Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Espondilodiscite Cervical: relato de um caso

No description
by

marta amaral

on 27 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Espondilodiscite Cervical: relato de um caso

Seguimento
Considerações finais
Espondilodiscite Cervical: relato de um caso
Marta Amaral Silva, Luísa Loureiro, Élio Rodrigues, Marta Brás, Teresa Alfaiate, Isabel Bessa, Amélia Pereira

Serviço de Medicina Interna - Hospital Distrital da Figueira da Foz

XX Reunião do Núcleo de Medicina Interna dos Hospitais Distritais
J.F., género masculino, 63 A
13 Julho de 2012 SU do HDFF

- cervicalgias com 4 semanas de evolução e agravamento progressivo , sem alívio pelo tratamento médico instituído

- início do quadro após cirurgia por descolamento da retina e período de repouso em decúbito ventral

- sem queixas respiratórias, gastro-intestinais, génito-urinárias ou outras

História da Doença Actual
Cirurgia a hérnia inguinal esquerda em 1998 e direita em 2008

Hemorragia Digestiva Alta por divertículo duodenal sangrante em 2009

Cirurgia a catarata do olho esquerdo em Janeiro de 2012

Cirurgia por descolamento da retina em Junho de 2012

Antecedentes pessoais
Hábitos medicamentosos:
maleato de flupirtina 100mg 1 cp de 12/12h ibuprofeno 600mg 1 cp de 12/12h
diazepam 5mg 1 id
metamizol 575mg em sos
fosfato de dexametasona colírio 1 gota de 8/8h
ofloxacina colírio 1 gota de 4/4h
ofloxacina gel oftálmico 1 aplicação de 6/6h

Hábitos tabágicos:
Hábitos etílicos:
Contexto sócio-profissional
Exame objectivo:
Consciente, orientado e colaborante
Apirético
TA: 124/76 mmHg FC: 83bpm
ACP sem alterações

Dor intensa à mobilização cervical
Contractura da musculatura cervical e interescapular à palpação

Força muscular mantida (G5/5) e simétrica
Sem défices sensitivos
Reflexos osteotendinosos vivos e simétricos

Exames Complementares de Diagnóstico
Analiticamente


Hb: 14,3g/dL
Leucócitos : 9 910/µL
PCR 91,40 mg/L
VS 67mm/1h

Restantes parâmetros analíticos normais


Exames imagiológicos
TAC coluna cervical (13/7/2013): estreitamento do espaço discal C6-C7 com aspectos erosivos-destrutivos das plataformas vertebrais e componente de partes moles epidural ventral ao saco dural e perivertebral anterior e lateral aos corpos vertebrais de C6 e C7, aspectos sugestivos de espondilodiscite.
- Hemoculturas
- Transferido para CHUC - HG
Exames imagiológicos
RMN da coluna cervical (18/7/2013): redução do espaço C6-C7, de predomínio posterior, com ligeira irregularidade das plataformas somáticas, algum edema da esponjosa dos 2 corpos vertebrais, e processo tecidual vertebral e paravertebral a este nível, com realce acentuado após gadolínio, (...) com foco de realce envolvendo a plataforma superior de C7 e o disco. (...) extensão deste processo para canal vertebral, aparentemente peridural anterior, e foraminal bilateral, a condicionar discreto efeito de massa sobre a medula (...) sem edema medular relevante. A extensão foraminal deste processo condiciona compromisso radicular, bilateralmente. O componente tecidual perivertebral anterior é exuberante (...). 

Estas alterações traduzem com maior probabilidade, no contexto clínico e laboratorial adequado, processo de espondilodiscite.

