há presença de diversos recursos expressivos tais como a metáfora, a anáfora, o paralelismo, a hipérbole, e a adjetivação
No poema, destacam-se a anáfora que é utilizada com o objetivo introduzir uma caraterização sucessiva de sentimentos e considerações pessoais do sujeito poético sobre ele próprio
Full transcript