Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Economia Brasileira - República

No description
by

Marcelo Mangini

on 6 July 2011

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Economia Brasileira - República

A crise da política das oligarquias Mudanças no perfil demográfico brasileiro;
1922: PCB, tenentismo e Semana da Arte Moderna;
Política de valorização do café;
Crise de 1929 e o estrangulamento externo O mundo nos anos 1930 EUA: Roosevelt e o New Deal;
Europa: A ascensão do nazifascismo;
URSS: Stalin e os Planos Quinquenais 1930 1934 1937 1945 Governo Provisório Governo Constitucional Estado Novo Revolução Constitucionalista;
Manutenção da política cafeeira;
Incentivo à diversificação econômica. Início da política trabalhista;
Flexibilização cambial;
ANL x AIB: Polarização ideológica da sociedade; Início da Segunda Guerra Mundial;
Consolidação da política populista;
Política de substituição de importações. Substituição de Importações Estrangulamento
externo Aumento da
oferta interna Aumento da
renda nacional Desvalorização
Cambial Três fases do P.S.I. 1. 1937 - 1955: Bens de consumo não-duráveis
2. 1955 - 1974: Bens de consumo duráveis
3. 1974 - 1979: Bens intermediários e de capital Em Formação Econômica do Brasil, Celso Furtado analisa os efeitos diretos e indiretos da crise de 1929 sobre a economia brasileira. Segundo o autor, a política de defesa do setor cafeeiro implementada no período teria favorecido a rápida recuperação da economia:

"É, portanto, perfeitamente claro que a recuperação da economia brasileira que se manifesta a partir de 1933 não se deve a nenhum fator externo e sim à política de fomento seguida inconscientemente no país e que era um subproduto da defesa dos interesses cafeeiros".
Com relação à economia brasileira no período posterior à crise de 1929, assinale a opção que apresenta afirmativa consistente com a análise de Celso Furtado acima resumida.
a) As alterações na política de defesa do setor cafeeiro introduzidas a partir da crise de 1929 tiveram como principal objetivo manter relativamente estável a demanda agregada pelos bens produzidos internamente, evitando-se, assim, a acumulação de estoques indesejados e a consequente redução nos níveis de produção.
b) Dificuldades de importação associadas à conjuntura de crise nos países industrializados impediram o crescimento da produção industrial brasileira nos anos 30 do século passado, retardando o processo de industrialização no Brasil.
c) A alta elasticidade-renda dos principais produtos brasileiros de exportação, associada à recuperação dos países industrializados, promoveu crescimento significativo dos saldos positivos na Balança Comercial brasileira a partir de 1936.
d) De acordo com Celso Furtado, a alta elasticidade-preço da demanda pelo café permitiu aumento das receitas dos cafeicultores, a despeito de queda substancial nos preços do café.
e) Os efeitos da política de defesa dos cafeicultores sobre o mercado cambial provocaram aumento na demanda dos brasileiros por bens produzidos internamente, incentivando o processo de substituição de importações na década de 30 do século passado. A desvalorização cambial provocada pela crise de 1929 encareceu as importações de máquinas e equipamentos, o que resultou em declínio considerável da produção da indústria brasileira na década de 30 do século XX.
( ) Certo ( ) Errado




No Brasil, a manutenção de uma política de defesa do setor cafeeiro, a despeito das alterações introduzidas em sua implementação na década de 1930, contribuiu para minorar os efeitos adversos da crise de 1929 sobre a renda nacional.
( ) Certo ( ) Errado




Durante o período de recessão mundial, as atividades voltadas para o mercado interno brasileiro não cresceram, dada a inexistência de capacidade ociosa para o aumento da produção, entre outras condições desfavoráveis.
( ) Certo ( ) Errado





Os efeitos da crise mundial sobre o comércio externo brasileiro não permitiram ao Governo Provisório qualquer interferência no mercado cambial brasileiro.
( ) Certo ( ) Errado






A queda de renda nos Estados Unidos da América reduziu proporcionalmente a quantidade demandada de café brasileiro e provocou redução no volume de exportações brasileiras desse produto.
( ) Certo ( ) Errado






