Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Metodologias de ensino de línguas estrangeiras

No description
by

Paulo Stella

on 22 February 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Metodologias de ensino de línguas estrangeiras

Reflexões críticas
Gramática-tradução
1. A implicação da noção de método
no ensino de línguas estrangeiras;
2. O problema da separação entre
ensino e aprendizagem;
3. As noções de sequência de aprendizado,
erro e interlíngua;
4. O afastamento da realidade dos
alunos (inserção e não inclusão).
Metodologias de ensino e
aprendizagem
de língua estrangeira

Características
1. Atenção à gramática como forma de acessar a literatura;
2. Foco na leitura e escrita;
3. Seleção vocabular é baseada nos textos escritos (literários);
4. Baseado em tradução de sentenças;
5. Ênfase na acuidade gramatical do aluno;
6. A gramática é ensinada pelo método dedutivo (explicitação de regras, memorização de exceções, etc);
7. A instrução é dada em primeira língua.
Ética e estética:
1. O professor detém o saber e o controle da situação;
2. O aluno não produz sentidos, traduz;
3. A língua se apresenta em seu aspecto analítico;
4. As partes da língua estudada são equiparadas à língua materna;
5. A forma se sobrepõe sobre o conteúdo;
6. Foco no ensino e não na aprendizagem;
7. Epistemologia: tradição gramatical (grego e latim).
Método Direto
Características:
1. Aulas exclusivamente na língua alvo;
2. Ensino de vocabulário e estruturas do dia-a-dia;
3. Poucos alunos;
4. Foco na oralidade construída progressivamente por meio de perguntas e respostas;
5. Gramática indutiva;
6. Instrução oral de itens linguísticos;
7. Concretude na apresentação de vocabulário (imagens, desenhos, etc);
8. Fala e audição são o foco de ensino;
9. Ênfase na correção de pronúncia, entoação e gramática.
Regras gerais:
1. Não traduza, demonstre;
2. Não explique, aja;
3. Não discurse, interaja;
4. Não imite os erros, corrija;
5. Não fale com monossílabos, produza sentenças;
6. Não fale muito, deixe os alunos falarem;
7. Não use o livro, use o plano de aula;
8. Não mude o foco, siga o plano;
9. Não vá muito rápido, siga o passo do aluno;
10. Não fale devagar, fale normalmente;
11. Não fale rápido, fale normalmente;
12. Não fale alto, fale normalmente;
13. Não perca a paciência, pegue leve.
Ética e estética:
1. O professor detém o saber e o controle da situação;2. O aluno não produz sentidos (agência), interpreta;3. A língua se apresenta como estruturas a serem apreendidas;4. As estruturas da língua alvo não são comparadas com a língua materna;5. A forma se sobrepõe sobre o conteúdo;6. Foco no ensino e não na aprendizagem
7. Epistemologia: aprendizado natural (bebê).
Áudiolingual
Características:
1. Professor como modelo;
2. Inatividade da língua primeira enquanto a língua segunda está em uso;
3. Treinamento da fala e da audição sem auxílio de recursos gráficos;
4. Estudo das estruturas por meio da prática dos sons, das formas e da ordem;
5. Resumo das estruturas para os alunos quando as estruturas tiverem sido apreendidas;
6. Correção imediata dos problemas para que não interfira na comunicação;
7. Estudo do vocabulário em contexto.
Sequência de aula:
1. Alunos escutam o diálogo em partes e repetem linha a linha até a memorização gradual;
2. O professor presta atenção no ritmo, na pronúncia e na entonação dos alunos;
3. As correções de erros (pronúncia, gramática, etc) são corrigidos imediatamente;
4. Uma linha de diálogo pode ser quebrada em várias partes para memorização. a estrutura é drilada;
5. O diálogo é dito em voz alta: primeiro pelo professor e a alunos; depois pelos alunos em coro e, por fim, por aluno e aluno;
6. O livro somente é aberto após essa fase, quando os alunos partem para atividades com leitura, escrita, gramática etc;
7. Atividades de follow up são feitas no laboratório por meio de drills.
Ética e estética:
1. O professor é o modelo da situação e o saber está na língua;
2. O aluno não produz sentidos (agência), repete até a perfeição;
3. A língua se apresenta como estruturas a serem practicadas por meio de drills;
4. As estruturas da língua alvo são driladas;
5. A forma está atrelada ao conteúdo que é fictício;
6. Foco no ensino e pouco na aprendizagem
7. Epistemologia: estímulo-resposta (correta / incorreta).
Comunicativo
Características:
1. A língua é um meio de expressão de sentimentos e valores próprios e em relação a outros;
2. A língua é um sistema semiótico onde sentidos são produzidos;
3. A língua tem várias funções: instrumental, regulatória, interacional, pessoal, heurística, imaginativa e representativa;
4. Princípios:
a) Foco no sentido;
b) Diálogos com função comunicativa e não de memorização;
c) Contextualização e comunicação eficiente são relevantes;
d) Importância nos interesses dos alunos (idade, sexo, educação);
e) A pronúncia deve ser compreensiva e não perfeita;
f) Desde o começo deve haver oportunidades de comunicação;
g) A língua materna e a tradução podem ser utilizadas, desde que necessárias;
h) Apreende-se a estrutura nos processos de comunciação;
i) O objetivo é a competência comunicativa e a variação linguística deve ser enfatizada;
j) O professor se torna um colaborador na aprendizagem;
h) A interação entre os alunos é o foco e o professor sai de cena nos processos de correção;
i) A fluência se sobrepõe à exatidão gramatical.
Sequência de aula comunicativa:
1. Contextualização do diálogo;
2. Apresentação do diálogo ou de partes dele para serem repetidas;
3. Prática do diálogo com aspectos dos alunos;
4. Questões sobre o diálogo;
5. Questões sobre a realidade dos alunos;
6. Estudo das funções comunicativas importantes do diálogo;
7. Interpretação da gramática;
8. Reconhecimento das estruturas;
9. Aplicação do conhecimento estrutural em eventos comunicativos;
10. Avaliação do aprendizado por meio de perguntas: Como se diz...?
Ética e estética:1. O professor contextualiza a situação, mas não tem controle sobre o saber;2. Espera-se do a aluno a produção de sentidos (agência), por meio da troca de experiências e emoções;3. A língua se apresenta como eventos comunicativas para serem apreendidos em seu uso;4. As estruturas da língua são hipotetizadas e testadas nos eventos comunicativos;5. A forma está atrelada ao conteúdo que imita o real;6. Equilíbrio entre ensino e aprendizagem;7. Epistemologia: sociolinguístiva e psicolinguística.
Full transcript