Avaliação por Neurocirurgia



sem indicação para intervenção neurocirúrgica

Anamnese
Calendário vacinal
Internado no Serviço de Infecciologia dos CHUC-HG:

- AB empírica com Meropenem
- analgesia
- colar cervical de 3 apoios

Investigação diagnóstica
Hemoculturas
Urocultura
Prova de Mantoux
Serologias para brucella, mycobacterium tuberculosis, coxiella burnetii

20/7/2012 Serviço de Medicina do HDFF

AB
- Imipenem (suspendeu por reacção alérgica)
- Gentamicina + Ampicilina

Apirético, hemodinamicamente estável, com melhoria progressiva das queixas álgicas, sem défices sensitivos ou motores


Melhoria dos parâmetros analíticos inflamatórios (PCR; VS)

Investigação diagnóstica (resultados):

1 Hemocultura positiva para Staphylococcus epidermidis

Restantes estudos negativos
Evolução
Alta a 27/8/2012 (após 6 semanas de AB ev)
Medicado com:
Ácido fusídico 250mg 1 cp de 12/12h
Diazepam 5mg 1id
Paracetamol+tramadol 325+37,5mg em sos
Pantoprazol 20mg 1id
Orientado para:
Consulta de Medicina
Consulta de Fisiatria
Consulta de Neurocirurgia
Consulta de Infecciologia

RMN da coluna cervical (3/10/2012): sinais de nítida melhoria imagiológica, sem compressão medular evidenciável actualmente. Diminuição da altura do disco, bem como do realce discal e dos corpos vertebrais C6-C7. Melhoria do processo inflamatório pré-vertebral.
Alta da consulta de Neurocirurgia a 17/10/2012

- indicação de remover colar cervical progressivamente

Mantém seguimento em consulta de Medicina

Remissão completa das cervicalgias

RMN da coluna cervical (18/2/2013): (...) na transição C6-C7 observa-se hipersinal T2/STIR envolvendo o espaço discal/intersomático vertebral, com captação anómala exuberante após gadolíneo, o que traduz fenómeno espondilodiscítico residual, sem significativa repercussão justa-canalar/foraminal ou para-vertebral (...).
actualizado
Espondilodiscite cervical
sem agente etiológico identificado
Leucócitos: 6 300/µL
PCR: 4,47 mg/L
VS: 20 mm/1h
- motorista
- meio rural
- moradia com boas condições higieno-sanitárias
- contacto com 1 cão e 1 gato

A espondilodiscite consiste na infecção dos corpos vertebrais e/ou discos intervertebrais
> 50 A
Género masculino : género feminino 2 : 1
A incidência tem vindo a aumentar
58%
30%
11%
Pode ocorrer por 3 vias:
- disseminação hematogénea
- inoculação directa
- contiguidade
Agentes etiológicos frequentes:
- Staphylococcus aureus
- Considerar Mycobacterium tuberculosis e Brucella nas áreas endémicas
Sintomas e Sinais
Dor no segmento da coluna envolvido

Sintomas constitucionais

Febre

Compressão medular e/ou radicular
Ao exame objectivo

- dor à percussão das apófises espinhosas

- espasmo dos músculos paravertebrais

- limitação do movimento



Exames Complementares de Diagnóstico
Avaliação laboratorial:
- VS
- PCR
- Leucócitos

Hemoculturas

Estudos de Imagem

Biópsia do espaço discal e/ou osso vertebral
RMN
Tratamento
Antibioterapia empírica ou dirigida
- ev (pelo menos 6 semanas)
- manutenção de AB oral?

Analgesia

Imobilização externa (colar cervical/lombostato)

Fisioterapia

Cirurgia
Défices neurológicos residuais < 7%

Mortalidade < 5%
Prognóstico
Neste caso, não foi possível identificar o agente etiológico (disseminação hematogénea na sequência da cirurgia oftalmológica?)
A elevada suspeição clínica, apoiada pelos achados imagiológicos, permitiram estabelecer o diagnóstico
A instituição precoce da terapêutica foi essencial para a evolução favorável deste caso
Obrigada pela atenção!
RMN da coluna cervical (5ª semana de AB): boa evolução do processo infeccioso a envolver os corpos vertebrais de C6 e C7 e respectivo disco, com reabsorção praticamente total do componente epidural.
nega
28gr álcool/dia
> risco de complicações neurológicas
(RMN e NC)
Suspendeu AB
em Dezembro de 2012
Rx coluna cervical (8/7/2013)
Full transcript