O acúmulo de saldos positivos na balança comercial brasileira, no início dos anos 40 do século passado, resultante da situação criada pela Segunda Guerra Mundial, foi essencial para o processo de industrialização brasileiro.
( ) Certo ( ) Errado Sobre o processo de industrialização por substituição de importações, marque a alternativa que contém apenas características deste processo:

a) Restrição externa, liberalismo econômico e produção voltada para exportação.
b) Industrialização acelerada, protecionismo econômico e abertura comercial.
c) Política fiscal restritiva, investimentos públicos e produção voltada para o mercado nacional.
d) Restrição externa, protecionismo econômico, intervenção estatal na economia e produção voltada para o mercado interno.
e) Industrialização gradual, populismo econômico e abertura comercial. Dutra Vargas Café
Filho JK Jânio
Quadros Jango 1946 1951 1954 1955 1961 1961 1964 Reordenação política PCB: projeto nacional-desenvolvimentista e ideologia comunista PSD: projeto nacional-desenvolvimentista e postura conciliadora PTB: projeto nacional-desenvolvimentista e política trabalhista UDN: projeto liberal e postura oposicionista 1959: Revolução Cubana 1955: Conferência de Bandung e Coexistência Pacífica 1961: Invasão à Baía dos Porcos 1947: Início da Guerra Fria Contexto internacional Adoção de uma política liberal;
Esgotamento das reservas cambiais;
Plano SALTE PLANO SALTE Saúde
Alimentação
Transporte
Energia fim das reservas inflação arrocho salarial Aumento da participação do Estado;
Regulamentação do capital estrangeiro;
Ampliação do crédito. Política econômica em 55/56 SUMOC 113
Aumento da dívida externa
Política monetária contencionista Nacional-desenvolvimentismo Intervenção do Estado
Entrada de capital estrangeiro
Incentivo ao capital nacional
Ênfase na industrialização
Política fiscal expansiva
Protecionismo
Produção voltada para o mercado interno Plano de Metas Energia
Transporte
Indústria de Base
Educação
Alimentação Integração Nacional Brasília
SUDENE
SUDAM estatização;
estímulo ao capital nacional;
limites ao capital estrangeiro;
descentralização econômica;
política social;
distribuição de renda. 1. Reforma Agrária
2. Reforma Urbana:
3. Reforma Política
4. Reforma Administrativa
5. Reforma Fiscal e Tributária
7. Reforma Bancária
8. Reforma Cambial
9. Reforma Educacional Reformas de Base Assinale, entre as opções abaixo, a que NÃO corresponde a uma
das principais características da política de industrialização brasileira no Pós-Guerra.
a) Fornecimento de crédito a longo prazo para implantação de novos projetos.
b) Proteção à indústria nacional, mediante tarifas de importação e barreiras não tarifárias.
c) Participação direta do Estado no suprimento da infraestrutura (energia, transporte).
d) Participação direta do Estado na produção em alguns setores tidos como prioritários.
e) Intensa preocupação de atender o consumidor doméstico com produtos de qualidade e baratos. Os economistas da chamada "vertente ou linha desenvolvimentista" de pensamento econômico no Brasil sugerem que a(o)
a) taxa de juros no Brasil é alta devido à elevada classificação de risco do país.
b) deficit orçamentário do setor público deveria ser reduzido cortando-se os gastos governamentais.
c) regime cambial flutuante atual é adequado e gerou grandes superavits em conta corrente.
d) Brasil deveria adotar uma estratégia de crescimento com poupança externa.
e) atual nível de abertura da conta de capital do balanço de pagamentos do Brasil deveria ser reduzido. O Plano Trienal, elaborado por Celso Furtado e sua equipe para
o governo de João Goulart, tinha vários objetivos específicos, dentre os quais NÃO se encontra o de
a) realizar a reforma agrária com finalidade social e de expansão do mercado interno.
b) garantir o crescimento real dos salários a uma taxa anual 3% superior ao aumento da produtividade.
c) garantir uma taxa de crescimento do PIB de 7% a.a.
d) resolver a situação do balanço de pagamentos renegociando a dívida externa.
e) reduzir a inflação para 10% a.a. Até 1965. Entre 1956 e 1960 houve, no Brasil, um(a)
a) aumento da participação do setor agropecuário no PIB do País.
b) aumento do valor em dólar das exportações.
c) aceleração da inflação.
d) redução da taxa de crescimento do PIB.
e) redução do deficit orçamentário do governo federal. Pode-se considerar que o Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social, elaborado por equipe liderada por Celso Furtado, fracassou em sua meta de reduzir a inflação e estimular o crescimento econômico.
( ) Certo ( ) Errado















O Plano SALTE foi adotado por Getúlio Vargas, no seu período de governo, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento nas áreas de saúde, alimentação, transporte e energia.
( ) Certo ( ) Errado



















