Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

História da TV e do telejornalismo no Brasil e no mundo

No description
by

Stephanie Severo

on 4 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História da TV e do telejornalismo no Brasil e no mundo

História da TV e do telejornalismo no Brasil e no mundo
A televisão brasileira, na década de 1970, caracterizou-se pelo desenvolvimento técnico. Quem mais se aproveitou disso foi a Rede Globo, com o aperfeiçoamento da qualidade de suas produções.
A criação da televisão remete às pesquisas realizadas por John L. Baird, que em 1920 uniu componentes eletrônicos que haviam roduzidos em várias partes do mundo e montou o primeiro protótipo de televisão. Uma reprodução satisfatória de imagens aconteceu apenas 5 anos depois.
A partir da década de 1950, a imprensa brasileira passou a receber uma influência cada vez maior do modelo norte-americano de jornalismo. Uma das contribuições mais importantes proveniente dos EUA foram os
stylebooks,
os manuais de redação que, entre outras recomendações, prescreviam a utilização da técnica do lead e da pirâmide invertida como recursos de simplificação da comunicação jornalísticas.
A televisão foi trazida ao Brasil por Assis Chateaubriand, fundador da TV Tupi, primeiro canal televisivo brasileiro. A primeira transmissão foi ao ar em 18 de setembro de 1950.
No séc. XIX, já era perceptível o interesse de se criar o aparelho televisor. Conceitos desenvolvidos na matemática, física e química foram os precursores fundamentais da tecnologia utilizada na criação dos aparelhos de TV.


O primeiro telejornal brasileiro era intitulado Imagens do Dia, e foi ao ar em 19 de setembro, apresentado pelo radialista Ribeiro Filho, com texto e reportagem de Rui Rezende
“Claro que não foi a Globo que criou o telejornalismo, mas foi ela que eliminou o improviso, impôs uma duração rígida no noticiário, copidescou não só o texto como a entonação e o visual dos locutores, montou um cenário adequado, deu ritmo à notícia, articulando com excelente ‘timing’ texto e imagem (...)”. (Pignatari, 1984: 14).
A Copa do Mundo de 1970, no México, chegou em cores no Brasil em transmissão experimental para as estações da Embratel.
Durante vários anos o telejornalismo brasileiro buscou dinamizar a cobertura internacional, para contrabalançar as perdas causadas pelas sujeições que a censura que Ditadura Militar impunha ao noticiário nacional.
O recurso funcionava até mesmo como uma forma sutil de alertar a consciência do público para assuntos polêmicos. Uma forma para que isso desse certo e não causasse mais problemas para os veículos, era utilizar fatos ocorridos fora do país. Não era permitido falar de greve, então o que se fazia era colocar imagens de uma greve que havia acontecido na França ou em outro país. O mesmo valia para outros temas, como eleições e insatisfação pública.
Quanto à linguagem, o texto verbal na televisão, mais que no jornal escrito, exerce as funções orientadas e síntese daquilo que é apresentado pela imagem.
A palavra precisa ao mesmo tempo ser compreensível para um público bastante amplo e manter as indicações de neutralidade e objetividade. Os expedientes narrativos e de registro lingüístico, são, mais acentuadamente, os principais elementos para se chegar a tal configuração.
No caso brasileiro, a TV não é apenas um veículo do sistema nacional de comunicação. Ela desfruta de um prestígio tão considerável que assume a condição de única via de acesso às notícias e ao entretenimento para grande parte da população.
Em uma aparente contradição, a TV exalta, como mandamento máximo da indústria cultural, a ideia de que tudo deve ser descartável, de modo a impingir a impressão de que se deve estar sempre em busca do novo. Opera, então, a troca compulsiva de notícias, de cenas, de personagens, sempre subordinada ao tempo, elemento básico de sua estrutura de produção.
Ao analisar o conceito de notícias, verifica-se que a TV adota critérios próprios na seleção do fato noticioso, conferindo prioridade ao aspecto visual das informações que se pretende divulgar.
Em janeiro de 1969, o Brasil ingressava na era da comunicação espacial. As ligações por microondas e as transmissões via satélite possibilitavam a integração nacional e aproximação com o restante do mundo.
A televisão no Brasil passou e continua passando por uma fase de transição para a transmissão digital, o que proporciona melhor qualidade de som e imagem. A TV Digital no país teve início às 20h30min do dia 2 de dezembro de 2007, inicialmente na cidade de São Paulo. Entretanto, mesmo após tantos anos, o sinal digital está chegando, aos poucos, a todas as cidades e municípios do país.
Full transcript