De 1956 a 1963, as elevadas taxas de crescimento econômico coexistiram com reduções substanciais do deficit público e da inflação.
( ) Certo ( ) Errado Na elaboração do Plano de Metas, visava-se atacar os pontos de estrangulamento existentes e impedir o aparecimento de novos. Os setores que foram identificados como pontos de estrangulamento são:
a) energia, transporte e alimentação.
b) educação e saúde.
c) indústria de bens não duráveis e semi-duráveis.
d) exportadores de produtos primários.
e) siderurgia e construção civil. Ditadura Civil-Militar 1969 1974 1979 1967 Castelo
Branco Costa
e Silva Médici Geisel Figueiredo 1985 1. o déficit do setor público;
2. o excesso de crédito ao setor privado;
3. os excessivos aumentos de salários. 1. contenção dos gastos públicos;
2. aumento da arrecadação;
3. fim do imposto inflacionário
3. controle rigoroso do crédito;
4. contração salarial;
5. redução da proteção trabalhista. Diretrizes do PND De 1968 a 1974: Investimentos externos
De 1968 a 1985: Arrocho salarial
De 1968 a 1979: Endividamento Externo
De 1974 a 1985: Inflação
De 1979 a 1985: Endividamento Interno Plano de Ação Econômica do Governo Cenário econômico inflacionário Fontes de Financiamento do "Milagre" II PND aumento da dívida externa
aumento da inflação
projeto de autonomia energética
ênfase na indústria de base geração de emprego;
desenvolvimento da agropecuária;
distribuição de renda;
redução das disparidades regionais. III PND 1. criar e assegurar condições para um crescimento econômico acelerado;
2. consolidar o sistema capitalista industrial no país;
3. aprofundar a integração da economia brasileira e o sistema capitalista internacional;
4. transformar o Brasil em potência mundial. O PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo) e as reformas implementadas em 1964 e nos anos imediatamente subsequentes, no Brasil,
a) aumentaram substancialmente os salários.
b) aumentaram as restrições à entrada de capitais externos.
c) diminuíram a carga fiscal dos contribuintes.
d) criaram o Banco Central do Brasil.
e) eliminaram a correção monetária no país. O período compreendido entre 1968 e 1973, ficou conhecido como o do "milagre brasileiro" por causa das altas taxas de crescimento econômico combinadas com índices de inflação relativamente baixos, que vigoravam à época.
( ) Certo ( ) Errado O Plano Nacional de Desenvolvimento II (II PND), anunciado em 1974, visou, fundamentalmente, a
a) promover o desenvolvimento das regiões mais pobres do país.
b) conter a inflação causada pelo período de forte crescimento de 1968 a 1973.
c) fazer um ajuste estrutural na economia brasileira, investindo nos "pontos de estrangulamento".
d) redistribuir a renda para as classes mais pobres e expandir o mercado interno.
e) colocar a economia brasileira em recessão para equilibrar seu balanço comercial. No período de 1968 a 1973, conhecido como fase do "milagre", a economia brasileira apresentou taxas elevadas de crescimento real do PIB, mas a tendência de aumento da inflação foi contida. Para tal, um fator importante foi a(o)
a) capacidade ociosa da economia.
b) contenção da demanda via política monetária expansiva.
c) redistribuição da renda para as classes de menor poder aquisitivo.
d) desvalorização cambial da moeda brasileira.
e) crescimento vigoroso das exportações no período. Para aumentar a eficiência e a competitividade do sistema financeiro, a reforma do período 1964-1967, além de permitir a captação direta de recursos externos pelas empresas privadas nacionais, modificou a legislação, para facilitar remessas de lucros para o exterior, contribuindo, assim, para ampliar a abertura da economia ao capital externo.
( ) Certo ( ) Errado Diversos governos utilizaram o planejamento como alavanca para o desenvolvimento nacional. Assinale qual dos planos abaixo foi elaborado na fase do "milagre brasileiro"
a) Plano SALTE.
b) I Plano Nacional de Desenvolvimento.
c) Plano Plurianual 1996-1999.
d) Plano de Metas.
e) Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG). Em 1984 a inflação no Brasil atingiu percentuais acima de 200% a. a.. Alguns economistas defendiam o ponto de vista de que tal situação era causada pelo chamado "conflito distributivo". Segundo os proponentes desse diagnóstico,
a) o "conflito distributivo" ocorria, fundamentalmente, entre o setor público e o setor privado, o primeiro, aumentando os impostos e o segundo, aumentando os preços.
b) o "conflito" poderia ser resolvido através de um Pacto Social, obtido com uma plena redemocratização do país e a formação de um governo de coalizão.
c) o controle rigoroso do deficit orçamentário do setor público levaria à resolução do "conflito distributivo".
d) os grupos sociais causadores do conflito deveriam ser contidos e excluídos do processo de redemocratização que estava ocorrendo.
e) apenas a dolarização da economia poderia resolver o "conflito", pois os preços e os custos em dólar ficariam estáveis com a taxa de câmbio estável. O período de 1974-78 foi de adaptação da economia brasileira e mundial à enorme alta dos preços do petróleo. Nesse período houve mudanças importantes, tais como:
a) redução substancial dos gastos brasileiros com a importação de petróleo.
b) redução das taxas de juros no mundo e no Brasil, devido à grande oferta de "petrodólares" pelos países exportadores de petróleo.
c) aumento considerável dos deficits em conta corrente dos países importadores de petróleo, financiados pela reciclagem dos "petrodólares" via sistema financeiro internacional.
d) expansão econômica mundial, financiada pela reciclagem dos "petrodólares" promovida pelo sistema financeiro internacional.
e) grande aumento das exportações brasileiras, mais do que compensando os maiores gastos com a importação de petróleo. Em fins de 1974, o Governo Federal lançou o II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND). Com relação ao referido Plano NÃO se pode dizer que:
a) o Plano significou uma alteração completa nas prioridades da industrialização brasileira do período do "Milagre" econômico.
b) para realizar o II PND, o Estado foi assumindo um passivo, para manter o crescimento econômico e o funcionamento da economia.
c) a meta do II PND era manter o crescimento econômico em torno de 5% a.a., com crescimento industrial em torno de 6% a.a.
d) a dívida externa cresceu rapidamente no período 74/79, pois a busca por recursos externos também serviu para cobrir o "hiato de divisas" existente na execução do Plano.
e) o Plano propunha uma alteração na estrutura produtiva brasileira de modo que, a longo prazo, diminuísse a necessidade de importações e fortalecesse a capacidade de exportar de nossa economia. Sarney 1990 1992 1995 Collor Itamar FHC 2003 2011 Lula Dilma a) recessão econômica;
b) elevados índices de inflação;
c) elevada dívida interna e déficit do setor público;
d) dívida externa fora do controle e alta de juros externos. 1. a economia havia retomado o crescimento a partir da segunda metade de 1984;
2. o aumento das exportações gerava um balanço de pagamentos positivo e
contribuía para uma taxa de câmbio favorável;
3. as reservas cambiais retomaram os níveis de 1978 (US$ 12 bi). 1. crescimento econômico autossustentado, com geração de empregos e melhoria dos salários;
2. rigoroso combate à inflação;
3. redução do déficit público e controle da dívida interna, através da unificação do orçamento fiscal e monetário;
4. renegociação da dívida externa e redução dos juros. 1. as expectativas positivas da sociedade em função do processo de redemocratização;
2. condições climáticas favoráveis permitiram uma safra agrícola farta;
3. reajustes salariais acima da inflação promoveram um aumento do poder aquisitivo da população. a) Nova moeda;
b) extinção da correção monetária;
c) congelamento dos contratos e preços;
d) reajuste salarial;
e) gatilho salarial;
f) seguro-desemprego. Plano Cruzado a) Esgotamento do modelo de S.I.;
b) esgotamento do crédito externo;
c) aprofundamento do déficit público. Razões da crise Plano Brasil Novo 1. Desregulamentação da economia;
2. Abertura ao mercado globalizado;
3. Incentivo à enrada de capitais;
4. Privatição das estatais;
5. Reforma fiscal e tributária;
6. Confisco de depósitos bancários;
7. Congelamento de preços e salários;
8. Reforma monetária. Diretrizes do P.A.I. 1. Aumento do crédito;
2. Redução dos gastos públicos;
3. Aumento da arrecadação;
4. Renegociação da dívida;
5. Aumento das reservas;
6. Reforma monetária. As fases do Plano Real 1. Ajuste fiscal

2. Combate à inflação inercial

3. Nova reforma monetária O Fundo Social de Emergência (FSE), aprovado em fevereiro de 1994, tinha como objetivo
a) reduzir o déficit comercial do balanço de pagamentos brasileiro.
b) redistribuir renda para as classes sociais de menor poder aquisitivo.
c) aumentar os repasses de recursos para todos os estados e municípios.
d) prover fundos para um aumento substancial do salário do funcionalismo federal.
e) desvincular algumas receitas do governo federal da rigidez de gastos imposta pela nova Constituição. No que diz respeito à análise da economia brasileira contemporânea, assinale a opção correta.
a) Apesar do aumento expressivo dos salários reais, a contenção da inflação no período do chamado milagre econômico foi possível graças à existência de capacidade ociosa na economia brasileira.
b) Na década de 1980, grande parte do deficit em conta-corrente deveu-se ao aumento dos encargos da dívida externa, provocado pelos elevados juros vigentes no mercado externo.
c) O insucesso do Plano Cruzado em conter, de forma duradoura, a inflação deveu-se principalmente à adoção de políticas monetárias restritivas, que culminaram na alta das taxas de juros reais e na valorização expressiva dos ativos financeiros.
d) No início dos anos 90 do século XX, a coexistência de altas taxas de inflação com deficits fiscais operacionais elevados exemplifica o que se convencionou chamar de Efeito-Tanzi às avessas.
e) No processo de abertura econômica no governo Collor, reduziram-se substancialmente as tarifas de importação e adotou-se o câmbio livre, porém não se alterou a miríade de barreiras não-tarifárias que impunham sérias restrições ao comércio externo. O Plano Real teve início em fevereiro de 1994 com a publicação da Medida Provisória 434 que instituía a Unidade Real de Valor (URV), que reajustava preços e salários em Cruzeiros Reais à moeda vigente. A URV possuía qual das funções da moeda?
a) Meio de troca.
b) Unidade de conta.
c) Reserva de valor.
d) Curso forçado.
e) Identidade nacional. Analise as seguintes afirmativas a respeito do período de elevada inflação no Brasil.
I. O plano Real somente obteve sucesso em função do congelamento de preços.
II. A constituição de 1988 ajudou no combate à inflação devido à redução das despesas do governo.
III. O orçamento desequilibrado do governo, que exigia a emissão monetária, foi a principal causa da inflação brasileira da década de 80 e início da década de 90.
Assinale
a) se todas as afirmativas estiverem corretas.
b) se apenas a afirmativa III estiver correta.
c) se apenas a afirmativa II estiver correta.
d) se apenas a afirmativa I estiver correta
e) se nenhuma afirmativa estiver correta. Nos anos imediatamente subsequentes ao Plano Real, houve uma sobrevalorização da moeda brasileira e deficits substanciais na conta corrente do balanço de pagamentos, embora o Banco Central acumulasse reservas de divisas internacionais, pois a conta de capital era superavitária. Em 1999, o Brasil mudou seu regime cambial para flutuante, após perdas substanciais das reservas no Banco Central. Esta mudança na situação se deveu ao(à)

a) aumento da expansão monetária doméstica.
b) recrudescimento da inflação doméstica.
c) diminuição do superavit primário do setor público.
d) diminuição da arrecadação fiscal.
e) crise asiática e russa, mudando a situação da conta de capital brasileira. O chamado plano cruzado, instituído em 1986, tinha por objetivo principal combater a inflação que ultrapassara os 200% no ano anterior e contava com várias condições favoráveis ao seu sucesso, como o acúmulo de reservas cambiais combinado com taxa de câmbio favorável e a unificação dos orçamentos fiscal e monetário.

( ) Certo ( ) Errado Graças ao crescimento acelerado dos preços na primeira metade dos anos 80 do século XX, o combate à inflação transformou-se em meta prioritária da política econômica do governo Sarney (1985- 1989), dando origem a três planos de estabilização consecutivos: o Plano Cruzado, o Plano Bresser e o Plano Verão. Os três planos mostraram-se incapazes de reduzir as taxas de inflação, que apresentaram variação negativa somente no ano de 1986. A taxa anual de crescimento dos preços, medida pelo IGP, praticamente dobrou de 1985 a 1987 e de 1987 a 1988. O fracasso desses planos tem sido atribuído, em especial, a interpretações errôneas e(ou) incompletas das verdadeiras causas da inflação.
Tendo o texto acima como referência inicial, assinale a opção correta acerca dos planos econômicos citados.
a) Para os formuladores do Plano Cruzado, os aumentos de preço resultavam basicamente do excesso de oferta de moeda. Para reverter o processo inflacionário, avaliavam que a principal medida a ser tomada seria dotar o Banco Central de independência.
b) A política inflacionária do Plano Cruzado reduziu as expectativas de lucro dos empresários, provocando redução substancial na produção industrial com consequências adversas no nível de emprego.
c) O diagnóstico da inflação que fundamentou o Plano Bresser atribuía a inflação em vigor não só à indexação geral da economia, mas também a um excesso de demanda. Com base nesse diagnóstico, o plano propunha tanto medidas políticas antiinflacionárias ortodoxas quanto heterodoxas.
d) O Plano Verão foi um plano estritamente ortodoxo de combate à inflação.
e) O severo ajuste fiscal ocorrido em 1989 contribuiu para o relativo sucesso do Plano Verão. As taxas de inflação foram substancialmente reduzidas em 1990. Foi característica do Plano Cruzado:
a) arrocho salarial causado pela conversão dos salários pela média.
b) regime de bandas cambiais.
c) congelamento total dos salários que não sofreram nenhum reajuste durante o plano.
d) congelamento de preços.
e) congelamento de ativos financeiros como a poupança. A partir da entrada em circulação do Real, em 1994, os salários
a) foram congelados.
b) passaram a ter livre negociação.
c) passaram a ser indexados pelo IPC-R apenas no primeiro ano de vigência da moeda.
d) foram indexados ao câmbio.
e) passaram a ter reajustes trimestrais. FHC = Estabilidade econômica 1. Controle do déficit público Aumento da receita Controle dos gastos públicos Lei de Responsabilidade Fiscal
Plano Plurianual Privatizações Aumento das reservas Endividamento externo Aumento da taxa de juros Contexto externo: 1994-95: crise no México

1997: crise nos Tigres Asiáticos

1998: crise na Rússia 2. Valorização cambial 3. Controle da demanda interna Abertura ao mercado externo Balança comercial deficitária Política cambial no Plano Real 1994: Câmbio flutuante puro

1994-1995: Câmbio fixo

1995: Banda cambial deslizante

1995-1999: Banda cambial rastejante

1999: Maxidesvalorização

1999-2011: Câmbio flutuante sujo Em relação às despesas públicas de investimentos, a Constituição de 1988 pouco inovou, porque o plano plurianual, que está previsto nessa Carta, apenas substituiu o orçamento plurianual de investimentos (OPI), estabelecido na Constituição de 1967.

( ) Certo ( ) Errado No início da atual década houve uma mudança importante no mercado financeiro do Brasil: a criação de um "novo SPB" (Sistema de Pagamentos Brasileiro). Um objetivo primordial dessa mudança foi
a) fazer com que o Banco Central do Brasil, com seus ativos, garanta cada operação financeira.
b) eliminar o excesso de limites operacionais, chamadas de margem, e outros mecanismos de garantia.
c) permitir aos bancos brasileiros maior grau de alavancagem.
d) permitir a transferência consentida de riscos do Banco Central do Brasil para os participantes do mercado.
e) adotar um sistema de compensação contínuo, mas não por diferença dos recebimentos e pagamentos devidos entre os participantes. Os programas federais de transferência de renda - como o Fome Zero e o Bolsa-Família - tornaram-se importantes no Brasil. A respeito deles, pode-se afirmar que
a) em seu conjunto, implicam em transferências anuais, diretas para os pobres, de cerca de 10% do PIB.
b) visam beneficiar pessoas que ganham menos de dois salários mínimos - o seu público-alvo - melhorando a distribuição de renda.
c) poderiam ser substituídos pelo redesenho do sistema fiscal do país, aumentando substancialmente a progressividade dos impostos.
d) atendem também às carências não vinculadas diretamente à renda, como saneamento, serviços de saúde, transporte e educação.
e) programas como o Bolsa-Família, de grande clientela potencial, costumam ter problemas de focalização, isto é, de garantir que os beneficiados tenham renda abaixo do patamar estabelecido. Continuidade Nomeação de Henrique Meirelles para o BC
Observação às metas inflacionárias
Quitação da dívida com FMI
Manutenção de altas taxas de juros
Manutenção de grande endividamento interno
Privatizações: foco no transportes Política social Aumento real do Salário Mínimo em cerca de 50%
Redução da miséria e pobreza no país;
Melhoria do IDH, medido pela ONU;
Programas sociais bem sucedidos: Fome Zero e Bolsa Famíla Índices econômicos PIB: crescimento médio anual de 4,5%
Redução do desemprego: 5,3%
Reservas internacionais recorde: US$ 288 bi;
Programas sociais bem sucedidos: Fome Zero e Bolsa Famíla
Full transcript